Novas receitas

Judy Joo compartilha sua opinião sobre a comida coreana em seu livro de receitas ‘Comida coreana simplificada’

Judy Joo compartilha sua opinião sobre a comida coreana em seu livro de receitas ‘Comida coreana simplificada’

No primeiro livro de receitas de Judy Joo, Comida Coreana Simplificada, o agora apresentador de um programa de culinária, Iron Chef e chef executivo compartilha receitas coreanas fáceis de fazer, influenciadas por uma vida inteira de batatas fritas em Nova Jersey, sopa de matzo ball em Nova York e, é claro, gochujang em casa.

Os pais de Joo imigraram para os EUA. Joo cresceu em Summit, New Jersey, fez faculdade no meio-oeste da Ohio State University e voltou para Nova York para trabalhar em Wall Street. Seu livro de receitas e receitas estão polvilhados com migalhas de pão que falam sobre o agora autoproclamado "coreano-americano londrino com formação francesa". Receitas, como seu Spicy Pork Belly Cheesesteak, um de seus alimentos favoritos de conforto, e ela Receita final de KFC (frango frito coreano), quase tirou o chapéu para sua dupla identidade como uma coreana e uma americana.

Assim como o título do livro promete, Joo realmente faz comida coreana, que muitas vezes não recebe a mesma atenção que outras cozinhas asiáticas familiares e simples. Este livro está repleto de receitas em estilo de fusão, mas também permanece fiel aos pilares básicos da comida tradicional coreana.

Tivemos a oportunidade de falar com Joo sobre seu novo livro, sua filosofia sobre culinária e como ela espera que os leitores usem seu livro:

The Daily Meal: Qual é a sua filosofia geral sobre culinária?

Judy Joo: Eu cozinho comida que é reconfortante e aconchegante. É comida que você poderia comer todos os dias e que o abraça de volta. Comida é uma linguagem de amor para mim. Alimentar as pessoas é uma forma de nutrir o corpo e a alma e mostrar às pessoas que você se importa.

Como isso inspirou as receitas que você escolheu incluir neste livro?

Minhas receitas são todas muito acolhedoras e acessíveis. Minhas receitas refletem minha filosofia alimentar sobre cordialidade e amor. Também acredito muito no equilíbrio, então há uma grande variedade de receitas. Às vezes você tem vontade de comer uma salada zen de tofu. Alguns dias você sente vontade de frango frito!

Quais são alguns dos seus pratos coreanos favoritos para cozinhar em casa?

Adoro fazer uma sopa quente de tofu chamada Soon Dubu Jiggae. Eu amo frutos do mar e pratos caseiros picantes - este guisado acerta todos os botões para mim! Eu como com uma tigela fumegante de arroz e me sinto feliz!

Eu também tenho um prazer culpado - minha comida preguiçosa final é macarrão instantâneo. Eu os alcanço com muitos vegetais, ovos, qualquer coisa que esteja na minha geladeira ...

Demora 10 minutos para montar e voila - eu tenho uma tigela de macarrão quente, viciante e maravilhosamente sorvendo.

Na introdução do livro, você se autodenomina um "coreano-americano londrino com formação francesa". Como isso influencia a comida que você procura e, talvez mais importante, a maneira como você prepara a comida e a comida coreana?

As receitas são inspiradas em meu estilo de vida e experiência de cidadão global. Eu cresci na América com pais coreanos e moro na Europa há 10 anos. Tenho fortes âncoras em três continentes. Minhas receitas refletem minha formação internacional e a inspiração de minhas viagens. Eu uso muitos sabores coreanos combinados com técnicas ocidentais, e você verá isso em todo o meu livro. Tenho até um capítulo sobre pão - os sabores coreanos combinam perfeitamente com a boulangerie.

O que "Comida Coreana Simplificada" significa para você (ou seja, escolhas de ingredientes, técnicas de culinária)?

Facilidade de ingredientes e técnicas de cozimento. Todas as receitas são muito viáveis ​​e projetadas para que o cozinheiro doméstico possa lidar.

Como você divide essa culinária, que é tão familiar para você, para o cozinheiro caseiro novato não coreano?

É tudo uma questão de compreender os sabores em primeiro lugar. Experimente primeiro todos os ingredientes sozinhos para ter uma ideia do perfil de sabor. Em seguida, é só provar e provar em toda a receita. A culinária coreana geralmente tem algo picante, doce, salgado e amargo, tudo misturado para equilibrar. Mas não tenha medo de adicionar mais ou menos certas coisas de acordo com o seu paladar, seja mais tempero ou menos, mais alho ou menos, etc. Apenas esteja aberto para ser grandes sabores ousados ​​e cozinhe com confiança.

Como você espera que os leitores usem este livro?

Eu realmente espero que os leitores experimentem novas receitas que eles normalmente não teriam feito em casa e dêem um toque especial ao jantar em família com um pouco do estilo coreano!

Qual é a conclusão final deste livro?

Alguns sabores e ingredientes coreanos podem transformar uma refeição em algo extraordinário e emocionante.

Há mais alguma coisa que você gostaria de compartilhar sobre este livro?

Cada receita foi literalmente preparada por mim e Vivian Jao juntas. Nós testamos e testamos e a Vivian era a diretora das cozinhas da revista Saveur, então as receitas também têm seu olhar meticuloso por trás de todas. Uma noite, depois de cozinhar por 16 horas por alguns dias seguidos, pedimos uma massagista tailandesa para os pés para esfregar nossas pernas e pés inchados. Estávamos com muita dor! Foi um trabalho muito árduo e espero que esse esforço brilhe.

Quer experimentar uma receita?


A menos que você esteja familiarizado com a culinária britânica, pode não ter ouvido falar do posset de sobremesa. A melhor maneira de descrevê-lo é um pudim de limão à base de creme. Eu cubro com xarope de chá de cidra diluído (yujacha), que é feito da fruta cítrica asiática, yuja (em japonês é chamada de yuzu), e tem uma fragrância floral deliciosa e sabor de marmelada de limão amargo que corta a doçura do posset muito bem. Eu gosto de raspar o limão em um microplano, então é muito bom. Se sua ferramenta resultar em pedaços maiores de raspas, você pode passar a mistura de creme aromatizado por uma peneira de malha fina antes de despejá-la em copos de servir. - Judy Joo

Para a receita de Citron Tea Posset, clique aqui.


Procure por uma bebida coreana de ginseng com mel nos mercados coreanos. Geralmente vem em pequenas garrafas transparentes; a marca mais popular é Royal King. Se você não conseguir encontrar, o xarope de mel (à direita) é um bom substituto. Yuja, uma fruta cítrica asiática, é chamada de yuzu em japonês e está disponível nos mercados japoneses. O suco de limão serve em uma pitada. Servimos o nosso com um doce de ginseng e um tradicional baralho Hwatu. - Judy Joo

Para o A receita do Psy Sour, clique aqui.


Há algo a ser dito sobre comer kimchi quando é jovem e fresco e ainda um pouco crocante. Mas quando o seu kimchi fica realmente ruim e fermentado e você fica com medo do que ele pode fazer ao seu sistema digestivo, esse é o melhor momento para fazer essas panquecas. É aí que o sabor do kimchi realmente transparece. Estas panquecas são realmente saborosas com a sua crocante exterior e são muito fáceis de fazer.

Geralmente são feitas como panquecas grandes que são cortadas em pedaços menores para serem compartilhados na mesa, mas acho os menores mais atraentes e mais fáceis de virar. - Judy Joo

Para a receita de Panquecas Kimchi, clique aqui.

