Novas receitas

Transforme seus sonhos culinários em realidade no Brooklyn’s FoodWorks

Transforme seus sonhos culinários em realidade no Brooklyn’s FoodWorks

A empresa também abriu recentemente um local em Providence, Rhode Island

FoodWorks planeja abrir três a quatro locais mais este ano.

Iniciar sua empresa de alimentos nunca é fácil, especialmente em Nova York, mas a cozinha colaborativa e a incubadora de alimentos FoodWorks em Brooklyn está aqui para ajudá-lo a lançar seu negócio e construir seu império de alimentos.

O FoodWorks não só fornece um espaço de trabalho para empreendedores, mas também uma oportunidade de se conectar com mentores, parceiros estratégicos e serviços que podem ajudar a iniciar um pequeno negócio, de acordo com a empresa local na rede Internet.

Para ter uma ideia do que é FoodWorks, a empresa está realizando um evento na quarta-feira, 12 de julho, chamado “Meet the Makers”. Durante o evento, os convidados podem ser os primeiros a ver o espaço e se misturar com as empresas de alimentos locais, incluindo Keeper’s Coffee Soda, Ra Bliss Balls, Bad Seed Chili Granola e Aida Snacks.

O evento acontecerá no FoodWorks Brooklyn em 630 Flushing Avenue a partir das 18h. às 20h00 Os convidados podem confirmar presença no evento por US $ 10 conectados.


"Conexão" é o ingrediente-chave

Dentro da Fork Food Lab, a primeira incubadora de alimentos de Portland, os membros que representam 27 empresas de alimentos especializados que alugam o espaço da cozinha compartilhada estão construindo mais do que produtos alimentícios; eles estão construindo negócios e conexões. Seja fazendo pedidos para reduzir custos, compartilhando informações sobre experiências com um consultor de embalagens ou dando dicas sobre como aumentar o volume de produção, cada empresa individual faz parte de um esforço coletivo maior.

“Queríamos começar a Fork para criar um ambiente onde muitos empreendedores de alimentos pudessem trabalhar uns com os outros para colaborar, aprender e se divertir. No final do dia, os humanos querem se conectar. Nós nos saímos melhor mentalmente e em termos de negócios quando estamos perto de outras pessoas. ” & # 8212 Co-fundador do Fork Food Lab, Neil Spillane

Construir essa conexão humana foi o cerne da filosofia do Fork Food Lab desde o início.

Para tornar o sonho realidade, Neil Spillane e Eric Holstein, co-fundadores, precisaram primeiro demonstrar o potencial de uma incubadora de alimentos em Portland e, finalmente, encontrar o financiamento necessário. Com o apoio da comunidade esmagador e habilidade de rede, Neil e Eric aproveitaram todos os recursos que conheciam. “Não havia uma pessoa no radar que eu não tivesse abordado”, disse Neil.

Eles perceberam logo no início que montar um pacote de financiamento seria o maior desafio, já que Fork caiu em uma área rara do espectro de investimento e financiamento. Os co-fundadores trabalharam com Art Stevens, oficial de empréstimos da CEI, para determinar as melhores opções de financiamento possíveis para o Fork Food Lab. Entre as várias fontes de financiamento, eles identificaram um empréstimo do SBA, juntamente com um empréstimo do CEI para o financiamento de equipamentos.

“Art Stevens claramente tinha o sucesso do nosso negócio como uma prioridade. A CEI foi a primeira a entrar como financista profissional ”, disse Neil.

Os especialistas do Setor de Agricultura e Alimentos da CEI reconheceram imediatamente que Fork apresenta uma oportunidade única para pequenos produtores de alimentos, muitos dos quais estão criando receitas e produtos com ingredientes locais em suas cozinhas domésticas. “Estamos muito entusiasmados com a Fork porque ela oferece um modelo comprovado para esses fabricantes crescerem e começarem a escalar a produção sem assumir uma instalação cara própria”, disse Daniel Wallace da CEI. “Essencialmente, a Fork fornece um‘ meio termo ’seguro para essas empresas, apoiado por uma série de serviços e conexões para novos mercados.”

