Novas receitas

7 estratégias práticas para uma alimentação saudável nas férias

7 estratégias práticas para uma alimentação saudável nas férias

É aquela hora novamente. Uma festa de feriado após a outra parece interromper suas intenções de comer alimentos limpos, mas a temporada de festas e uma alimentação saudável na verdade podem coincidir. Estas 7 dicas com ajuda fornecem um plano de jogo para aquelas noites em que você não pode controlar o que está sendo servido.

Isso acontece todos os anos. Você é convidado para uma festa de fim de ano após festa de fim de ano, mas também está tentando comer de forma saudável. Parece que todo fim de semana há um lugar divertido para se estar, mas você não tem controle sobre o que será servido.

Acredite ou não, fazer escolhas limpas e saudáveis ​​é realmente possível durante as férias. Esta temporada não precisa ser um momento em que seus objetivos serão colocados em espera. Você só pode precisar de um plano de jogo para as noites repletas de bebidas deliciosas, salgadinhos e sobremesas múltiplas. As celebrações do feriado, especialmente aquelas que envolvem comida, podem e devem ser desfrutadas sem a sensação de que você estragou seus objetivos nutricionais. A vida (e as festas que a acompanham) e comer bem podem coincidir.

Lutando para cozinhar de forma saudável? Nós vamos ajudá-lo a se preparar.

Inscreva-se no nosso novo boletim informativo semanal, ThePrep, para inspiração e apoio para todas as suas dificuldades com o plano de refeições.

Aqui, 7 dicas para manter o equilíbrio entre comer bem e festejar muito na sua próxima festa de festas.

1. Beba um gole de água.

… Ou outra bebida sem calorias. Beba um copo de água entre as bebidas alcoólicas, bem como antes e depois de comer. Ele irá mantê-lo hidratado e, se houver alguma coisa, ele lhe dará algo para segurar, evitando comer e beber em excesso. Se precisar de um pouco de sabor, coloque algumas fatias de frutas ou pepinos em seu copo. Deixe a água infundir por alguns minutos e depois beba e saboreie.

2. Procure opções saudáveis.

Seja um jantar à mesa ou um coquetel com aperitivos, procure opções saudáveis. Avalie quais alimentos estão lá e escolha seus favoritos para saber onde estão suas compras desde o início.

3. Faça um prato.

Se possível, faça um prato em vez de ficar de pé sobre a mesa de comida ou aperitivos e socializar perto do buffet. Há algo significativo em consertar sua prato com sua comida para a noite. Dessa forma, você pode acompanhar o que comeu ou vai comer sem ter que pensar nisso constantemente.

4. Peça o que quiser.

Para jantares à mesa, não tenha medo de perguntar o que você quer comer. Se você quer para comer um prato que é metade de vegetais, peça mais. Não se sinta pressionado a terminar tudo o que está no prato se achar que as porções são muito grandes. Seus amigos e familiares devem respeitar seus objetivos. Quem sabe? Você pode até mesmo inspirá-los a repensar seu prato também.

5. Ofereça-se para trazer um prato.

Se for uma festa onde for apropriado, ofereça-se para trazer um prato. Dessa forma, você sabe que haverá algo lá para você fazer um lanche. Você estará preparado e sem preocupações, e o anfitrião apreciará o gesto.

6. Esteja atento.

Se você realmente se concentrar no que está comendo, vai gostar do sabor e da textura. Pode parecer trivial, mas a alimentação consciente é uma prática crescente que é especialmente útil nesta época do ano. Escolha suas comidas favoritas, prepare uma porção e aprecie-as! Estudos têm mostrado que as pessoas têm menos probabilidade de comer demais se estiverem atentas à comida quando estão comendo.

7. Não retenha seus favoritos.

Às vezes, os controles deslizantes de bolo de chocolate e cheeseburguer chamam. E tudo bem. É feriado! Coma seus favoritos; apenas faça isso com moderação. Lembre-se sempre de que desfrutar do que gosta (todos nós temos um) não significa que você desistiu e deve jogar a toalha em seus objetivos nutricionais. Reter a sobremesa, ou comida em geral, pode levar a comer demais mais tarde ou a padrões alimentares negativos.

O simples fato de saber que uma festa não precisa estragar sua onda de alimentação limpa pode mudar seus hábitos de festa. Não presuma que ser saudável não inclui alimentos de férias. Tenha como objetivo uma alimentação equilibrada e consciente, e opte por fazer pequenas coisas para uma grande diferença geral na maneira como você se alimenta.


7 maneiras de comer mais vegetais

Se não gosta de vegetais ou está apenas à procura de ideias criativas para adicionar mais vegetais ao seu dia (incluindo o pequeno-almoço!), Está no lugar certo. Aqui estão 7 dicas para incluir mais vegetais em sua dieta.

A maioria de nós não come vegetais suficientes. Na verdade, 90% dos americanos não comem as 2-3 porções recomendadas por dia. (Para a maioria dos vegetais, 1 xícara é uma porção. Para vegetais crus e com folhas, como verduras para salada, é necessário 2 xícaras). Os vegetais são uma ótima fonte de nutrientes saudáveis, como fibra, potássio, ácido fólico e vitamina A.

Eles também desempenham um grande papel em ajudar as pessoas perder ou manter o peso. Os vegetais são ricos em fibras, o que o ajuda a encher. Além disso, quando você está comendo mais vegetais de baixa caloria, há menos espaço para comer menos alimentos de alto teor calórico e menos saudáveis.

Você pode pensar que não gosta de vegetais, mas talvez simplesmente não tenha experimentado a preparação certa. Os brócolis podem ter um gosto chato quando cozido no vapor, mas torrado e coberto com queijo parmesão (como neste Brócolis Balsâmico e Parmesão), e tem um sabor doce e de nozes.

Procurando mais inspiração? Aceite o nosso Desafio Comer Mais Vegetais.

Aqui estão sete maneiras fáceis (e deliciosas) de comer mais vegetais.


Estratégias para manter suas resoluções de ano novo

Nós renunciamos à pizza, abandonamos os cookies e juramos nos exercitar todos os dias. Mas a pesquisa mostra que esta é a época do ano em que começamos a retroceder em nossas resoluções. Na verdade, de acordo com pesquisas, mais de 20% de nós pretendem perder peso e comer melhor em 2017, mas menos de 10% realmente conseguem. Aqui estão 5 estratégias práticas para ajudá-lo a manter suas resoluções e alcançar seus objetivos.

Mantenha-se motivado definindo e cumprindo metas semanais ou mesmo diárias. Beba uma xícara a menos de café, caminhe mais 800 metros na esteira ou acrescente uma porção extra de frutas à sua dieta diária. Estabeleça alguns hábitos básicos que você pode desenvolver com o passar do tempo.