Ultimate KFC (frango frito coreano)


Sempre adorei frango frito. Mas embora eu tenha crescido comendo na América, para mim “KFC” significa frango frito coreano. Existem muitas versões diferentes, mas o que todas elas têm em comum é uma camada crocante muito fina e dura, que resulta do uso de amido de batata ou de amido de milho em vez de farinha, bem como da fritura dupla. Minha opinião sobre o prato, que inclui vodca e farinha de matzo, é um pouco heterodoxa e tem um bom número de ingredientes, mas eu o chamo de “definitivo” por um motivo. Duas coisas o tornam ainda melhor: seu acompanhamento habitual de rabanete em conserva em cubos e cerveja bem gelada. - Judy Joo

Para a receita de frango frito coreano, clique aqui.


Minha mãe costumava escravizar minha irmã e eu para fazer isso aos milhares. Bolinhos gordos bem alinhados em pratos e bandejas cobriam cada superfície da cozinha. Eu costumava comer apenas as cascas, sacudindo as entranhas carnudas para minha irmã. Conforme fui crescendo, aprendi a saborear aquelas joias suculentas também, mas as cascas crocantes ainda são minha parte favorita. Se preferir, os bolinhos podem ser cozidos no vapor em vez de fritos. Estes são os campeões de vendas do meu restaurante, Jinjuu. - Judy Joo

Para a receita de Meaty Dumplings, clique aqui.


O frango de churrasco da minha mãe é uma lenda. Ela até costumava grelhar em nossa garagem em tempo desfavorável. Lembro-me de estar sentada nos degraus olhando para a pequena churrasqueira, observando-a virar pedaços do suculento frango marinado com gengibre e gergelim com os pauzinhos e sentir o cheiro da doce fumaça. Mesmo seus amigos que duvidam da comida coreana ficarão contentes com isso. - Judy Joo

Para a receita de frango para churrasco da mamãe, clique aqui.

Angela Carlos é a editora de cozinha do The Daily Meal. Encontre-a no Twitter e tweet @angelaccarlos.


Esqueça o churrasco de verão, experimente este bumbum de porco

Nunca pensei que seria chef. Crescer, não era realmente uma opção. Meus pais imigrantes coreanos já traçaram meu caminho. Era típico. Estude bastante, toque piano, vá para uma escola da Ivy League, torne-se médico ou engenheiro. Então, embarquei nessa jornada indo para a escola de engenharia de Columbia, mas me afastei um pouco e fui para as finanças. Saí ainda mais das pistas e fui para a escola de culinária, e embarquei na minha carreira culinária.

Apesar de meu foco em estudos acadêmicos enquanto crescia, eu tenho memórias vívidas da cozinha de minha mãe. Quer ela estivesse orquestrando uma grande festa de confecção de kimchi ou escravizando toda a família para fazer bolinhos, nunca era silencioso na cozinha. Não havia mercearias asiáticas no centro de Nova Jersey onde estávamos. Então minha mãe teve que fazer tudo do zero para sentir o gostinho de casa.

Agora, estou trazendo aquele sabor reconfortante da culinária da minha mãe, com meus toques modernos para os outros, por meio do meu programa, "Comida coreana feita simples", meu livro será lançado no próximo ano, e meu restaurante, Jinjuu, será inaugurado no final deste ano em Londres. No meu programa, viajo pela Coreia explorando todas as ofertas, do mar às ruas, e cozinho em casa com essa inspiração em mente. Minha comida reflete minha criação coreana, mas incorpora minha educação multicultural e meu treinamento em francês. É um conforto comida com um toque um pouco mais polido e único.

Compartilhar é um tema comum subjacente a toda a comida coreana. Bossam incorpora esse sentimento alegre - todos compartilhando do mesmo prato, mas criando um pequeno pacote sob medida para seu próprio consumo. Tenho muitas lembranças de comer este prato quando era estudante em Nova York. Um grande grupo de nós iria encomendá-lo e literalmente comer fora. As folhas de alface e os pickles cortam bem a gordura e trazem uma frescura bem-vinda ao prato.

BOSSAM DE PORCO ASSADO COREANO

Dica: Compre barriga de porco da melhor qualidade que puder. As raças Heritage produzem o melhor sabor.

Se a sua barriga de porco vier com as costelas, corte-as e espalhe a massa (faça um acréscimo). Asse até ficar cozido e caramelizado e você terá as costelas mais saborosas de todos os tempos.

  • 8 dentes de alho esmagados
  • 7 cebolinhas ou cebolinhas, picadas grosseiramente, raízes
  • 4½ x 1½ polegada (75 gramas) de gengibre, pele, aproximadamente fatiado
  • 1 cebola, descascada e cortada em oitavos
  • 2 colheres de sopa de pasta dwengjang
  • 2 colheres de sopa de pasta de soja coreana (dwengjang)
  • 2 colheres de sopa de mel
  • 1½ colher de sopa de gengibre ralado
  • 1 colher de chá de pasta de pimenta coreana (gochujang)
  • 2 colheres de sopa de pasta de soja coreana (dwengjang)
  • 2 colheres de chá de cebola ralada
  • 2 colheres de chá de óleo de gergelim torrado
  • 2 colheres de chá de sementes de gergelim torradas
  • 1 colher de chá de gengibre ralado

Em uma panela pesada, coloque a barriga de porco e todos os ingredientes para o caldo de cozimento e adicione água para cobrir. Leve para ferver em fogo alto. Reduza o fogo e cozinhe até que a carne de porco esteja totalmente cozida e bem macia por 2 horas. Retire a barriga de porco e coloque em uma assadeira forrada com papel alumínio para deixar esfriar. Descarte o líquido de escaldagem. Depois de resfriado o suficiente para manusear, corte cuidadosamente a pele da carne de porco e descarte. Pré-aqueça o forno a 350 graus Fahrenheit / 180 graus Celsius.

Misture todos os ingredientes da fricção até formar uma pasta lisa e espalhe generosamente por toda a parte superior da pele do lado da barriga. Coloque a carne de porco no forno, friccione com o lado para cima e asse até que a parte superior fique bem caramelizada, cerca de 30 minutos. Além disso, você pode colocar a carne de porco sob a grelha brevemente para um pouco mais de carvão. Enquanto isso, faça o molho bossam misturando bem todos os ingredientes em uma tigela pequena. Deixou de lado. Depois que a barriga de porco estiver bem caramelizada por cima, deixe descansar por 15 minutos em local aquecido. Em seguida, transfira a carne de porco para uma tábua de corte e corte em fatias finas. Sirva a carne de porco com o arroz, as folhas de alface, o molho bossam e o rabanete em conserva (segue-se a receita). Experimente comer a carne de porco da seguinte maneira: coloque uma folha de alface na mão. Coloque uma colher de arroz, cubra com a mancha de molho, um pedaço de carne de porco e termine com um pouco de rabanete em conserva. Embrulhe tudo junto e dê uma mordida. Você vai amar.

RADISH PICKLED, MOO SANG CHE

  • 6 onças (175 gramas) de rabanete branco, mouli ou daikon, cortados em pedaços longos
  • 4½ colheres de chá de vinagre de maçã coreano ou vinagre de vinho de arroz
  • 1 ½ colher de sopa de açúcar granulado branco
  • 1½ colher de chá de flocos de pimenta coreana (gochugaru), ou a gosto
  • 1 pequeno dente de alho ralado
  • 1 colher de chá de sal ou a gosto

Em uma tigela média, misture todos os ingredientes acima e mexa para cobrir bem o rabanete. Cubra e leve à geladeira por 1 hora antes de servir.