Além do empréstimo e assistência técnica, Fork Food Lab trabalhou com o Women's Business Center no CEI, que atualmente tem seis clientes trabalhando na incubadora de alimentos, a equipe de Desenvolvimento de Força de Trabalho e o programa Start Smart conectando startups e negócios de imigrantes para a incubadora de alimentos. No evento público Taste the World realizado em novembro, o Fork Food Lab deu as boas-vindas aos clientes do CEI, Ameera Bread, Asmara Restaurant e Babylon Restaurant, para mostrar comidas étnicas, ensinar sobre outras culturas e oferecer um espaço para empresários de alimentos e a comunidade de Portland se conectarem. um amor compartilhado pela comida. “Esperamos continuar este tipo de colaboração com Fork e outras organizações comunitárias com o objetivo final de apoiar empresas de alimentos de propriedade de imigrantes em estágio inicial”, acrescentou John Scribner, Diretor do programa StartSmart da CEI. Este é apenas um de uma linha robusta de eventos que promovem os talentos e produtos da comunidade de membros da Fork e os conecta com empresas e indivíduos fora da incubadora.

Fork Food Lab ganhou uma enorme quantidade de entusiasmo e impulso, e rapidamente se tornou um dos principais locais de trabalho, espaço para eventos, empreendedorismo, recursos, compartilhamento de conhecimento, oportunidade e conexão de Portland.

“Estamos convencidos de que Fork irá catalisar um crescimento significativo para os pequenos produtores de alimentos que estão entrando na economia alimentar local do Maine”, disse Daniel Wallace. “Além disso, os diretores (Neil e Eric) são incríveis e estão profundamente engajados na comunidade local.”

Em junho de 2017, o Fork Food Lab anunciou uma fusão com a Foodworks, com sede no Brooklyn, uma cozinha compartilhada com o objetivo semelhante de ajudar o crescimento de startups de alimentos. & # 8220Estamos muito entusiasmados com a parceria com uma empresa que compartilha de nossa visão de um sistema alimentar local mais robusto, onde empreendedores com receitas criativas podem crescer estrategicamente ”, disse Spillane, que permanecerá como gerente geral da Fork Food Lab. “Esta fusão permitirá que as empresas Fork Food Lab expandam a distribuição no grande mercado de Nova York e aproveitem os descontos de fornecedores que estão disponíveis para os atuais produtores de Foodworks. & # 8221


"Conexão" é o ingrediente-chave

Dentro da Fork Food Lab, a primeira incubadora de alimentos de Portland, os membros que representam 27 empresas de alimentos especializados que alugam o espaço da cozinha compartilhada estão construindo mais do que produtos alimentícios; eles estão construindo negócios e conexões. Seja fazendo pedidos para reduzir custos, compartilhando informações sobre experiências com um consultor de embalagens ou dando dicas sobre como aumentar o volume de produção, cada empresa individual faz parte de um esforço coletivo maior.

“Queríamos começar a Fork para criar um ambiente onde muitos empreendedores de alimentos pudessem trabalhar uns com os outros para colaborar, aprender e se divertir. No final do dia, os humanos querem se conectar. Nós nos saímos melhor mentalmente e em termos de negócios quando estamos perto de outras pessoas. ” & # 8212 Co-fundador do Fork Food Lab, Neil Spillane

Construir essa conexão humana foi o cerne da filosofia do Fork Food Lab desde o início.

Para tornar o sonho realidade, Neil Spillane e Eric Holstein, co-fundadores, precisaram primeiro demonstrar o potencial de uma incubadora de alimentos em Portland e, finalmente, encontrar o financiamento necessário. Com o apoio da comunidade esmagador e habilidade de rede, Neil e Eric aproveitaram todos os recursos que conheciam. “Não havia uma pessoa no radar que eu não tivesse abordado”, disse Neil.

Eles perceberam logo no início que montar um pacote de financiamento seria o maior desafio, já que Fork caiu em uma área rara do espectro de investimento e financiamento. Os co-fundadores trabalharam com Art Stevens, oficial de empréstimos da CEI, para determinar as melhores opções de financiamento possíveis para o Fork Food Lab. Entre as várias fontes de financiamento, eles identificaram um empréstimo do SBA, juntamente com um empréstimo do CEI para o financiamento de equipamentos.

“Art Stevens claramente tinha o sucesso do nosso negócio como uma prioridade. A CEI foi a primeira a entrar como financista profissional ”, disse Neil.