Mudanças dramáticas quase nunca duram, e desistir de alimentos que você adora simplesmente gera ressentimento. Permita-se deliciar-se com uma comida ou bebida não tão saudável de vez em quando - não se privar completamente irá preparar o terreno para o sucesso a longo prazo.

Tenha um plano para quando as coisas começarem a escorregar. Se você nunca foi à academia, faça alguns abdominais e flexões em casa. Esqueceu de embalar um almoço saudável? Verifique um menu online antes de pegar algo para viagem para fazer uma escolha comparável. Em vez de se criticar por coisas que não estão acontecendo como planejado, supere isso e siga em frente. Ninguém é perfeito, principalmente quando se trata de comer.

Ter alguém que responsabilize você por suas ações pode ter um grande impacto. Junte-se a um amigo ou participe de uma aula em grupo para fazer exercícios, e negocie metas nutricionais com alguém para que vocês dois fiquem atentos. Se precisar de ajuda para começar, algumas sessões com um nutricionista registrado são um investimento muito válido (algumas são até cobertas por um seguro). Você pode encontrar um perto de você em EatRight.org

É importante comemorar suas conquistas de saúde e bem-estar, mas cupcakes provavelmente não são o melhor prêmio. Quando você atingir certos marcos em sua busca por uma saúde melhor, recompense-se com incentivos sem calorias, como uma massagem, novos tênis de corrida ou alguma música para sua lista de exercícios.

Dana Angelo White, MS, RD, ATC, é uma nutricionista registrada, treinadora esportiva certificada e proprietária de Dana White Nutrition, Inc. , especializada em nutrição culinária e esportiva.


8 receitas saudáveis ​​para adicionar ao seu plano de refeições semanais

Café da manhã

Queijo e tomate amp no pão | Queijo cottage com frutas e nozes

Comece bem o dia com um café da manhã sem preparo super rápido. Demos a você um doce e outro salgado para que você tenha variedade suficiente para mantê-lo feliz. O doce café da manhã contém uma grande quantidade de frutas vermelhas, que são cheias de antioxidantes. O saboroso café da manhã, por outro lado, é coberto com tomates embalados com licopeno. Ambos os cafés da manhã deixarão você leve e com energia durante todo o dia, com a proteína mantendo-o saciado até a próxima refeição.

Almoço

Grão-de-bico esmagado e sanduíche de abacate | Abacate, pepino e sanduíche de frango

Consistência é a chave, e é por isso que os almoços sem cozimento consistem em sanduíches saborosos. Eles são deliciosos, portáteis e fáceis de embalar para toda a família. Se quiser trocá-lo por uma de suas refeições, você pode transformar um dos sanduíches da semana em uma salada, banhando os vegetais e saboreando-o com pão à parte. Há abacate em ambas as receitas para que você possa permanecer eficiente com suas compras, espaço e dinheiro. Além disso, é uma boa tentativa de limitar o desperdício de alimentos. Tente comprar um pão integral para a semana inteira ou faça o seu próprio usando a receita de pão da treinadora Jennifer.

Jantar

Pesto, tomate seco e salada de feijão branco | Salada de salmão com molho cremoso de coentro

Para o jantar, temos duas saladas diferentes para você experimentar. Uma salada de salmão saciante e uma salada mediterrânea adequada para vegetarianos ou para aquelas refeições sem carne. Ambos os jantares incluem feijão, o que significa que são embalados com fibra solúvel. A fibra não apenas contribui para o bem-estar digestivo, mas também mantém você satisfeito por mais tempo e ajuda a estabilizar os níveis de açúcar no sangue. Perfeito para aumentar sua saúde geral e manutenção de peso.

Hummus, cenouras e nozes amp | Queijo, maçã e nozes

Ambos os lanches sem bagunça contêm apenas três ingredientes, tornando-os fáceis de embalar em nenhum momento, sem nenhuma montagem para fazer! Demos a você nozes em ambos os lanches para que você receba uma boa dose de ômega 3 durante a semana. A noz é útil como antiinflamatório, bem como para regular o humor, a saúde da pele e do cérebro. Escolhemos um doce e um saboroso lanche para manter suas papilas gustativas satisfeitas ao longo da semana.

Mantenha os ingredientes trabalhando e distribua conforme necessário.


1. Podcast do Doctor's Kitchen

Londres, Inglaterra, Reino Unido Sobre Podcast Bem-vindo ao The Doctor's Kitchen Podcast com o Dr. Rupy Aujla. Cobrindo uma variedade de tópicos, desde os princípios da alimentação saudável até como prevenir e tratar doenças, o Dr. Rupy e seu painel de especialistas baseiam-se nas pesquisas mais recentes para fornecer dicas práticas para ajudar a turbinar sua saúde. O que você escolhe colocar no prato é uma das intervenções de saúde mais importantes que qualquer pessoa pode fazer. O livro de receitas do Dr. Rupy, The Doctor's Kitchen e seu último, Eat To Beat Illness, estão agora disponíveis em boas livrarias e e-books. Frequência 1 episódio / semana, duração média do episódio 67 min Desde a Novembro de 2017 Podcast play.acast.com/s/the-doctors ..
Fãs do Facebook 27,5K ⋅ Seguidores do Twitter 16,8K ⋅ Autoridade de Domínio 75 ⓘ ⋅ Alexa Rank 18,2K ⓘ Ver os últimos episódios ⋅ Obter e-mail de contato

2. Nutrição Diva | Dicas rápidas e sujas para comer bem e se sentir fabuloso

Baltimore, Maryland, Estados Unidos Sobre Podcast Junte-se a Monica Reinagel, autora de 'Nutrition Diva's Secrets for a Healthy Diet' (Segredos da diva da nutrição para uma dieta saudável), enquanto ela apresenta maneiras simples e indolores de atualizar seus hábitos alimentares. Analisando informações conflitantes e destruindo mitos populares, Monica tira o estresse de comer para que você possa desfrutar da comida, em vez de lutar contra ela. Antes que perceba, você estará se alimentando de forma mais saudável e se sentindo mais fabuloso. Frequência 1 episódio / semana, duração média do episódio 12 min Desde a Julho de 2008 Também em Podcasts de dieta, podcasts de comida saudável Podcast quickanddirtytips.com/nutrit ..
Fãs do Facebook 3,5K ⋅ Seguidores do Twitter 17,3K ⋅ Autoridade de Domínio 81 ⓘ ⋅ Alexa Rank 47,9K ⓘ Ver os últimos episódios ⋅ Obter e-mail Contato