Esqueça o churrasco de verão, experimente este bumbum de porco

Nunca pensei que seria chef. Crescer, não era realmente uma opção. Meus pais imigrantes coreanos já traçaram meu caminho. Era típico. Estude bastante, toque piano, vá para uma escola da Ivy League, torne-se médico ou engenheiro. Então, embarquei nessa jornada indo para a escola de engenharia de Columbia, mas me afastei um pouco e fui para as finanças. Então, saí ainda mais das pistas e fui para a escola de culinária, e embarquei na minha carreira culinária.

Apesar de meu foco em estudos acadêmicos enquanto crescia, eu tenho memórias vívidas da cozinha de minha mãe. Quer ela estivesse orquestrando uma grande festa de confecção de kimchi ou escravizando toda a família para fazer bolinhos, nunca ficava silencioso na cozinha. Não havia mercearias asiáticas no centro de Nova Jersey onde estávamos. Então minha mãe teve que fazer tudo do zero para sentir o gostinho de casa.

Agora, estou trazendo aquele sabor reconfortante da culinária da minha mãe, com meus toques modernos para os outros, por meio do meu programa, "Comida coreana feita simples", meu livro será lançado no próximo ano, e meu restaurante, Jinjuu, será inaugurado no final deste ano em Londres. No meu programa, viajo pela Coreia explorando todas as ofertas, do mar às ruas, e cozinho em casa com essa inspiração em mente. Minha comida reflete minha criação coreana, mas incorpora minha educação multicultural e meu treinamento em francês. É um conforto comida com um toque um pouco mais polido e único.

Compartilhar é um tema comum subjacente a toda a comida coreana. Bossam incorpora esse sentimento alegre - todos compartilhando do mesmo prato, mas criando um pequeno pacote sob medida para seu próprio consumo. Tenho muitas lembranças de comer este prato quando era estudante em Nova York. Um grande grupo de nós iria encomendá-lo e literalmente comer fora. As folhas de alface e os pickles cortam bem a gordura e trazem uma frescura bem-vinda ao prato.

BOSSAM DE PORCO ASSADO COREANO

Dica: Compre barriga de porco da melhor qualidade que puder. As raças Heritage produzem o melhor sabor.

Se a sua barriga de porco vier com as costelas, corte-as e espalhe a massa (faça um acréscimo). Asse até ficar cozido e caramelizado e você terá as costelas mais saborosas de todos os tempos.

  • 8 dentes de alho esmagados
  • 7 cebolinhas ou cebolinhas, picadas grosseiramente, raízes
  • 4½ x 1½ polegada (75 gramas) de gengibre, pele, aproximadamente fatiado
  • 1 cebola, descascada e cortada em oitavos
  • 2 colheres de sopa de pasta dwengjang
  • 2 colheres de sopa de pasta de soja coreana (dwengjang)
  • 2 colheres de sopa de mel
  • 1 ½ colher de sopa de gengibre ralado
  • 1 colher de chá de pasta de pimenta coreana (gochujang)
  • 2 colheres de sopa de pasta de soja coreana (dwengjang)
  • 2 colheres de chá de cebola ralada
  • 2 colheres de chá de óleo de gergelim torrado
  • 2 colheres de chá de sementes de gergelim torradas
  • 1 colher de chá de gengibre ralado

Em uma panela pesada, coloque a barriga de porco e todos os ingredientes para o caldo de cozimento e adicione água para cobrir. Leve para ferver em fogo alto. Reduza o fogo e cozinhe até que a carne de porco esteja totalmente cozida e bem macia por 2 horas. Retire a barriga de porco e coloque em uma assadeira forrada com papel alumínio para deixar esfriar. Descarte o líquido de escaldagem. Depois de resfriado o suficiente para manusear, corte com cuidado a pele da carne de porco e descarte. Pré-aqueça o forno a 350 graus Fahrenheit / 180 graus Celsius.

Misture todos os ingredientes da fricção até formar uma pasta lisa e espalhe generosamente por toda a parte superior da pele do lado da barriga. Coloque a carne de porco no forno, friccione com o lado friccionado para cima e asse até que a parte superior fique bem caramelizada, cerca de 30 minutos. Além disso, você pode colocar a carne de porco sob a grelha brevemente para um pouco mais de carvão. Enquanto isso, faça o molho bossam misturando bem todos os ingredientes em uma tigela pequena. Deixou de lado. Depois que a barriga de porco estiver bem caramelizada por cima, deixe descansar por 15 minutos em local aquecido. Em seguida, transfira a carne de porco para uma tábua de corte e corte em fatias finas. Sirva a carne de porco com o arroz, as folhas de alface, o molho bossam e o rabanete em conserva (segue-se a receita). Experimente comer a carne de porco da seguinte maneira: coloque uma folha de alface na mão. Coloque uma colher de arroz, cubra com a mancha de molho, um pedaço de carne de porco e termine com um pouco de rabanete em conserva. Embrulhe tudo junto e dê uma mordida. Você vai amar.

PICKLED RADISH, MOO SANG CHE

  • 6 onças (175 gramas) de rabanete branco, mouli ou daikon, cortados em pedaços longos
  • 4½ colheres de chá de vinagre de maçã coreano ou vinagre de vinho de arroz
  • 1½ colher de sopa de açúcar granulado branco
  • 1½ colher de chá de flocos de pimenta coreana (gochugaru), ou a gosto
  • 1 pequeno dente de alho ralado
  • 1 colher de chá de sal ou a gosto

Em uma tigela média, misture todos os ingredientes acima e mexa para cobrir bem o rabanete. Cubra e leve à geladeira por 1 hora antes de servir.


Esqueça o churrasco de verão, experimente este bumbum de porco

Nunca pensei que seria chef. Crescer, não era realmente uma opção. Meus pais imigrantes coreanos já traçaram meu caminho. Era típico. Estude bastante, toque piano, vá para uma escola da Ivy League, torne-se médico ou engenheiro. Então, embarquei nessa jornada indo para a escola de engenharia de Columbia, mas me afastei um pouco e fui para as finanças. Então, saí ainda mais das pistas e fui para a escola de culinária, e embarquei na minha carreira culinária.

Apesar de meu foco em estudos acadêmicos enquanto crescia, eu tenho memórias vívidas da cozinha de minha mãe. Quer ela estivesse orquestrando uma grande festa de confecção de kimchi ou escravizando toda a família para fazer bolinhos, nunca ficava silencioso na cozinha. Não havia mercearias asiáticas no centro de Nova Jersey onde estávamos. Então minha mãe teve que fazer tudo do zero para sentir o gostinho de casa.

Agora, estou trazendo aquele sabor reconfortante da culinária da minha mãe, com meus toques modernos para os outros, por meio do meu programa, "Comida coreana feita simples", meu livro será lançado no próximo ano, e meu restaurante, Jinjuu, será inaugurado no final deste ano em Londres. No meu programa, viajo pela Coreia explorando todas as ofertas, do mar às ruas, e cozinho em casa com essa inspiração em mente. Minha comida reflete minha criação coreana, mas incorpora minha educação multicultural e meu treinamento em francês. É um conforto comida com um toque um pouco mais polido e único.