Os especialistas do Setor de Agricultura e Alimentos da CEI reconheceram imediatamente que Fork apresenta uma oportunidade única para pequenos produtores de alimentos, muitos dos quais estão criando receitas e produtos com ingredientes locais em suas cozinhas domésticas. “Estamos muito entusiasmados com a Fork porque ela oferece um modelo comprovado para esses fabricantes crescerem e começarem a escalar a produção sem assumir uma instalação cara própria”, disse Daniel Wallace da CEI. “Essencialmente, a Fork fornece um‘ meio termo ’seguro para essas empresas, apoiado por uma série de serviços e conexões para novos mercados.”

Além do empréstimo e da assistência técnica, a Fork Food Lab trabalhou com o Women's Business Center do CEI, que atualmente tem seis clientes trabalhando na incubadora de alimentos, a equipe de Desenvolvimento da Força de Trabalho e o programa Start Smart conectando startups e negócios de imigrantes para a incubadora de alimentos. No evento público Taste the World realizado em novembro, o Fork Food Lab deu as boas-vindas aos clientes do CEI, Ameera Bread, Asmara Restaurant e Babylon Restaurant, para mostrar comidas étnicas, ensinar sobre outras culturas e oferecer um espaço para que empreendedores de alimentos e a comunidade de Portland se conectem um amor compartilhado pela comida. “Esperamos continuar este tipo de colaboração com Fork e outras organizações comunitárias com o objetivo final de apoiar empresas de alimentos de propriedade de imigrantes em estágio inicial”, acrescentou John Scribner, Diretor do programa StartSmart da CEI. Este é apenas um de uma linha robusta de eventos que promovem os talentos e produtos da comunidade de membros da Fork e os conecta com empresas e indivíduos fora da incubadora.

Fork Food Lab ganhou uma enorme quantidade de entusiasmo e impulso, e rapidamente se tornou um dos principais locais de trabalho, espaço para eventos, empreendedorismo, recursos, compartilhamento de conhecimento, oportunidade e conexão de Portland.

“Estamos convencidos de que Fork irá catalisar um crescimento significativo para os pequenos produtores de alimentos que estão entrando na economia alimentar local do Maine”, disse Daniel Wallace. “Além disso, os diretores (Neil e Eric) são incríveis e estão profundamente engajados na comunidade local.”

Em junho de 2017, o Fork Food Lab anunciou uma fusão com a Foodworks, com sede no Brooklyn, uma cozinha compartilhada com o objetivo semelhante de ajudar o crescimento de startups de alimentos. & # 8220Estamos muito entusiasmados com a parceria com uma empresa que compartilha nossa visão de um sistema alimentar local mais robusto, onde empreendedores com receitas criativas podem crescer estrategicamente ”, disse Spillane, que permanecerá como gerente geral da Fork Food Lab. “Esta fusão permitirá que as empresas Fork Food Lab expandam a distribuição no grande mercado de Nova York e aproveitem os descontos de fornecedores que estão disponíveis para os atuais produtores de Foodworks. & # 8221


"Conexão" é o ingrediente-chave

Dentro da Fork Food Lab, a primeira incubadora de alimentos de Portland, os membros que representam 27 empresas de alimentos especializados que alugam o espaço da cozinha compartilhada estão construindo mais do que produtos alimentícios; eles estão construindo negócios e conexões. Seja fazendo pedidos para reduzir custos, compartilhando informações sobre experiências com um consultor de embalagens ou dando dicas sobre como aumentar o volume de produção, cada empresa individual faz parte de um esforço coletivo maior.

“Queríamos começar a Fork para criar um ambiente onde muitos empreendedores de alimentos pudessem trabalhar uns com os outros para colaborar, aprender e se divertir. No final do dia, os humanos querem se conectar. Nós nos saímos melhor mentalmente e em termos de negócios quando estamos perto de outras pessoas. ” & # 8212 Co-fundador do Fork Food Lab, Neil Spillane

Construir essa conexão humana foi o cerne da filosofia da Fork Food Lab desde o início.