3. Você não vai acreditar no que eu comi ontem à noite

Washington, Distrito de Columbia, Estados Unidos Sobre Podcast Junte-se à conversa de Rick e Kate sobre o desafio sem fim de obter e permanecer saudável em um mundo saboroso. Os tópicos variam de comida reconfortante a receitas saudáveis, a conselhos sobre como navegar na alimentação social, ao uso de mediação e outras ferramentas para voltar aos trilhos. Sintonize e dê uma risada saudável com eles. Frequência 2 episódios / mês, duração média do episódio 39 min Desde a Dezembro 2015 Podcast você não acreditará no que faz.libsy ..
Fãs do Facebook 246 ⋅ Seguidores do Instagram 111 ⋅ Autoridade de domínio 8 ⓘ ⋅ Alexa Rank 4,8K ⓘ Exibir episódios mais recentes ⋅ Obter e-mail para contato

4. Podcast de psicologia alimentar

Sobre Podcast Ajudando as pessoas a fazer as pazes com os alimentos desde 2013. Nutricionista nutricionista registrada e Conselheira Alimentar Intuitiva Certificada, Christy Harrison, fala com os convidados sobre suas relações com alimentos, imagem corporal, distúrbios alimentares, aceitação de peso e tamanho, nutrição não dietética, exercícios, política corporal, feminismo , autocompaixão e autocuidado - tudo a partir de uma perspectiva de saúde em cada tamanho positiva para o corpo. Frequência 1 episódio / dia, duração média do episódio 74 min Desde a Dez 2013 Também em Podcasts de comida, podcasts de alimentação intuitiva, podcasts de imagem corporal Podcast christyharrison.com/foodpsych
Fãs do Facebook 11,3K ⋅ Seguidores do Twitter 8,5K ⋅ Autoridade de Domínio 52 ⓘ ⋅ Alexa Rank 1,3M ⓘ Ver os últimos episódios ⋅ Obter contato por e-mail

5. Podcast Love Food

Greensboro, Carolina do Norte, Estados Unidos Sobre Podcast Especialista em comportamento alimentar e anfitriã, Julie Duffy Dillon está arregaçando as mangas para chegar ao fundo do que é realmente saudável. Este premiado nutricionista visto em My Big Fat Fabulous Life do TLC tem um segredo: a comida não é seu inimigo e seu corpo está cansado dos ataques constantes. Os tópicos do programa incluem alimentação emocional, alimentação intuitiva, preocupações com o peso, compulsão alimentar, ortorexia, imagem corporal, distúrbios alimentares, dieta, paternidade e alimentação saudável, alimentação sob estresse, dependência alimentar, alimentação consciente, abordagens não dietéticas e muito mais. Frequência 1 episódio / semana, duração média do episódio 30 min Desde a Janeiro de 2016 Podcast juliedillonrd.com/lovefoodpo ..
Fãs do Facebook 3K ⋅ Seguidores do Twitter 5,3K ⋅ Autoridade de Domínio 43 ⓘ ⋅ Alexa Rank 1,4M ⓘ Ver os últimos episódios ⋅ Obter contato por e-mail

6. Revolução Humana Saudável

Sobre Podcast Dr. Laurie Marbas traz para você as histórias mais inspiradoras de indivíduos vencendo doenças crônicas, superando obstáculos incríveis e os especialistas para ajudá-lo a encontrar a saúde. Mudar a saúde mudando os alimentos que comemos. Frequência 1 episódio / semana, duração média do episódio 52 min Desde a Outubro 2016 Podcast soundcloud.com/laurie-marbas
Seguidores do Twitter 19 ⋅ Social Engagement 13 ⓘ ⋅ Autoridade de domínio 93 ⓘ ⋅ Alexa Rank 141 ⓘ Exibir episódios mais recentes ⋅ Obter contato por e-mail

7. Programa de Nutrição de Maria

Seattle, Washington, Estados Unidos Sobre Podcast Mary é nutricionista dietista registrada (RDN) com mestrado em Nutrição Clínica (MS) pela Bastyr University. Tenho 10 anos de experiência em nutrição profissional: aconselhamento individual, apresentação em conferências, palestras em grupos e treinamento de outros profissionais. Tudo isso em clínicas, em empresas, em faculdades e universidades, em um livro didático de nutrição, por meio de webinars online, em revistas, no rádio e na TV. Frequência 1 episódio / semana, duração média do episódio 27 min Desde a Julho de 2017 Também em Podcasts de nutrição Podcast marypurdy.co/category/podcasts
Fãs do Facebook 1,3K ⋅ Seguidores do Twitter 820 ⋅ Autoridade de Domínio 30 ⋅ Alexa Rank 5,1M Exibir últimos episódios ⋅ Obter e-mail Contato

8. Escola de alimentação: mais inteligente, mais forte, mais enxuta.

Zurique, Zurique, Suíça Sobre Podcast Com a missão de inspirar um mundo onde a comida nos torna melhores. A verdade sobre alimentos e produtos alimentícios. Comida, nós e o planeta. Comida e saúde, e por que nosso prato é a ferramenta de autodesenvolvimento mais poderosa e revolucionária definitiva. Sintonize e ouça o que a apresentadora Angela Shurina tem a dizer sobre saúde, alimentação e todas as coisas relacionadas. Frequência 3 episódios / semana, duração média do episódio 19 min Desde a Set 2017 Podcast buzzsprout.com/126971
Seguidores do Twitter 3,3K ⋅ Seguidores do Instagram 8,5K ⋅ Autoridade de domínio 76 ⋅ Alexa Rank 3,9K Exibir episódios mais recentes ⋅ Obter contato por e-mail

9. Quick Bites by Mind Over Food

Beverly, Massachusetts, Estados Unidos Sobre Podcast Quer aprender algumas dicas rápidas sobre alimentação saudável que você pode incorporar em sua vida agora? Mudar seu estilo de vida para incluir escolhas mais saudáveis ​​tem tudo a ver com mudar seu pensamento. Sou Andi Freedman e criei minha empresa Mind Over Food combinando minha paixão por saúde, nutrição e boa forma com minha experiência em terapia cognitivo-comportamental. A série My Quick Bites oferece dicas e truques em um formato fácil e "mastigável" para ajudar a mudar sua maneira de pensar sobre comida e comer, de forma que fazer escolhas alimentares nutritivas é algo natural. Frequência 1 episódio / semana, duração média do episódio 24 min Desde a Outubro de 2019 Podcast anchor.fm/mind-over-food
Seguidores do Twitter 33 ⋅ Autoridade de domínio 81 ⋅ Alexa Rank 1,9K Ver episódios mais recentes ⋅ Obter contato por e-mail