Compartilhar é um tema comum subjacente a toda a comida coreana. Bossam incorpora esse sentimento alegre - todos compartilhando do mesmo prato, mas criando um pequeno pacote sob medida para seu próprio consumo. Tenho muitas lembranças de comer este prato quando era estudante em Nova York. Um grande grupo de nós iria encomendá-lo e literalmente comer fora. As folhas de alface e os pickles cortam bem a gordura e trazem uma frescura bem-vinda ao prato.

BOSSAM DE PORCO ASSADO COREANO

Dica: Compre barriga de porco da melhor qualidade que puder. As raças Heritage produzem o melhor sabor.

Se a barriga de porco vier com as costelas, corte-as e espalhe a massa (faça um acréscimo). Asse até ficar cozido e caramelizado e você terá as costelas mais saborosas de todos os tempos.

  • 8 dentes de alho esmagados
  • 7 cebolinhas ou cebolinhas, picadas grosseiramente, raízes
  • 4½ x 1½ polegada (75 gramas) de gengibre, pele, aproximadamente fatiado
  • 1 cebola, descascada e cortada em oitavos
  • 2 colheres de sopa de pasta dwengjang
  • 2 colheres de sopa de pasta de soja coreana (dwengjang)
  • 2 colheres de sopa de mel
  • 1½ colher de sopa de gengibre ralado
  • 1 colher de chá de pasta de pimenta coreana (gochujang)
  • 2 colheres de sopa de pasta de soja coreana (dwengjang)
  • 2 colheres de chá de cebola ralada
  • 2 colheres de chá de óleo de gergelim torrado
  • 2 colheres de chá de sementes de gergelim torradas
  • 1 colher de chá de gengibre ralado

Em uma panela pesada, coloque a barriga de porco e todos os ingredientes para o caldo de cozimento e adicione água para cobrir. Leve para ferver em fogo alto. Reduza o fogo e cozinhe até que a carne de porco esteja totalmente cozida e bem macia por 2 horas. Retire a barriga de porco e coloque em uma assadeira forrada com papel alumínio para deixar esfriar. Descarte o líquido de escaldagem. Depois de resfriado o suficiente para manusear, corte cuidadosamente a pele da carne de porco e descarte. Pré-aqueça o forno a 350 graus Fahrenheit / 180 graus Celsius.

Misture todos os ingredientes da fricção até formar uma pasta lisa e espalhe generosamente por toda a parte superior da pele do lado da barriga. Coloque a carne de porco no forno, friccione com o lado friccionado para cima e asse até que a parte superior fique bem caramelizada, cerca de 30 minutos. Além disso, você pode colocar a carne de porco sob a grelha brevemente para um pouco mais de carvão. Enquanto isso, faça o molho bossam misturando bem todos os ingredientes em uma tigela pequena. Deixou de lado. Depois que a barriga de porco estiver bem caramelizada por cima, deixe descansar por 15 minutos em local aquecido. Em seguida, transfira a carne de porco para uma tábua de corte e corte em fatias finas. Sirva a carne de porco com o arroz, as folhas de alface, o molho bossam e o rabanete em conserva (segue-se a receita). Experimente comer a carne de porco da seguinte maneira: coloque uma folha de alface na mão. Coloque uma colher de arroz, cubra com a mancha de molho, um pedaço de carne de porco e termine com um pouco de rabanete em conserva. Embrulhe tudo junto e dê uma mordida. Você vai amar.

RADISH PICKLED, MOO SANG CHE

  • 6 onças (175 gramas) de rabanete branco, mouli ou daikon, cortados em pedaços longos
  • 4½ colheres de chá de vinagre de maçã coreano ou vinagre de vinho de arroz
  • 1½ colher de sopa de açúcar granulado branco
  • 1½ colher de chá de flocos de pimenta coreana (gochugaru), ou a gosto
  • 1 pequeno dente de alho ralado
  • 1 colher de chá de sal ou a gosto

Em uma tigela média, misture todos os ingredientes acima e mexa para cobrir bem o rabanete. Cubra e leve à geladeira por 1 hora antes de servir.


Esqueça o churrasco de verão, experimente este bumbum de porco

Nunca pensei que seria chef. Crescer, não era realmente uma opção. Meus pais imigrantes coreanos já traçaram meu caminho. Era típico. Estude bastante, toque piano, vá para uma escola da Ivy League, torne-se médico ou engenheiro. Então, embarquei nessa jornada indo para a escola de engenharia de Columbia, mas me afastei um pouco e fui para as finanças. Saí ainda mais das pistas e fui para a escola de culinária, e embarquei na minha carreira culinária.

Apesar de meu foco em estudos acadêmicos enquanto crescia, eu tenho memórias vívidas da cozinha de minha mãe. Quer ela estivesse orquestrando uma grande festa de confecção de kimchi ou escravizando toda a família para fazer bolinhos, nunca ficava silencioso na cozinha. Não havia mercearias asiáticas no centro de Nova Jersey onde estávamos. Então minha mãe teve que fazer tudo do zero para sentir o gostinho de casa.

Agora, estou trazendo aquele sabor reconfortante da culinária da minha mãe, com meus toques modernos para os outros, por meio do meu programa, "Comida coreana feita simples", meu livro será lançado no próximo ano, e meu restaurante, Jinjuu, será inaugurado no final deste ano em Londres. No meu programa, viajo pela Coreia explorando todas as ofertas, do mar às ruas, e cozinho em casa com essa inspiração em mente. Minha comida reflete minha criação coreana, mas incorpora minha educação multicultural e meu treinamento em francês. É um conforto comida com um toque um pouco mais polido e único.

Compartilhar é um tema comum subjacente a toda a comida coreana. Bossam incorpora esse sentimento alegre - todos compartilhando do mesmo prato, mas criando um pequeno pacote sob medida para seu próprio consumo. Tenho muitas lembranças de comer este prato quando era estudante em Nova York. Um grande grupo de nós iria encomendá-lo e literalmente comer fora. As folhas de alface e os pickles cortam bem a gordura e trazem uma frescura bem-vinda ao prato.

BOSSAM DE PORCO ASSADO COREANO

Dica: Compre barriga de porco da melhor qualidade que puder. As raças Heritage produzem o melhor sabor.

Se a barriga de porco vier com as costelas, corte-as e espalhe a massa (faça um acréscimo). Asse até ficar cozido e caramelizado e você terá as costelas mais saborosas de todos os tempos.

  • 8 dentes de alho esmagados
  • 7 cebolinhas ou cebolinhas, picadas grosseiramente, raízes
  • 4½ x 1½ polegada (75 gramas) de gengibre, pele, aproximadamente fatiado
  • 1 cebola, descascada e cortada em oitavos
  • 2 colheres de sopa de pasta dwengjang
  • 2 colheres de sopa de pasta de soja coreana (dwengjang)
  • 2 colheres de sopa de mel
  • 1 ½ colher de sopa de gengibre ralado
  • 1 colher de chá de pasta de pimenta coreana (gochujang)
  • 2 colheres de sopa de pasta de soja coreana (dwengjang)
  • 2 colheres de chá de cebola ralada
  • 2 colheres de chá de óleo de gergelim torrado
  • 2 colheres de chá de sementes de gergelim torradas
  • 1 colher de chá de gengibre ralado

Em uma panela pesada, coloque a barriga de porco e todos os ingredientes para o caldo de cozimento e adicione água para cobrir. Leve para ferver em fogo alto. Reduza o fogo e cozinhe até que a carne de porco esteja totalmente cozida e bem macia por 2 horas. Retire a barriga de porco e coloque em uma assadeira forrada com papel alumínio para deixar esfriar. Descarte o líquido de escaldagem. Depois de resfriado o suficiente para manusear, corte cuidadosamente a pele da carne de porco e descarte. Pré-aqueça o forno a 350 graus Fahrenheit / 180 graus Celsius.