Para tornar o sonho realidade, Neil Spillane e Eric Holstein, co-fundadores, precisaram primeiro demonstrar o potencial de uma incubadora de alimentos em Portland e, finalmente, encontrar o financiamento necessário. Com o apoio da comunidade esmagador e habilidade de rede, Neil e Eric aproveitaram todos os recursos que conheciam. “Não havia uma pessoa no radar que eu não tivesse abordado”, disse Neil.

Eles perceberam logo no início que montar um pacote de financiamento seria o maior desafio, já que Fork caiu em uma área rara do espectro de investimento e financiamento. Os co-fundadores trabalharam com Art Stevens, oficial de crédito da CEI, para determinar as melhores opções de financiamento possíveis para o Fork Food Lab. Entre as várias fontes de financiamento, eles identificaram um empréstimo do SBA, juntamente com um empréstimo do CEI para financiamento de equipamentos.

“Art Stevens claramente tinha o sucesso do nosso negócio como uma prioridade. A CEI foi a primeira a entrar como financista profissional ”, disse Neil.

Os especialistas do Setor de Agricultura e Alimentos da CEI reconheceram imediatamente que Fork apresenta uma oportunidade única para pequenos produtores de alimentos, muitos dos quais estão criando receitas e produtos com ingredientes locais em suas cozinhas domésticas. “Estamos muito entusiasmados com a Fork porque ela oferece um modelo comprovado para esses fabricantes crescerem e começarem a escalar a produção sem assumir uma instalação cara própria”, disse Daniel Wallace da CEI. “Essencialmente, a Fork fornece um‘ meio termo ’seguro para essas empresas, apoiado por uma série de serviços e conexões para novos mercados.”

Além do empréstimo e assistência técnica, Fork Food Lab trabalhou com o Women's Business Center no CEI, que atualmente tem seis clientes trabalhando na incubadora de alimentos, a equipe de Desenvolvimento de Força de Trabalho e o programa Start Smart conectando startups e negócios de imigrantes para a incubadora de alimentos. No evento público Taste the World realizado em novembro, o Fork Food Lab deu as boas-vindas aos clientes do CEI, Ameera Bread, Asmara Restaurant e Babylon Restaurant, para mostrar comidas étnicas, ensinar sobre outras culturas e oferecer um espaço para empresários de alimentos e a comunidade de Portland se conectarem. um amor compartilhado pela comida. “Esperamos continuar este tipo de colaboração com Fork e outras organizações comunitárias com o objetivo final de apoiar empresas de alimentos de propriedade de imigrantes em estágio inicial”, acrescentou John Scribner, Diretor do programa StartSmart da CEI. Este é apenas um de uma linha robusta de eventos que promovem os talentos e produtos da comunidade de membros da Fork e os conecta com empresas e indivíduos fora da incubadora.

Fork Food Lab ganhou uma enorme quantidade de entusiasmo e impulso, e rapidamente se tornou um dos principais locais de trabalho, espaço para eventos, empreendedorismo, recursos, compartilhamento de conhecimento, oportunidade e conexão de Portland.

“Estamos convencidos de que Fork irá catalisar um crescimento significativo para os pequenos produtores de alimentos que estão entrando na economia alimentar local do Maine”, disse Daniel Wallace. “Além disso, os diretores (Neil e Eric) são incríveis e estão profundamente engajados na comunidade local.”

Em junho de 2017, o Fork Food Lab anunciou uma fusão com a Foodworks, com sede no Brooklyn, uma cozinha compartilhada com o objetivo semelhante de ajudar o crescimento de startups de alimentos. & # 8220Estamos muito entusiasmados com a parceria com uma empresa que compartilha de nossa visão de um sistema alimentar local mais robusto, onde empreendedores com receitas criativas podem crescer estrategicamente ”, disse Spillane, que permanecerá como gerente geral da Fork Food Lab. “Esta fusão permitirá que as empresas Fork Food Lab expandam a distribuição no grande mercado de Nova York e aproveitem os descontos de fornecedores que estão disponíveis para os atuais produtores de Foodworks. & # 8221


"Conexão" é o ingrediente-chave

Dentro da Fork Food Lab, a primeira incubadora de alimentos de Portland, os membros que representam 27 empresas de alimentos especializados que alugam o espaço da cozinha compartilhada estão construindo mais do que produtos alimentícios; eles estão construindo negócios e conexões. Seja fazendo pedidos para reduzir custos, compartilhando informações sobre experiências com um consultor de embalagens ou dando dicas sobre como aumentar o volume de produção, cada empresa individual faz parte de um esforço coletivo maior.