10. Deixe meu povo comer

Los Angeles, Califórnia, Estados Unidos Sobre Podcast Em Let My People Eat, a co-apresentadora Jill Sharfman, uma nutricionista holística, e a Dra. Andrea Moskowitz, MD, falam sobre comida, armando você com o conhecimento e a confiança para comer, sentir e ser saudável todos os dias. Nossa abordagem nutricional é baseada no sistema Eating for Health do Dr. Ed Bauman, que ensina os prazeres intrínsecos de escolher alimentos nutritivos e comê-los com atenção e gratidão. O estilo de vida kosher é um tipo especial de frustração alimentar, pois comer é um símbolo de celebração e conexão e uma característica consagrada pelo tempo em todos os sábados, feriados e eventos comunitários. Frequência 1 episódio / semana, duração média do episódio 39 min Desde a Novembro de 2018 Podcast letmypeopleeat.com/episodes
Seguidores do Twitter 2 ⋅ Autoridade de domínio 10 ⋅ Ver os episódios mais recentes ⋅ Obter contato por e-mail

11. Comer é saudável

Londres, Inglaterra, Reino Unido Sobre Podcast Aqui vamos discutir sobre os aspectos saudáveis ​​da vida, como como podemos reduzir a ingestão de açúcar, praticar esportes, escolher alimentos, doces e dicas e truques para fazê-los. Frequência 1 episódio / dia, duração média do episódio 12 min Desde a Setembro de 2019 Podcast eatshealthy.podbean.com
Seguidores do Twitter 258 ⋅ Autoridade de domínio 89 ⋅ Ver os episódios mais recentes ⋅ Obter contato por e-mail

12. Nutrição Franca

Nazareth, Pensilvânia, Estados Unidos Sobre Podcast Você já se sentiu muitas vezes confuso sobre o que comer e o que é verdadeiramente saudável? Bem, você está no lugar certo, discutiremos todas as tendências mais recentes de saúde e nutrição para analisar o que é real e o que é uma verdadeira perda de tempo. Frequência 1 episódio / semana, duração média do episódio 17 min Desde a Março de 2019 Podcast buzzsprout.com/269067
Seguidores do Twitter 334 ⋅ Autoridade de domínio 76 ⋅ Alexa Rank 4K Ver episódios mais recentes ⋅ Obter contato por e-mail

13. Arte de Comer

Nova York, Estados Unidos Sobre Podcast Bem-vindo a A Arte de Comer: Um Guia Holístico para uma Vida Saudável com seus anfitriões Dr. Vincent Esposito e Dr. Kali Olsen. Explicamos a conexão entre as escolhas diárias e como elas influenciam a forma como nos sentimos. Fique conosco para aprender soluções práticas e do mundo real para uma vida mais saudável usando alimentos reais e mudanças de estilo de vida reais. Frequência 1 episódio / dia, duração média do episódio 39 min Desde a Fevereiro de 2019 Podcast buzzsprout.com/249858
Autoridade de Domínio 76 ⋅ Alexa Rank 4,4K Ver os últimos episódios ⋅ Obter contato por e-mail

14. O que diabos eu como?

Sobre Podcast Nutrição servida sem o lado da BS. Apresentado por Monica Fenwick e Nadia Felsch, duas nutricionistas orgulhosamente imperfeitas, qualificadas por ensino superior, não por mídia social. A cada episódio, estamos aqui para vasculhar as manchetes e mitos, para fornecer a você as ferramentas para cortar tudo isso. Para questionar o que você vê, ouve e lê, a fim de tomar as melhores decisões para você. Para viver uma vida saudável não determinada por influenciadores de mídia social, produtos de baixa qualidade e cultura dietética. Queremos mudar a conversa sobre alimentação e a chamada saúde. Frequência 4 episódios / trimestre, duração média do episódio 43 min Desde a Maio de 2019 Podcast buzzsprout.com/316481
Social Engagement 8 ⋅ Autoridade de domínio 76 ⋅ Alexa Rank 4K Ver episódios mais recentes ⋅ Obter contato por e-mail

15. The Daily Dollop

Sobre Podcast Um podcast diário com muitos conselhos da nutricionista registrada Kate Freeman. O Daily Dollop chama um 'woo' nutricional, elimina o estresse alimentar e ensina como criar hábitos alimentares saudáveis ​​em vez de fazer dieta. Frequência 1 episódio / dia, duração média do episódio 17 min Desde a Setembro de 2020 Podcast healthyeatinghub.com.au/the- ..
Autoridade de Domínio 35 ⋅ Alexa Rank 1,2M Ver episódios mais recentes ⋅ Obter contato por e-mail

16. Podcast Herb 'N Wisdom and Natural Living

Estados Unidos Sobre Podcast O podcast Herb 'N Wisdom and Natural Living é sobre o que há de melhor em ervas, alimentação saudável e vida natural em geral. Frequência 3 episódios / mês, duração média do episódio 7 min Desde a Março de 2016 Podcast heatherearles.com/blog
Fãs do Facebook 73 ⋅ Seguidores do Twitter 5,5K ⋅ Engajamento social 5 ⋅ Autoridade de domínio 19 ⋅ Ver os últimos episódios ⋅ Obter contato por e-mail

17. Podcast de Nutrição Infantil

Londres, Inglaterra, Reino Unido Sobre Podcast A alimentação saudável na nutrição infantil é um podcast apresentado por Bahee Van de Bor, uma nutricionista pediátrica com 14 anos de experiência em um hospital infantil de renome mundial. Preocupado com um comedor exigente? Ou talvez você siga sua própria dieta sendo vegano ou vegetariano e não tenha certeza de como começar a desmamar seu recém-nascido. Fique ligado a cada quinze dias para dicas práticas e estratégias sobre como incentivar uma alimentação saudável, como lidar com alergias alimentares comuns, como alergia ao leite em bebês e crianças, e dicas para preparar receitas deliciosas para sua família. Frequência 2 episódios / mês, duração média do episódio 25 min Desde a Janeiro de 2019 Também em Podcasts de comida infantil Podcast healthyeatingforkids.libsyn.com
Fãs do Facebook 738 ⋅ Seguidores do Twitter 3,5K ⋅ Social Engagement 9 ⋅ Autoridade de Domínio 9 ⋅ Alexa Rank 4,9K Ver últimos episódios ⋅ Obter e-mail Contato