Misture todos os ingredientes da fricção até formar uma pasta lisa e espalhe generosamente por toda a parte superior da pele do lado da barriga. Coloque a carne de porco no forno, friccione com o lado friccionado para cima e asse até que a parte superior fique bem caramelizada, cerca de 30 minutos. Além disso, você pode colocar a carne de porco sob a grelha brevemente para um pouco mais de carvão. Enquanto isso, faça o molho bossam misturando bem todos os ingredientes em uma tigela pequena. Deixou de lado. Depois que a barriga estiver bem caramelizada por cima, deixe descansar por 15 minutos em local aquecido. Em seguida, transfira a carne de porco para uma tábua de corte e corte em fatias finas. Sirva a carne de porco com o arroz, as folhas de alface, o molho bossam e o rabanete em conserva (segue-se a receita). Experimente comer a carne de porco da seguinte maneira: coloque uma folha de alface na mão. Coloque uma colher de arroz, cubra com a mancha de molho, um pedaço de carne de porco e termine com um pouco de rabanete em conserva. Embrulhe tudo junto e dê uma mordida. Você vai amar.

PICKLED RADISH, MOO SANG CHE

  • 6 onças (175 gramas) de rabanete branco, mouli ou daikon, cortados em pedaços longos
  • 4½ colheres de chá de vinagre de maçã coreano ou vinagre de vinho de arroz
  • 1 ½ colher de sopa de açúcar granulado branco
  • 1½ colher de chá de flocos de pimenta coreana (gochugaru), ou a gosto
  • 1 pequeno dente de alho ralado
  • 1 colher de chá de sal ou a gosto

Em uma tigela média, misture todos os ingredientes acima e mexa para cobrir bem o rabanete. Cubra e leve à geladeira por 1 hora antes de servir.


Esqueça o churrasco de verão, experimente este bumbum de porco

Nunca pensei que seria chef. Crescer, não era realmente uma opção. Meus pais imigrantes coreanos já traçaram meu caminho. Era típico. Estude bastante, toque piano, vá para uma escola da Ivy League, torne-se médico ou engenheiro. Então, embarquei nessa jornada indo para a escola de engenharia de Columbia, mas me afastei um pouco e fui para as finanças. Então, saí ainda mais das pistas e fui para a escola de culinária, e embarquei na minha carreira culinária.

Apesar de meu foco em estudos acadêmicos enquanto crescia, eu tenho memórias vívidas da cozinha de minha mãe. Quer ela estivesse orquestrando uma grande festa de confecção de kimchi ou escravizando toda a família para fazer bolinhos, nunca era silencioso na cozinha. Não havia mercearias asiáticas no centro de Nova Jersey onde estávamos. Então minha mãe teve que fazer tudo do zero para sentir o gostinho de casa.

Agora, estou trazendo aquele sabor reconfortante da culinária da minha mãe, com meus toques modernos para os outros, por meio do meu programa, "Korean Food Made Simple", meu livro que será lançado no próximo ano, e meu restaurante, Jinjuu, será inaugurado no final deste ano em Londres. No meu programa, viajo pela Coreia explorando todas as ofertas, do mar às ruas, e cozinho em casa com essa inspiração em mente. Minha comida reflete minha criação coreana, mas incorpora minha educação multicultural e meu treinamento em francês. É um conforto comida com um toque um pouco mais polido e único.

Compartilhar é um tema comum subjacente a toda a comida coreana. Bossam incorpora esse sentimento alegre - todos compartilhando do mesmo prato, mas criando um pequeno pacote sob medida para seu próprio consumo. Tenho muitas lembranças de comer este prato quando era estudante em Nova York. Um grande grupo de nós iria encomendá-lo e literalmente comer fora. As folhas de alface e os pickles cortam bem a gordura e trazem uma frescura bem-vinda ao prato.

BOSSAM DE PORCO ASSADO COREANO

Dica: Compre barriga de porco da melhor qualidade que puder. As raças Heritage produzem o melhor sabor.

Se a barriga de porco vier com as costelas, corte-as e espalhe a massa (faça um acréscimo). Asse até ficar cozido e caramelizado e você terá as costelas mais saborosas de todos os tempos.

  • 8 dentes de alho esmagados
  • 7 cebolinhas ou cebolinhas, picadas grosseiramente, raízes
  • 4½ x 1½ polegada (75 gramas) de gengibre, pele, aproximadamente fatiado
  • 1 cebola, descascada e cortada em oitavos
  • 2 colheres de sopa de pasta dwengjang
  • 2 colheres de sopa de pasta de soja coreana (dwengjang)
  • 2 colheres de sopa de mel
  • 1½ colher de sopa de gengibre ralado
  • 1 colher de chá de pasta de pimenta coreana (gochujang)
  • 2 colheres de sopa de pasta de soja coreana (dwengjang)
  • 2 colheres de chá de cebola ralada
  • 2 colheres de chá de óleo de gergelim torrado
  • 2 colheres de chá de sementes de gergelim torradas
  • 1 colher de chá de gengibre ralado

Em uma panela pesada, coloque a barriga de porco e todos os ingredientes para o caldo de cozimento e adicione água para cobrir. Leve para ferver em fogo alto. Reduza o fogo e cozinhe até que a carne de porco esteja totalmente cozida e bem macia por 2 horas. Retire a barriga de porco e coloque em uma assadeira forrada com papel alumínio para deixar esfriar. Descarte o líquido de escaldagem. Depois de resfriado o suficiente para manusear, corte cuidadosamente a pele da carne de porco e descarte. Pré-aqueça o forno a 350 graus Fahrenheit / 180 graus Celsius.

Misture todos os ingredientes da fricção até formar uma pasta lisa e espalhe generosamente por toda a parte superior da pele do lado da barriga. Coloque a carne de porco no forno, friccione com o lado friccionado para cima e asse até que a parte superior fique bem caramelizada, cerca de 30 minutos. Além disso, você pode colocar a carne de porco sob a grelha brevemente para um pouco mais de carvão. Enquanto isso, faça o molho bossam misturando bem todos os ingredientes em uma tigela pequena. Deixou de lado. Depois que a barriga de porco estiver bem caramelizada por cima, deixe descansar por 15 minutos em local aquecido. Em seguida, transfira a carne de porco para uma tábua de corte e corte em fatias finas. Sirva a carne de porco com o arroz, as folhas de alface, o molho bossam e o rabanete em conserva (segue-se a receita). Experimente comer a carne de porco da seguinte maneira: coloque uma folha de alface na mão. Coloque uma colher de arroz, cubra com a mancha de molho, um pedaço de carne de porco e termine com um pouco de rabanete em conserva. Embrulhe tudo junto e dê uma mordida. Você vai amar.

RADISH PICKLED, MOO SANG CHE

  • 6 onças (175 gramas) de rabanete branco, mouli ou daikon, cortados em pedaços longos
  • 4½ colheres de chá de vinagre de maçã coreano ou vinagre de vinho de arroz
  • 1½ colher de sopa de açúcar granulado branco
  • 1½ colher de chá de flocos de pimenta coreana (gochugaru), ou a gosto
  • 1 pequeno dente de alho ralado
  • 1 colher de chá de sal ou a gosto

Em uma tigela média, misture todos os ingredientes acima e mexa para cobrir bem o rabanete. Cover and chill for 1 hour before serving.