“Queríamos começar a Fork para criar um ambiente onde muitos empreendedores de alimentos pudessem trabalhar uns com os outros para colaborar, aprender e se divertir. No final do dia, os humanos querem se conectar. Nós nos saímos melhor mentalmente e em termos de negócios quando estamos perto de outras pessoas. ” & # 8212 Co-fundador do Fork Food Lab, Neil Spillane

Construir essa conexão humana foi o cerne da filosofia da Fork Food Lab desde o início.

Para tornar o sonho realidade, Neil Spillane e Eric Holstein, co-fundadores, precisaram primeiro demonstrar o potencial de uma incubadora de alimentos em Portland e, finalmente, encontrar o financiamento necessário. Com o apoio da comunidade esmagador e habilidade de rede, Neil e Eric aproveitaram todos os recursos que conheciam. “Não havia uma pessoa no radar que eu não tivesse abordado”, disse Neil.

Eles perceberam logo no início que montar um pacote de financiamento seria o maior desafio, já que Fork caiu em uma área rara do espectro de investimento e financiamento. Os co-fundadores trabalharam com Art Stevens, oficial de crédito da CEI, para determinar as melhores opções de financiamento possíveis para o Fork Food Lab. Entre as várias fontes de financiamento, eles identificaram um empréstimo do SBA, juntamente com um empréstimo do CEI para o financiamento de equipamentos.

“Art Stevens claramente tinha o sucesso do nosso negócio como uma prioridade. A CEI foi a primeira a entrar como financista profissional ”, disse Neil.

Os especialistas do Setor de Agricultura e Alimentos da CEI reconheceram imediatamente que Fork apresenta uma oportunidade única para pequenos produtores de alimentos, muitos dos quais estão criando receitas e produtos com ingredientes locais em suas cozinhas domésticas. “Estamos muito entusiasmados com a Fork porque ela oferece um modelo comprovado para esses fabricantes crescerem e começarem a escalar a produção sem assumir uma instalação cara própria”, disse Daniel Wallace da CEI. “Essencialmente, a Fork fornece um‘ meio termo ’seguro para essas empresas, apoiado por uma série de serviços e conexões para novos mercados.”

Além do empréstimo e da assistência técnica, a Fork Food Lab trabalhou com o Women's Business Center do CEI, que atualmente tem seis clientes trabalhando na incubadora de alimentos, a equipe de Desenvolvimento da Força de Trabalho e o programa Start Smart conectando startups e negócios de imigrantes para a incubadora de alimentos. No evento público Taste the World realizado em novembro, o Fork Food Lab deu as boas-vindas aos clientes do CEI, Ameera Bread, Asmara Restaurant e Babylon Restaurant, para mostrar comidas étnicas, ensinar sobre outras culturas e oferecer um espaço para empresários de alimentos e a comunidade de Portland se conectarem. um amor compartilhado pela comida. “Esperamos continuar este tipo de colaboração com Fork e outras organizações comunitárias com o objetivo final de apoiar empresas de alimentos de propriedade de imigrantes em estágio inicial”, acrescentou John Scribner, Diretor do programa StartSmart da CEI. Este é apenas um de uma linha robusta de eventos que promovem os talentos e produtos da comunidade de membros da Fork e os conecta com empresas e indivíduos fora da incubadora.

Fork Food Lab ganhou uma enorme quantidade de entusiasmo e impulso, e rapidamente se tornou um dos principais locais de trabalho, espaço para eventos, empreendedorismo, recursos, compartilhamento de conhecimento, oportunidade e conexão de Portland.

“Estamos convencidos de que Fork irá catalisar um crescimento significativo para os pequenos produtores de alimentos que estão entrando na economia alimentar local do Maine”, disse Daniel Wallace. “Além disso, os diretores (Neil e Eric) são incríveis e estão profundamente engajados na comunidade local.”