18. Mais do que você come

Sobre Podcast A nutricionista nutricionista registrada, Rachel Goodman, ajuda as mulheres a abandonar a dieta, curar sua relação com os alimentos, promover uma imagem corporal positiva e nutrir o corpo com confiança, alegria e segurança. Ouça o podcast Beyond the Food para dicas, conselhos e suporte tangíveis enquanto Rachel entrevista especialistas no espaço Alimentação Intuitiva, Imagem Corporal e Bem-Estar sobre como tirar o estresse e viver sua vida mais saudável, feliz e plena. Frequência 2 episódios / mês, duração média do episódio 47 min Desde a Maio de 2019 Podcast rachelgoodnutrition.com/podcast
Fãs do Facebook 530 ⋅ Autoridade de domínio 18 ⋅ Exibir episódios mais recentes ⋅ Obter contato por e-mail

19. Alimentação saudável para mulheres ocupadas

Flórida, Estados Unidos Sobre Podcast A Coach de Saúde Certificada, Kat Rentas, responde no Podcast de Alimentação Saudável para Mulheres Ocupadas. Cada episódio é projetado para fornecer etapas acionáveis ​​a cada semana, para que você possa mudar seus hábitos alimentares para sempre. A especialidade de Kat é ajudar mulheres de alto desempenho a superar seus desafios alimentares e corporais únicos, para que possam se tornar comedores naturalmente saudáveis. Este podcast permitirá que você tome medidas imediatas para mudar seus hábitos alimentares sem restrições ou sobrecarregar. Assim, você pode finalmente fazer com que uma alimentação saudável pareça fácil, agradável e sem esforço para você. Frequência 1 episódio / semana, duração média do episódio 22 min Desde a Julho de 2020 Podcast katrentas.com/category/podcast
Seguidores do Twitter 6 ⋅ Autoridade de domínio 1 ⋅ Ver os episódios mais recentes ⋅ Obter contato por e-mail

20. Poder sobre os alimentos

Coventry, Inglaterra, Reino Unido Sobre Podcast Power Over Food é um podcast instigante para ajudá-lo a explorar sua relação com a comida. Para qualquer pessoa em uma jornada para perder peso, seja em um plano de dieta ou seguindo um regime alimentar saudável. Frequência 1 episódio / semana, duração média do episódio 24 min Desde a Setembro de 2020 Podcast jennymc.com/podcasts.php
Seguidores do Twitter 39 ⋅ Autoridade de domínio 6 ⋅ Ver os episódios mais recentes ⋅ Obter contato por e-mail

21. O Podcast da Comunidade de Nutrição

Califórnia, Estados Unidos Sobre Podcast O Podcast da Comunidade de Nutrição explora nossa relação com a comida e como comer com alegria, mas de maneira equilibrada. Com base em pesquisas científicas, compartilhamos bons conselhos práticos para uma alimentação e uma vida saudáveis. A abordagem realista de Matt e Alice irá mantê-lo ouvindo enquanto compartilhamos nossa jornada pessoal também. O objetivo é refletir sobre pequenas e simples mudanças que você pode fazer agora para desfrutar de mais saúde e felicidade no futuro! Frequência 1 episódio / mês, duração média do episódio 26 min Desde a Setembro de 2020 Podcast buzzsprout.com/1230881
Autoridade de Domínio 76 ⋅ Alexa Rank 4,4K Ver os últimos episódios ⋅ Obter contato por e-mail

22. Vegano ou não

Sobre Podcast Ouça as discussões sobre alimentação saudável, sustentabilidade e como ter sucesso em sua jornada pela saúde, seja você vegano ou não! Frequência 1 episódio / semana, duração média do episódio 23 min Desde a Outubro de 2020 Podcast listennotes.com/podcasts/veg ..
Autoridade de domínio 64 ⋅ Alexa Rank 11.1K Exibir episódios mais recentes ⋅ Obter contato por e-mail

23. EXPLOSÃO DE SABORES DE MCHEF

Las Vegas, Nevada, Estados Unidos Sobre Podcast Este podcast inspira uma alimentação saudável e saudável e um estilo de vida equilibrado que explode todos os dias com um pouco de tempero mágico. Chef Marie e Lee Cummings, Foodie-Fit at Heart falam sobre tendências culinárias, comida de todo o mundo, Gastronomia é um estilo de vida. Os principais assuntos são nutrição: dicas para uma alimentação limpa com a Chef Marie no. 1 Regra: Chega de comida simples, mesmo que você tenha alguma restrição alimentar. Frequência 1 episódio / trimestre, duração média do episódio 41 min Desde a Junho de 2019 Podcast mchef.com/podcast
Seguidores do Twitter 837 ⋅ Social Engagement 3 ⋅ Autoridade de domínio 26 ⋅ Ver os episódios mais recentes ⋅ Obter contato por e-mail


Como se alimentar de maneira saudável durante a viagem: antes da viagem

Um pouco de planejamento pode levar a grande maneira quando se trata de uma alimentação saudável durante a viagem.

Antes de sair, tome uma decisão sobre quais alimentos são um grande & # 8220não-não & # 8221 para você e quais alimentos você está disposto a comer & # 8220slide & # 8221 sobre. Para mim, um não-não é o glúten porque sou sensível a isso. My & # 8220slides & # 8221 são itens fritos como batata-doce frita. Ao fazer isso, você se livrará de brincadeiras mentais estressantes quando surgirem oportunidades e diminuirá suas chances de experimentar qualquer & # 8220 desagradável & # 8221 pós-consumo & # 8221 no dia seguinte (e sim, falo por experiência própria.) Você também poderá planejar com antecedência melhor que tipo de alimentos levar com você e quanto você precisará.

O hotel

Pesquise hotéis que oferecem um mini geladeira no quarto. Você não apenas poderá armazenar alimentos que promovem a saúde em seu quarto para fácil acesso, mas também economizará muito dinheiro trazendo seu próprio café da manhã, almoço e / ou lanches que podem aumentar rapidamente nas férias.

Se você estiver procurando por alguns hotéis diferentes, pesquise cada um no google maps antes de fazer a reserva para ver a que distância eles estão dos arredores mercearias e mercados. Quanto mais próximos estiverem, mais fácil será fazer uma ou duas paradas durante a viagem. Você pode pegar coisas simples como água engarrafada ou até mesmo itens perecíveis como frutas ou vegetais e mergulhar.

Por último, faça uma pesquisa sobre o que o café da manhã do hotel tem a oferecer (especialmente se for grátis!) Estocar ovos cozidos ou frutas do buffet de café da manhã pode servir como café da manhã ou lanche durante a sua viagem. Ligue para o hotel com antecedência ou verifique as avaliações sobre o hotel no Trip Advisor (especificamente, pesquise & # 8220 café da manhã & # 8221.)