Forget Summer BBQ, Try This Pork Belly Bossam Instead

I never thought I would be a chef. Growing up, it wasn’t really an option. My immigrant Korean parents laid out my path already. It was typical. Study hard, play the piano, go to an Ivy League school, become a doctor or an engineer. So, I embarked on this journey going to Columbia’s engineering school, but I strayed a little and went into finance. I then went off piste even more and went to cooking school, and embarked on my culinary career.

Despite my focus on academics growing up, I have vivid memories of my mom cooking. Whether she was orchestrating a grand kimchi making party or enslaving the whole family to make dumplings, it was never quiet in the kitchen. There were no Asian grocery stores in central New Jersey where we were. So my mom had to make everything from scratch in order to get a taste of home.

Now, I’m bringing that comforting taste of my mom’s cooking, with my modern twists to others through my show, “Korean Food Made Simple," my book due out next year, and my restaurant, Jinjuu, opening end of this year in London. In my show, I travel across Korea exploring every offering from the sea to the streets then cook at home with this inspiration in mind. My food reflects my Korean upbringing, yet incorporates my multicultural upbringing, and my French training. It is comfort food with a bit more of a polished and unique feel.

Sharing is a common theme underlying all of Korean food. Bossam embodies this convivial sentiment - everyone sharing from the same plate, yet creating a small little bespoke parcel for their own consumption. I have many memories eating this dish while a student in New York. A large group of us would order it and literally pig out. The lettuce leaves and pickles cut the fat nicely and bring a welcomed freshness to the dish.

KOREAN ROASTED PORK BELLY BOSSAM

Tip: Buy the best quality pork belly you can afford. Heritage breeds yield the best flavor.

If your pork belly comes with the ribs on, slice them off and slather with the rub (make extra). Roast until cooked through and caramelized and you’ll have the tastiest ribs ever.

  • 8 cloves of garlic, crushed
  • 7 spring onions or scallions, roughly chopped, roots on
  • 4½ x 1½ inch piece (75 grams) ginger, skin on, roughly sliced
  • 1 onion, peeled and cut into eighths
  • 2 tablespoons dwengjang paste
  • 2 tablespoons Korean soy bean paste (dwengjang)
  • 2 colheres de sopa de mel
  • 1½ tablespoons grated ginger
  • 1 teaspoon Korean chili paste (gochujang)
  • 2 tablespoons Korean soybean paste (dwengjang)
  • 2 teaspoons grated onion
  • 2 teaspoons roasted sesame oil
  • 2 teaspoons roasted sesame seeds
  • 1 teaspoon grated ginger

In a heavy pot, place the pork belly in and all of the ingredients for the cooking liquid and add water to cover. Leve para ferver em fogo alto. Reduce heat and simmer until pork is fully cooked through, and very soft, for 2 hours. Remove the pork belly and place on a baking tray lined with foil to let cool. Discard the poaching liquid. Once cooled enough to handle, carefully cut off the skin of the pork and discard. Preheat oven to 350 degrees Fahrenheit/180 degrees Celsius.

Mix all of the rub ingredients together into a smooth paste and smear generously all over the top of the skin-side of belly. Place the pork in the oven, rub side up, and roast the pork until the top is nicely caramelized, about 30 minutes. Additionally you can place the pork under the broiler briefly for a little more char. Meanwhile, make the bossam sauce by mixing all of the ingredients together well in a small bowl. Deixou de lado. Once the pork belly is nicely caramelized on top, let rest for 15 minutes in a warm place. Then transfer the pork to a cutting board and thinly slice into two-bite pieces. Serve the pork with the rice, lettuce leaves, bossam sauce, and pickled radish (recipe follows). Try eating the pork in this way: Place a lettuce leaf in your hand. Scoop in a spoonful of rice, top with smear of sauce, piece of pork, and finish with some pickled radish. Wrap it all up together and take a bite. You’ll love it.

PICKLED RADISH, MOO SANG CHE

  • 6 ounces (175 grams) white radish, mouli or daikon, julienned into long strips
  • 4½ teaspoons Korean apple vinegar or rice wine vinegar
  • 1½ tablespoon white granulated sugar
  • 1½ teaspoons Korean chili flakes (gochugaru), or to taste
  • 1 pequeno dente de alho ralado
  • 1 colher de chá de sal ou a gosto

In a medium sized bowl, mix all of the above ingredients together and stir to coat the radish well. Cover and chill for 1 hour before serving.


Forget Summer BBQ, Try This Pork Belly Bossam Instead

I never thought I would be a chef. Growing up, it wasn’t really an option. My immigrant Korean parents laid out my path already. It was typical. Study hard, play the piano, go to an Ivy League school, become a doctor or an engineer. So, I embarked on this journey going to Columbia’s engineering school, but I strayed a little and went into finance. I then went off piste even more and went to cooking school, and embarked on my culinary career.

Despite my focus on academics growing up, I have vivid memories of my mom cooking. Whether she was orchestrating a grand kimchi making party or enslaving the whole family to make dumplings, it was never quiet in the kitchen. There were no Asian grocery stores in central New Jersey where we were. So my mom had to make everything from scratch in order to get a taste of home.

Now, I’m bringing that comforting taste of my mom’s cooking, with my modern twists to others through my show, “Korean Food Made Simple," my book due out next year, and my restaurant, Jinjuu, opening end of this year in London. In my show, I travel across Korea exploring every offering from the sea to the streets then cook at home with this inspiration in mind. My food reflects my Korean upbringing, yet incorporates my multicultural upbringing, and my French training. It is comfort food with a bit more of a polished and unique feel.

Sharing is a common theme underlying all of Korean food. Bossam embodies this convivial sentiment - everyone sharing from the same plate, yet creating a small little bespoke parcel for their own consumption. I have many memories eating this dish while a student in New York. A large group of us would order it and literally pig out. The lettuce leaves and pickles cut the fat nicely and bring a welcomed freshness to the dish.

KOREAN ROASTED PORK BELLY BOSSAM

Tip: Buy the best quality pork belly you can afford. Heritage breeds yield the best flavor.

If your pork belly comes with the ribs on, slice them off and slather with the rub (make extra). Roast until cooked through and caramelized and you’ll have the tastiest ribs ever.

  • 8 cloves of garlic, crushed
  • 7 spring onions or scallions, roughly chopped, roots on
  • 4½ x 1½ inch piece (75 grams) ginger, skin on, roughly sliced
  • 1 onion, peeled and cut into eighths
  • 2 tablespoons dwengjang paste
  • 2 tablespoons Korean soy bean paste (dwengjang)
  • 2 colheres de sopa de mel
  • 1½ tablespoons grated ginger
  • 1 teaspoon Korean chili paste (gochujang)
  • 2 tablespoons Korean soybean paste (dwengjang)
  • 2 teaspoons grated onion
  • 2 teaspoons roasted sesame oil
  • 2 teaspoons roasted sesame seeds
  • 1 teaspoon grated ginger

In a heavy pot, place the pork belly in and all of the ingredients for the cooking liquid and add water to cover. Leve para ferver em fogo alto. Reduce heat and simmer until pork is fully cooked through, and very soft, for 2 hours. Remove the pork belly and place on a baking tray lined with foil to let cool. Discard the poaching liquid. Once cooled enough to handle, carefully cut off the skin of the pork and discard. Preheat oven to 350 degrees Fahrenheit/180 degrees Celsius.