Em junho de 2017, o Fork Food Lab anunciou uma fusão com a Foodworks, com sede no Brooklyn, uma cozinha compartilhada com o objetivo semelhante de ajudar o crescimento de startups de alimentos. & # 8220Estamos muito entusiasmados com a parceria com uma empresa que compartilha nossa visão de um sistema alimentar local mais robusto, onde empreendedores com receitas criativas podem crescer estrategicamente ”, disse Spillane, que permanecerá como gerente geral da Fork Food Lab. “Esta fusão permitirá que as empresas Fork Food Lab expandam a distribuição no grande mercado de Nova York e aproveitem os descontos de fornecedores que estão disponíveis para os atuais produtores de Foodworks. & # 8221


"Conexão" é o ingrediente-chave

Dentro da Fork Food Lab, a primeira incubadora de alimentos de Portland, os membros que representam 27 empresas de alimentos especializados que alugam o espaço da cozinha compartilhada estão construindo mais do que produtos alimentícios; eles estão construindo negócios e conexões. Seja fazendo pedidos para reduzir custos, compartilhando informações sobre experiências com um consultor de embalagens ou dando dicas sobre como aumentar o volume de produção, cada empresa individual faz parte de um esforço coletivo maior.

“Queríamos começar a Fork para criar um ambiente onde muitos empreendedores de alimentos pudessem trabalhar uns com os outros para colaborar, aprender e se divertir. No final do dia, os humanos querem se conectar. Nós nos saímos melhor mentalmente e em termos de negócios quando estamos perto de outras pessoas. ” & # 8212 Co-fundador do Fork Food Lab, Neil Spillane

Construir essa conexão humana foi o cerne da filosofia da Fork Food Lab desde o início.

Para tornar o sonho realidade, Neil Spillane e Eric Holstein, co-fundadores, precisaram primeiro demonstrar o potencial de uma incubadora de alimentos em Portland e, finalmente, encontrar o financiamento necessário. Com o apoio da comunidade esmagador e habilidade de rede, Neil e Eric aproveitaram todos os recursos que conheciam. “Não havia uma pessoa no radar que eu não tivesse abordado”, disse Neil.

Eles perceberam logo no início que montar um pacote de financiamento seria o maior desafio, já que Fork caiu em uma área rara do espectro de investimento e financiamento. Os co-fundadores trabalharam com Art Stevens, oficial de crédito da CEI, para determinar as melhores opções de financiamento possíveis para o Fork Food Lab. Entre as várias fontes de financiamento, eles identificaram um empréstimo do SBA, juntamente com um empréstimo do CEI para o financiamento de equipamentos.

“Art Stevens claramente tinha o sucesso do nosso negócio como uma prioridade. A CEI foi a primeira a entrar como financista profissional ”, disse Neil.

Os especialistas do Setor de Agricultura e Alimentos da CEI reconheceram imediatamente que Fork apresenta uma oportunidade única para pequenos produtores de alimentos, muitos dos quais estão criando receitas e produtos com ingredientes locais em suas cozinhas domésticas. “Estamos muito entusiasmados com a Fork porque ela oferece um modelo comprovado para esses fabricantes crescerem e começarem a escalar a produção sem assumir uma instalação cara própria”, disse Daniel Wallace da CEI. “Essencialmente, a Fork fornece um‘ meio termo ’seguro para essas empresas, apoiado por uma série de serviços e conexões para novos mercados.”

Além do empréstimo e da assistência técnica, a Fork Food Lab trabalhou com o Women's Business Center do CEI, que atualmente tem seis clientes trabalhando na incubadora de alimentos, a equipe de Desenvolvimento da Força de Trabalho e o programa Start Smart conectando startups e negócios de imigrantes para a incubadora de alimentos. No evento público Taste the World realizado em novembro, o Fork Food Lab deu as boas-vindas aos clientes do CEI, Ameera Bread, Asmara Restaurant e Babylon Restaurant, para mostrar comidas étnicas, ensinar sobre outras culturas e oferecer um espaço para que empreendedores de alimentos e a comunidade de Portland se conectem um amor compartilhado pela comida. “Esperamos continuar este tipo de colaboração com Fork e outras organizações comunitárias com o objetivo final de apoiar empresas de alimentos de propriedade de imigrantes em estágio inicial”, acrescentou John Scribner, Diretor do programa StartSmart da CEI. Este é apenas um de uma linha robusta de eventos que promovem os talentos e produtos da comunidade de membros da Fork e os conecta com empresas e indivíduos fora da incubadora.