O que me leva à minha última e última dica: use o máximo de sites de avaliação como Yelp ou Trip Advisor para pesquisar a cidade que você está visitando, juntamente com palavras-chave como & # 8220paleo & # 8221, & # 8220farm para a mesa & # 8221 ou & # 8220 alimentado com grama & # 8221 (dependendo do estilo de vida escolhido, é claro.) Por exemplo, no Trip Advisor , você pode pesquisar cidade + (palavra-chave escolhida) na barra de pesquisa principal, que fornecerá comentários que as pessoas fizeram sobre restaurantes e hotéis naquela cidade usando aquela palavra-chave específica. Foi assim que encontrei um hotel que servia opções de café da manhã sem glúten e restaurantes para visitar em uma recente viagem a Boston.

A comida

Você pode facilmente levar uma variedade de itens perecíveis e não perecíveis com você, dependendo da duração da viagem e de quanto espaço você tem para embalar os alimentos. Isso pode ir facilmente com você no carro, e você pode levar bastante comida com você em sua mala ou direto em sua bagagem de mão pelo segurança.

Alimentos perecíveis

Para alimentos perecíveis, tome um resfriador ou cooler & # 8220shoulder & # 8221 bag junto com pacotes de gelo de gel para manter os alimentos frios durante o tempo de viagem. Ao voar, se você não tiver certeza se sua fonte de gelo é segura, leve um grande saco plástico ziplock e consiga gelo em uma loja de bebidas assim que estiver no terminal.

Eu pessoalmente levo um refrigerador elétrico comigo em todas as viagens de carro, que se conecta ao carro ou a uma tomada para se transformar em uma geladeira sob demanda.

Para manter os alimentos frescos, é melhor armazená-los em local hermético (e à prova de derramamento!) aço inoxidável ou sem BPA recipientes de plástico que podem se encaixar perfeitamente no espaço que você tem disponível.

Opções para alimentos perecíveis adequados para viagens:

  • Legumes como cenoura e brócolis jogados azeite ou mergulhado em manteiga de amêndoa
  • Ovos cozidos (pré-descascados!)
  • Batata doce assada pré-cozida
  • Carnes como camarão, frango ou carne pré-cortada em tiras
  • Pacotes de dose única de guacamole
  • Fatias de queijos de leite cru
  • Salada pré-preparada (sim, você posso passe pela segurança com o curativo!)

Para voos longos, preparar refeições para viagem. Alimentos secos são perfeitamente aceitáveis ​​para levar na bagagem de mão, então leve o quanto precisar. Eu normalmente embalo uma grande salada com carne (pré-temperada com meu azeite favorito) para comer no avião durante as refeições. Isso significa que geralmente estamos satisfeitos e felizes até que nos acomodemos em nosso destino.

Alimentos não perecíveis

Alimentos embalados ou alimentos que não precisam de refrigeração imediata são ótimas refeições e lanches de emergência, especialmente ao passar o tempo no exterior ou trabalhar muitas horas longe do hotel para o trabalho. Você pode embalar grandes estoques desses alimentos em sua mala e levar o que desejar na sua bagagem de mão para uso imediato.

Opções para alimentos necessários para viagens & # 8220 sem geladeira & # 8221:

  • Jerky like Barras épicas ou CHOMPS
  • Barras como RXBAR, Larabars, ou Quadrados simples
  • Nozes e sementes (ou misturas pré-fabricadas)
  • Frutas secas ou liofilizadas (manga desidratada ou chips de maçã)
  • Pacotes individuais de manteiga de amêndoa ou manteiga de coco
  • Pacotes individuais de óleo de côco
  • Salmão selvagem (em uma bolsa, não em uma lata!)
  • Frutas frescas como maçãs, bananas, abacates ou laranjas

Dica bônus! Faça sua própria viagem & # 8220 & # 8221 sal marinho não processado, azeite para vestir e sobremesas que você gosta, como chocolate escuro ou biscoitos. Os restaurantes geralmente oferecem sal de mesa processado, molhos feitos de óleos vegetais e sobremesas pesadas que podem causar inchaço, dores de cabeça e problemas digestivos desagradáveis ​​durante a viagem. (e ninguém tem tempo para diarreia na Disney World!)

Os acessórios

Uns poucos acessórios para viagens como garfos reutilizáveis, pratos, uma pequena faca afiada e guardanapos de pano ajudarão enquanto você come a comida que trouxe com você. Você também pode levar uma garrafa de viagem de Dr. Bronner & # 8217s sabonete líquido de castela para enxaguar seus utensílios e recipientes na pia após usá-los.

Pegue o seu garrafa de água reutilizável e Caneca de café para usar durante a viagem. Isso eliminará o custo e o desperdício de quantidades infinitas de garrafas plásticas de água e copos que podem acumular durante a viagem. Se estiver voando, você precisará esvaziar sua garrafa de água antes de passar pela segurança.

Não tenha vergonha de pegar qualquer outra pequena comodidade que o faça se sentir confortável e feliz. Isso inclui suplementos que você pode tomar, como magnésio ou probióticos, ou saquinhos de seu chá favorito que você gosta de beber pela manhã. Especialmente ao viajar com frequência a trabalho, manter uma rotina semianormal é crucial para a saúde geral e longevidade.


7. Verifique sua pressão arterial regularmente


Foto: WHO / F. Tanggol
A hipertensão, ou pressão alta, é chamada de & ldquosilent killer & rdquo. Isso ocorre porque muitas pessoas que têm hipertensão podem não estar cientes do problema, pois ele pode não apresentar nenhum sintoma. If left uncontrolled, hypertension can lead to heart, brain, kidney and other diseases. Have your blood pressure checked regularly by a health worker so you know your numbers. If your blood pressure is high, get the advice of a health worker. This is vital in the prevention and control of hypertension.


How to Get Kids to Eat Vegetables and Healthy Foods

A nutritionist (and mom of 7-year-old triplets!) gives tried-and-true tips for getting your kids to eat vegetables, try new foods, and more.

Every single day, I deal with picky eaters both big and small. I&aposm the mother of 7-year-old triplets, all of whom have very different eating habits I&aposm also a dietitian who teaches the professional athletes on the Chicago Bears and Chicago Bulls teams how to improve their diets. Although it&aposs tough to convince a towering basketball player or a 300-pound linebacker that junk food is bad for him, trying to get my kids to eat well can be even more of a challenge.

My daughter Kathleen has severe and life-threatening allergies to eggs, peanuts, and tree nuts, and Julia will not eat fresh fruit. Luckily, my son, Marty, will try just about anything. Mothers constantly tell me that they feel guilty about their children&aposs diets they know how important it is to feed their kids healthy foods, but they&aposre just not sure how to do it. Despite my own background in nutrition, I had to go through some trial and error with my triplets.