Mix all of the rub ingredients together into a smooth paste and smear generously all over the top of the skin-side of belly. Place the pork in the oven, rub side up, and roast the pork until the top is nicely caramelized, about 30 minutes. Additionally you can place the pork under the broiler briefly for a little more char. Meanwhile, make the bossam sauce by mixing all of the ingredients together well in a small bowl. Deixou de lado. Once the pork belly is nicely caramelized on top, let rest for 15 minutes in a warm place. Then transfer the pork to a cutting board and thinly slice into two-bite pieces. Serve the pork with the rice, lettuce leaves, bossam sauce, and pickled radish (recipe follows). Try eating the pork in this way: Place a lettuce leaf in your hand. Scoop in a spoonful of rice, top with smear of sauce, piece of pork, and finish with some pickled radish. Wrap it all up together and take a bite. You’ll love it.

PICKLED RADISH, MOO SANG CHE

  • 6 ounces (175 grams) white radish, mouli or daikon, julienned into long strips
  • 4½ teaspoons Korean apple vinegar or rice wine vinegar
  • 1½ tablespoon white granulated sugar
  • 1½ teaspoons Korean chili flakes (gochugaru), or to taste
  • 1 pequeno dente de alho ralado
  • 1 colher de chá de sal ou a gosto

In a medium sized bowl, mix all of the above ingredients together and stir to coat the radish well. Cover and chill for 1 hour before serving.


Forget Summer BBQ, Try This Pork Belly Bossam Instead

I never thought I would be a chef. Growing up, it wasn’t really an option. My immigrant Korean parents laid out my path already. It was typical. Study hard, play the piano, go to an Ivy League school, become a doctor or an engineer. So, I embarked on this journey going to Columbia’s engineering school, but I strayed a little and went into finance. I then went off piste even more and went to cooking school, and embarked on my culinary career.

Despite my focus on academics growing up, I have vivid memories of my mom cooking. Whether she was orchestrating a grand kimchi making party or enslaving the whole family to make dumplings, it was never quiet in the kitchen. There were no Asian grocery stores in central New Jersey where we were. So my mom had to make everything from scratch in order to get a taste of home.

Now, I’m bringing that comforting taste of my mom’s cooking, with my modern twists to others through my show, “Korean Food Made Simple," my book due out next year, and my restaurant, Jinjuu, opening end of this year in London. In my show, I travel across Korea exploring every offering from the sea to the streets then cook at home with this inspiration in mind. My food reflects my Korean upbringing, yet incorporates my multicultural upbringing, and my French training. It is comfort food with a bit more of a polished and unique feel.

Sharing is a common theme underlying all of Korean food. Bossam embodies this convivial sentiment - everyone sharing from the same plate, yet creating a small little bespoke parcel for their own consumption. I have many memories eating this dish while a student in New York. A large group of us would order it and literally pig out. The lettuce leaves and pickles cut the fat nicely and bring a welcomed freshness to the dish.

KOREAN ROASTED PORK BELLY BOSSAM

Tip: Buy the best quality pork belly you can afford. Heritage breeds yield the best flavor.

If your pork belly comes with the ribs on, slice them off and slather with the rub (make extra). Roast until cooked through and caramelized and you’ll have the tastiest ribs ever.

  • 8 cloves of garlic, crushed
  • 7 spring onions or scallions, roughly chopped, roots on
  • 4½ x 1½ inch piece (75 grams) ginger, skin on, roughly sliced
  • 1 onion, peeled and cut into eighths
  • 2 tablespoons dwengjang paste
  • 2 tablespoons Korean soy bean paste (dwengjang)
  • 2 colheres de sopa de mel
  • 1½ tablespoons grated ginger
  • 1 teaspoon Korean chili paste (gochujang)
  • 2 tablespoons Korean soybean paste (dwengjang)
  • 2 teaspoons grated onion
  • 2 teaspoons roasted sesame oil
  • 2 teaspoons roasted sesame seeds
  • 1 teaspoon grated ginger

In a heavy pot, place the pork belly in and all of the ingredients for the cooking liquid and add water to cover. Leve para ferver em fogo alto. Reduce heat and simmer until pork is fully cooked through, and very soft, for 2 hours. Remove the pork belly and place on a baking tray lined with foil to let cool. Discard the poaching liquid. Once cooled enough to handle, carefully cut off the skin of the pork and discard. Preheat oven to 350 degrees Fahrenheit/180 degrees Celsius.

Mix all of the rub ingredients together into a smooth paste and smear generously all over the top of the skin-side of belly. Place the pork in the oven, rub side up, and roast the pork until the top is nicely caramelized, about 30 minutes. Additionally you can place the pork under the broiler briefly for a little more char. Meanwhile, make the bossam sauce by mixing all of the ingredients together well in a small bowl. Deixou de lado. Once the pork belly is nicely caramelized on top, let rest for 15 minutes in a warm place. Then transfer the pork to a cutting board and thinly slice into two-bite pieces. Serve the pork with the rice, lettuce leaves, bossam sauce, and pickled radish (recipe follows). Try eating the pork in this way: Place a lettuce leaf in your hand. Scoop in a spoonful of rice, top with smear of sauce, piece of pork, and finish with some pickled radish. Wrap it all up together and take a bite. You’ll love it.

PICKLED RADISH, MOO SANG CHE

  • 6 ounces (175 grams) white radish, mouli or daikon, julienned into long strips
  • 4½ teaspoons Korean apple vinegar or rice wine vinegar
  • 1½ tablespoon white granulated sugar
  • 1½ teaspoons Korean chili flakes (gochugaru), or to taste
  • 1 pequeno dente de alho ralado
  • 1 colher de chá de sal ou a gosto

In a medium sized bowl, mix all of the above ingredients together and stir to coat the radish well. Cover and chill for 1 hour before serving.


Forget Summer BBQ, Try This Pork Belly Bossam Instead

I never thought I would be a chef. Growing up, it wasn’t really an option. My immigrant Korean parents laid out my path already. It was typical. Study hard, play the piano, go to an Ivy League school, become a doctor or an engineer. So, I embarked on this journey going to Columbia’s engineering school, but I strayed a little and went into finance. I then went off piste even more and went to cooking school, and embarked on my culinary career.

Despite my focus on academics growing up, I have vivid memories of my mom cooking. Whether she was orchestrating a grand kimchi making party or enslaving the whole family to make dumplings, it was never quiet in the kitchen. There were no Asian grocery stores in central New Jersey where we were. So my mom had to make everything from scratch in order to get a taste of home.

Now, I’m bringing that comforting taste of my mom’s cooking, with my modern twists to others through my show, “Korean Food Made Simple," my book due out next year, and my restaurant, Jinjuu, opening end of this year in London. In my show, I travel across Korea exploring every offering from the sea to the streets then cook at home with this inspiration in mind. My food reflects my Korean upbringing, yet incorporates my multicultural upbringing, and my French training. It is comfort food with a bit more of a polished and unique feel.

Sharing is a common theme underlying all of Korean food. Bossam embodies this convivial sentiment - everyone sharing from the same plate, yet creating a small little bespoke parcel for their own consumption. I have many memories eating this dish while a student in New York. A large group of us would order it and literally pig out. The lettuce leaves and pickles cut the fat nicely and bring a welcomed freshness to the dish.