Fork Food Lab ganhou uma enorme quantidade de entusiasmo e impulso, e rapidamente se tornou um dos principais locais de trabalho, espaço para eventos, empreendedorismo, recursos, compartilhamento de conhecimento, oportunidade e conexão de Portland.

“Estamos convencidos de que Fork irá catalisar um crescimento significativo para os pequenos produtores de alimentos que estão entrando na economia alimentar local do Maine”, disse Daniel Wallace. “Além disso, os diretores (Neil e Eric) são incríveis e estão profundamente engajados na comunidade local.”

Em junho de 2017, o Fork Food Lab anunciou uma fusão com a Foodworks, com sede no Brooklyn, uma cozinha compartilhada com o objetivo semelhante de ajudar o crescimento de startups de alimentos. & # 8220Estamos muito entusiasmados com a parceria com uma empresa que compartilha nossa visão de um sistema alimentar local mais robusto, onde empreendedores com receitas criativas podem crescer estrategicamente ”, disse Spillane, que permanecerá como gerente geral da Fork Food Lab. “Esta fusão permitirá que as empresas Fork Food Lab expandam a distribuição no grande mercado de Nova York e aproveitem os descontos de fornecedores que estão disponíveis para os atuais produtores de Foodworks. & # 8221


"Conexão" é o ingrediente-chave

Dentro da Fork Food Lab, a primeira incubadora de alimentos de Portland, os membros que representam 27 empresas de alimentos especializados que alugam o espaço da cozinha compartilhada estão construindo mais do que produtos alimentícios; eles estão construindo negócios e conexões. Seja fazendo pedidos para reduzir custos, compartilhando informações sobre experiências com um consultor de embalagens ou dando dicas sobre como aumentar o volume de produção, cada empresa individual faz parte de um esforço coletivo maior.

“Queríamos começar a Fork para criar um ambiente onde muitos empreendedores de alimentos pudessem trabalhar uns com os outros para colaborar, aprender e se divertir. No final do dia, os humanos querem se conectar. Nós nos saímos melhor mentalmente e em termos de negócios quando estamos perto de outras pessoas. ” & # 8212 Co-fundador do Fork Food Lab, Neil Spillane

Construir essa conexão humana foi o cerne da filosofia do Fork Food Lab desde o início.

Para tornar o sonho realidade, Neil Spillane e Eric Holstein, co-fundadores, precisaram primeiro demonstrar o potencial de uma incubadora de alimentos em Portland e, finalmente, encontrar o financiamento necessário. Com o apoio da comunidade esmagador e habilidade de rede, Neil e Eric aproveitaram todos os recursos que conheciam. “Não havia uma pessoa no radar que eu não tivesse abordado”, disse Neil.

Eles perceberam logo no início que montar um pacote de financiamento seria o maior desafio, já que Fork caiu em uma área rara do espectro de investimento e financiamento. Os co-fundadores trabalharam com Art Stevens, oficial de empréstimos da CEI, para determinar as melhores opções de financiamento possíveis para o Fork Food Lab. Entre as várias fontes de financiamento, eles identificaram um empréstimo do SBA, juntamente com um empréstimo do CEI para financiamento de equipamentos.

“Art Stevens claramente tinha o sucesso do nosso negócio como uma prioridade. A CEI foi a primeira a entrar como financista profissional ”, disse Neil.

Os especialistas do Setor de Agricultura e Alimentos da CEI reconheceram imediatamente que Fork apresenta uma oportunidade única para pequenos produtores de alimentos, muitos dos quais estão criando receitas e produtos com ingredientes locais em suas cozinhas domésticas. “Estamos muito entusiasmados com a Fork porque ela oferece um modelo comprovado para esses fabricantes crescerem e começarem a escalar a produção sem assumir uma instalação cara própria”, disse Daniel Wallace da CEI. “Essencialmente, a Fork fornece um‘ meio termo ’seguro para essas empresas, apoiado por uma série de serviços e conexões para novos mercados.”