Here are the most important lessons I&aposve learned, which should help you guide your kids to eat better.

Schedule meals and snacks. Children need to eat every three to four hours: three meals, two snacks, and lots of fluids. If you plan for these, your child&aposs diet will be much more balanced and they&aposll be less cranky. I put a cooler in the car when I&aposm out with my kids and stock it with carrots, pretzels, yogurt, and water so we don&apost have to rely on fast food.

Plan dinner menus in advance. If planning a weekly menu is too daunting, start with two or three days at a time. A good dinner doesn&apost have to be fancy, but it should be balanced: whole-grain bread, rice, or pasta a fruit or a vegetable and a protein source like lean meat, cheese, or beans. I often make simple entree soups or chili ahead of time and then freeze it at dinnertime, I heat it up and add whole-grain bread and a bowl of sliced apples or melon to round out the meal.

Make one meal for the whole family. A few years ago, I got into a bad habit. I&aposd make two suppers-one that I knew the kids would like and one for my husband and me. It was exhausting. Now I prepare one meal for everybody and serve it family-style so the kids can pick and choose what they want. Children often mimic their parents&apos behavior, so one of these days, they&aposll eat most of the food I serve them.

Don&apost comment on your kids&apos eating habits. As hard as this may be, try not to comment on what or how much your kids are eating. Be as neutral as possible. Remember, you&aposve done your job as a parent by serving balanced meals, and your kids are responsible for eating them. If you play food enforcer-saying things like "eat your vegetables"-your child will only resist.

Introduce new foods slowly. Children are new-food-phobic by nature. I tell my kids that their taste buds must sometimes get used to a flavor before they&aposll like the taste. If you feel that your child isn&apost getting enough nutrients, talk to your pediatrician about the possible benefits of adding a nutrition shake to their eating schedule. 

Make healthy food fun. If your kids won&apost eat vegetables, experiment with condiments and dips. Kathleen tried her first vegetable when I served her a thinly cut carrot with some ranch salad dressing. My children also like ketchup, hummus, salsa, and yogurt-based dressing.

Make mornings count. Most families don&apost eat enough fiber on a daily basis, and breakfast is an easy place to sneak it in. Look for high-fiber cereals as a quick fix. Or make batches of whole-grain pancake and waffle batter that last all week.

Add extra sweetness to get kids to eat vegetables and fruits. Julia eats her cooked carrots with a bit of brown sugar, and I mix a little root beer into her prune juice to make prune-juice soda. Kathleen and Marty like a sprinkle of sugar on their fruit. I know that they&aposll eventually outgrow this need for extra sweetness, but in the meantime, they&aposre eating fruits and vegetables.

Get your kids cooking. If your children become involved in choosing or preparing meals, they&aposll be more interested in eating what they&aposve created. Take them to the store, and let them choose produce for you. If they&aposre old enough, allow them to cut up vegetables and mix them into a salad. Although Julia refuses to eat fresh fruit, we make banana or apple muffins together-and she always eats them once they&aposre done.

Cut back on junk. Remember, you-not your kids-are in charge of the foods that enter the house. By having fewer junk foods around, you&aposll force your children to eat more fruits, vegetables, whole grains, and dairy products.

Allow treats in moderation. Having less healthy foods occasionally keeps them from becoming forbidden-and thus even more appealing. We call candy, soda, and cookies "sometimes" foods. I generally buy only healthy cereals such as Cheerios and Raisin Bran, but I let my kids have sugary cereals when they visit their grandparents or when we&aposre on vacation. And I treat them to McDonald&aposs for lunch every so often.

Get creative with meals. The more creative the meal is, the greater the variety of foods my kids eat. We make smiley-face pancakes and give food silly names. (Broccoli florets are "baby trees" or "dinosaur food.") Anything mini is always a hit too. I often use cookie cutters to turn toast into hearts and stars, which the children love.

Be a good role model. If you&aposre constantly on a diet or have erratic eating habits, your children will grow up thinking that this sort of behavior is normal. Be honest with yourself about the food messages you&aposre sending. Trust your body to tell you when you&aposre hungry and when you&aposre full, and your kids will learn to do the same.

Above all else, realize that what your kids eat over time is what matters. Having popcorn at the movies or eating an ice-cream sundae are some of life&aposs real pleasures. As long as you balance these times with smart food choices and physical activity, your children will be fine.


Gut Foods

The gut microbiome, and the related gut-brain axis, may play a large role in the development of anxiety and depression. The gut microbiome is composed of bacteria, viruses and fungi living in the intestines and has been linked to inflammation, hunger and satiety, blood sugar regulation, allergies, mental health and other metabolic conditions. Inflammation or poor gut health is referred to as dysbiosis and has been linked to several mental illnesses including anxiety and depression. Foods that contain artificial colors, flavors, and sweeteners as well as lack of dietary fiber contribute to gut dysbiosis. Natural, whole foods rich in fiber can improve gut health. Research suggests that the more diverse the diet, the more diverse the microbiome and the more adaptable it will be to distress.

Probiotics may also contribute to restoring gut microbiome function and, therefore, have a potential role in the treatment and prevention of anxiety. A recent study concluded that probiotics taken with physician-prescribed medication were more effective in decreasing anxiety symptoms than medication alone. Further research is needed before concluding that everyone (or everyone with anxiety) should take probiotic supplements. However, it is reasonable to regularly consume foods containing natural probiotics, such as yogurt, kefer, tempeh, kombucha, miso, kimchi and sauerkraut.

Goal: Eat a diverse diet that regularly includes fermented foods. Avoid artificial colors, flavors and sweeteners.


12 Real-World Tactics For Dealing With The Season Of Overeating

Many people have mixed feelings about this time of year. I think it's because the festive season is never just one upbeat note. It's never only happy, only loving, only blazing fires and cherub-cheeked children. The holidays, like life itself, are equally miserable and joyful, filled with both light and shadow. The problem is that we often forget the bad stuff. We forget that last year's family gathering was a semidisaster and believe that this year will be different. We get our hopes up. We enter the holidays with unrealistic expectations of how it's going to be and when it doesn't turn out that way, we often use food to comfort ourselves.

For many years, I led 1-day holiday overeating workshops, listening to people talk about their fears and their joys during the season. I heard what triggered their descent into bingeing and what helped them out of it. Of course, these stories weren't really about food but about how we use it to temporarily help ourselves cope. After the food is gone, whatever causes holiday overeating is still there. Food is only pleasurable, only delicious, only satisfying when you are hungry. In every other situation, something besides eating will comfort you and give you peace.