KOREAN ROASTED PORK BELLY BOSSAM

Tip: Buy the best quality pork belly you can afford. Heritage breeds yield the best flavor.

If your pork belly comes with the ribs on, slice them off and slather with the rub (make extra). Roast until cooked through and caramelized and you’ll have the tastiest ribs ever.

  • 8 cloves of garlic, crushed
  • 7 spring onions or scallions, roughly chopped, roots on
  • 4½ x 1½ inch piece (75 grams) ginger, skin on, roughly sliced
  • 1 onion, peeled and cut into eighths
  • 2 tablespoons dwengjang paste
  • 2 tablespoons Korean soy bean paste (dwengjang)
  • 2 colheres de sopa de mel
  • 1½ tablespoons grated ginger
  • 1 teaspoon Korean chili paste (gochujang)
  • 2 tablespoons Korean soybean paste (dwengjang)
  • 2 teaspoons grated onion
  • 2 teaspoons roasted sesame oil
  • 2 teaspoons roasted sesame seeds
  • 1 teaspoon grated ginger

In a heavy pot, place the pork belly in and all of the ingredients for the cooking liquid and add water to cover. Leve para ferver em fogo alto. Reduce heat and simmer until pork is fully cooked through, and very soft, for 2 hours. Remove the pork belly and place on a baking tray lined with foil to let cool. Discard the poaching liquid. Once cooled enough to handle, carefully cut off the skin of the pork and discard. Preheat oven to 350 degrees Fahrenheit/180 degrees Celsius.

Mix all of the rub ingredients together into a smooth paste and smear generously all over the top of the skin-side of belly. Place the pork in the oven, rub side up, and roast the pork until the top is nicely caramelized, about 30 minutes. Additionally you can place the pork under the broiler briefly for a little more char. Meanwhile, make the bossam sauce by mixing all of the ingredients together well in a small bowl. Deixou de lado. Once the pork belly is nicely caramelized on top, let rest for 15 minutes in a warm place. Then transfer the pork to a cutting board and thinly slice into two-bite pieces. Serve the pork with the rice, lettuce leaves, bossam sauce, and pickled radish (recipe follows). Try eating the pork in this way: Place a lettuce leaf in your hand. Scoop in a spoonful of rice, top with smear of sauce, piece of pork, and finish with some pickled radish. Wrap it all up together and take a bite. You’ll love it.

PICKLED RADISH, MOO SANG CHE

  • 6 ounces (175 grams) white radish, mouli or daikon, julienned into long strips
  • 4½ teaspoons Korean apple vinegar or rice wine vinegar
  • 1½ tablespoon white granulated sugar
  • 1½ teaspoons Korean chili flakes (gochugaru), or to taste
  • 1 pequeno dente de alho ralado
  • 1 colher de chá de sal ou a gosto

In a medium sized bowl, mix all of the above ingredients together and stir to coat the radish well. Cover and chill for 1 hour before serving.


Forget Summer BBQ, Try This Pork Belly Bossam Instead

I never thought I would be a chef. Growing up, it wasn’t really an option. My immigrant Korean parents laid out my path already. It was typical. Study hard, play the piano, go to an Ivy League school, become a doctor or an engineer. So, I embarked on this journey going to Columbia’s engineering school, but I strayed a little and went into finance. I then went off piste even more and went to cooking school, and embarked on my culinary career.

Despite my focus on academics growing up, I have vivid memories of my mom cooking. Whether she was orchestrating a grand kimchi making party or enslaving the whole family to make dumplings, it was never quiet in the kitchen. There were no Asian grocery stores in central New Jersey where we were. So my mom had to make everything from scratch in order to get a taste of home.

Now, I’m bringing that comforting taste of my mom’s cooking, with my modern twists to others through my show, “Korean Food Made Simple," my book due out next year, and my restaurant, Jinjuu, opening end of this year in London. In my show, I travel across Korea exploring every offering from the sea to the streets then cook at home with this inspiration in mind. My food reflects my Korean upbringing, yet incorporates my multicultural upbringing, and my French training. It is comfort food with a bit more of a polished and unique feel.

Sharing is a common theme underlying all of Korean food. Bossam embodies this convivial sentiment - everyone sharing from the same plate, yet creating a small little bespoke parcel for their own consumption. I have many memories eating this dish while a student in New York. A large group of us would order it and literally pig out. The lettuce leaves and pickles cut the fat nicely and bring a welcomed freshness to the dish.

KOREAN ROASTED PORK BELLY BOSSAM

Tip: Buy the best quality pork belly you can afford. Heritage breeds yield the best flavor.

If your pork belly comes with the ribs on, slice them off and slather with the rub (make extra). Roast until cooked through and caramelized and you’ll have the tastiest ribs ever.

  • 8 cloves of garlic, crushed
  • 7 spring onions or scallions, roughly chopped, roots on
  • 4½ x 1½ inch piece (75 grams) ginger, skin on, roughly sliced
  • 1 onion, peeled and cut into eighths
  • 2 tablespoons dwengjang paste
  • 2 tablespoons Korean soy bean paste (dwengjang)
  • 2 colheres de sopa de mel
  • 1½ tablespoons grated ginger
  • 1 teaspoon Korean chili paste (gochujang)
  • 2 tablespoons Korean soybean paste (dwengjang)
  • 2 teaspoons grated onion
  • 2 teaspoons roasted sesame oil
  • 2 teaspoons roasted sesame seeds
  • 1 teaspoon grated ginger

In a heavy pot, place the pork belly in and all of the ingredients for the cooking liquid and add water to cover. Leve para ferver em fogo alto. Reduce heat and simmer until pork is fully cooked through, and very soft, for 2 hours. Remove the pork belly and place on a baking tray lined with foil to let cool. Discard the poaching liquid. Once cooled enough to handle, carefully cut off the skin of the pork and discard. Preheat oven to 350 degrees Fahrenheit/180 degrees Celsius.

Mix all of the rub ingredients together into a smooth paste and smear generously all over the top of the skin-side of belly. Place the pork in the oven, rub side up, and roast the pork until the top is nicely caramelized, about 30 minutes. Additionally you can place the pork under the broiler briefly for a little more char. Meanwhile, make the bossam sauce by mixing all of the ingredients together well in a small bowl. Deixou de lado. Once the pork belly is nicely caramelized on top, let rest for 15 minutes in a warm place. Then transfer the pork to a cutting board and thinly slice into two-bite pieces. Serve the pork with the rice, lettuce leaves, bossam sauce, and pickled radish (recipe follows). Try eating the pork in this way: Place a lettuce leaf in your hand. Scoop in a spoonful of rice, top with smear of sauce, piece of pork, and finish with some pickled radish. Wrap it all up together and take a bite. You’ll love it.

PICKLED RADISH, MOO SANG CHE

  • 6 ounces (175 grams) white radish, mouli or daikon, julienned into long strips
  • 4½ teaspoons Korean apple vinegar or rice wine vinegar
  • 1½ tablespoon white granulated sugar
  • 1½ teaspoons Korean chili flakes (gochugaru), or to taste
  • 1 pequeno dente de alho ralado
  • 1 colher de chá de sal ou a gosto

In a medium sized bowl, mix all of the above ingredients together and stir to coat the radish well. Cover and chill for 1 hour before serving.


Assista o vídeo: The Dish: Chef Judy Joo (Outubro 2021).