Here are four holiday overeating triggers with strategies for surviving with your sanity&mdashand waistline&mdashintact.

THE TRIGGER: Going home makes you act like a child.

Photo by AE Pictures Inc./Getty Images

Every time Zoe walks in the door of her mother's house, she stops being an adult and feels about 3 feet tall. "I'm a grown woman, happily married, yet after spending 5 minutes with my older brothers and parents, I feel like the dumb little girl with big buckteeth who always gets left out," Zoe told me. "Then I mindlessly eat anything I can get my hands on. Which is, unfortunately, a lot."

No matter how old you are, your relationships with your parents and siblings may seem like they're set in stone. You're always the nerdy one or the little sister or the "problem child." One way we deal with this is to try to tune out. Or we revert to childhood behaviors or indulge in adult comforts such as holiday overeating. Here are 3 strategies:

1. Remind yourself that you're an adult. At your parents' house, bring along photos, letters, anything that reinforces your connection with your grown-up self. I suggested that Zoe bring a gift from a friend so she could have a concrete, physical object to look at when she felt she was regressing.

2. Spend time alone with your husband or a friend.

Photo by Kevin Kozicki/Getty Images

Go for a walk or a drive. Sneak into a quiet room and shut the door&mdashbut do it with someone from your adult life. This will help keep you grounded in the present.

3. BYO fresh vegetables. Moms love to have our favorites waiting for us when we arrive home. In Zoe's case, that means piles of cookies, cakes, her mom's special vanilla fudge, and no vegetables&mdashunless you count sweet potatoes with marshmallows. I recommended that she bring her own healthy foods with her. It isn't easy, but by having a plan and following through with it, you can stay securely in the present and avoid sliding into old patterns and old ways of eating.

THE TRIGGER: You feel vulnerable about your size.
Joan dreaded her family's Christmas dinner because she'd gained nearly 20 pounds since she'd seen them all last year. "I know my Aunt Mary will say something about my weight," Joan explained, "and because she's mostly deaf, she'll do it at the top of her voice. I'll be absolutely mortified&mdashand I'll eat everything that doesn't eat me first."

Joan's weight and her aunt's lack of a social filter are not the real issues. What is: Joan's self-worth is tied up in a number on a scale, a problem that many women share with her. When you or someone else defines you by your dress size, you start believing that if you're heavy, you must not be special, intelligent, or worth the space you take up. Before the visit, Joan was completely focused on her fears about what people would say and what her weight gain meant (i.e., that she'd always be fat, that she was doomed, unlovable, unforgivable). She needed to change her focus. Here's how:

1. Understand that you're not what you weigh. The size of your body and your self-worth are simply not the same things. To break that association, you need to disregard the negative self-talk that's going on in your head.

2. Learn to recognize hunger cues&mdashan empty feeling or rumbling in your stomach. As you become more aware of what your body is telling you, you'll be better able to eat only when you're hungry and stop when you've had enough. Eating then becomes a physical activity, not an emotional one. (Learn how to recognize your hunger cues with 3 Ways To Tell If You're Actually Hungry.)

3. Have a retort ready. On a very practical level, Joan had to decide how to respond to her aunt's barbs. She could say in a calm, even voice that she finds comments on her body size unhelpful. Or she could handle the situation with humor and say, "You think this is a weight gain? You should have seen what I looked like 2 months ago!" (Check out these 9 other ways to deal with difficult family members.)

4. Change the focus of the conversation. The least-confrontational and often best approach to fielding a hurtful comment is simply shifting the subject without going into any explanation. If Aunt Mary makes a crack about Joan's size, she could deflect it by immediately asking about her aunt's latest vacation. People love talking about themselves to a good listener.

THE TRIGGER: You're surrounded by tempting food.

Photo by Iain Bagwell/Getty Images

Before Christmas, Oona's office resembles the "big rock candy mountain." Last year she feared it would sink her diet efforts like a torpedo. "I was really taking care of myself," she told me. "I ate only when I was hungry and ate just what my body wanted. But when everyone else started eating treats, I felt incredibly deprived if I didn't join in." Oona also didn't want to seem rude by rejecting the food so lovingly prepared by her coworkers. Here's what to do:

1. Sample only the special stuff. There's a big difference between eating homemade rugalach made by your office mate's Great-Grandmother Sadie and a box of store-bought Santa cookies with sprinkles. Eat what will give you the most satisfaction.

2. Listen to your body before, during, and after you eat. If a cookie looks good to you, ask yourself: Do I want it because I think it will curb my hunger or because I want to treat myself? If you really are hungry, then eat it. Enjoy the taste, the texture, and the whole experience of devouring it. But be sure to pay attention to how you feel 10 to 15 minutes afterward. If you're tired, spacey, or depressed, it wasn't really a treat, was it? (Try these 10 little ways to indulge yourself with absolutely no guilt.)

THE TRIGGER: You're supposed to be joyful. but you're not.

Photo by Kemi H Photography/Getty Images

Last year, Melissa's best friend was killed in a traffic accident right before Thanksgiving. Even though some time has passed, Melissa still doesn't feel much like celebrating. In fact, seasonal images of happy families make her cry&mdashand eat, in an effort to bury her feelings, which seem so out of place in the face of all that "joy to the world."

It's not unusual to have what are called anniversary reactions around the time of a loss. Nor is it uncommon to feel blue during the holidays because of family dramas and societal pressures to be happy. In both cases, you experience a disconnect between what you think you should be feeling and what you actually feel. Despite your grief, there are a number of steps you can take to get through&mdashand even find meaning in&mdashthe holidays.

1. Take time for tears. Losing someone you love is huge, and the feelings need to be honored and given space. I told Melissa that her job was to allow herself to feel the loss. She agreed to set a timer for 10 minutes, three times a day&mdashand just lie on her bed and weep. "It's a relief to be able to express my feelings, as big and sad as they are," she told me. "Putting a time limit on them also lets me pay attention to the rest of my life."

2. Find activities you can enjoy. Melissa knows she doesn't want to do anything that feels "holiday-ish," but there are other ways to keep busy and make sure she isn't spending all her time mourning. A few suggestions: going cross-country skiing, seeing a movie, or heading to a day spa for pampering.

3. Socialize on a small scale. In discussing her plans with me, Melissa realized that being with a big group made her feel lonely (and when she felt lonely, she ate more). She decided that it was best for her to be with one person at a time, so instead of making the party rounds, Melissa celebrated by having quiet dinners with close friends and family members. By paying attention to her own needs for contact, Melissa is able to feel her grief and honor her loss, but not become so swamped by sadness that she turns to food for solace.