Além do empréstimo e da assistência técnica, a Fork Food Lab trabalhou com o Women's Business Center do CEI, que atualmente tem seis clientes trabalhando na incubadora de alimentos, a equipe de Desenvolvimento da Força de Trabalho e o programa Start Smart conectando startups e negócios de imigrantes para a incubadora de alimentos. No evento público Taste the World realizado em novembro, o Fork Food Lab deu as boas-vindas aos clientes do CEI, Ameera Bread, Asmara Restaurant e Babylon Restaurant, para mostrar comidas étnicas, ensinar sobre outras culturas e oferecer um espaço para que empreendedores de alimentos e a comunidade de Portland se conectem um amor compartilhado pela comida. “Esperamos continuar este tipo de colaboração com Fork e outras organizações comunitárias com o objetivo final de apoiar empresas de alimentos de propriedade de imigrantes em estágio inicial”, acrescentou John Scribner, Diretor do programa StartSmart da CEI. Este é apenas um de uma linha robusta de eventos que promovem os talentos e produtos da comunidade de membros da Fork e os conecta com empresas e indivíduos fora da incubadora.

Fork Food Lab ganhou uma enorme quantidade de entusiasmo e impulso, e rapidamente se tornou um dos principais locais de trabalho, espaço para eventos, empreendedorismo, recursos, compartilhamento de conhecimento, oportunidade e conexão de Portland.

“Estamos convencidos de que Fork irá catalisar um crescimento significativo para os pequenos produtores de alimentos que estão entrando na economia alimentar local do Maine”, disse Daniel Wallace. “Além disso, os diretores (Neil e Eric) são incríveis e estão profundamente engajados na comunidade local.”

Em junho de 2017, o Fork Food Lab anunciou uma fusão com a Foodworks, com sede no Brooklyn, uma cozinha compartilhada com o objetivo semelhante de ajudar o crescimento de startups de alimentos. & # 8220Estamos muito entusiasmados com a parceria com uma empresa que compartilha nossa visão de um sistema alimentar local mais robusto, onde empreendedores com receitas criativas podem crescer estrategicamente ”, disse Spillane, que permanecerá como gerente geral da Fork Food Lab. “Esta fusão permitirá que as empresas Fork Food Lab expandam a distribuição para o grande mercado de Nova York e aproveitem os descontos de fornecedores que estão disponíveis para os atuais produtores de Foodworks. & # 8221


"Conexão" é o ingrediente-chave

No Fork Food Lab, a primeira incubadora de alimentos de Portland, os membros que representam 27 empresas de alimentos especializados que alugam o espaço da cozinha compartilhada estão construindo mais do que produtos alimentícios; eles estão construindo negócios e conexões. Seja fazendo pedidos para reduzir custos, compartilhando informações sobre experiências com um consultor de embalagens ou dando dicas sobre como aumentar o volume de produção, cada empresa individual faz parte de um esforço coletivo maior.

“Queríamos começar a Fork para criar um ambiente onde muitos empreendedores de alimentos pudessem trabalhar uns com os outros para colaborar, aprender e se divertir. No final do dia, os humanos querem se conectar. Nós nos saímos melhor mentalmente e em termos de negócios quando estamos perto de outras pessoas. ” & # 8212 Co-fundador do Fork Food Lab, Neil Spillane

Construir essa conexão humana foi o cerne da filosofia da Fork Food Lab desde o início.

Para tornar o sonho realidade, Neil Spillane e Eric Holstein, co-fundadores, precisaram primeiro demonstrar o potencial de uma incubadora de alimentos em Portland e, finalmente, encontrar o financiamento necessário. Com o apoio da comunidade esmagador e habilidade de rede, Neil e Eric aproveitaram todos os recursos que conheciam. “Não havia uma pessoa no radar que eu não tivesse abordado”, disse Neil.

Eles perceberam logo no início que montar um pacote de financiamento seria o maior desafio, já que Fork caiu em uma área rara do espectro de investimento e financiamento. Os co-fundadores trabalharam com Art Stevens, oficial de crédito da CEI, para determinar as melhores opções de financiamento possíveis para o Fork Food Lab. Among the various funding sources, they identified an SBA loan, coupled with a gap loan from CEI for equipment financing.

“Art Stevens distinctly had the success of our business as a top priority. CEI was the first one in as a professional financier,” said Neil.

CEI’s Agriculture and Food Sector specialists immediately recognized that Fork presents a unique opportunity for small food producers, many of whom are creating recipes and products out of local ingredients in their home kitchens. “We are so excited about Fork because it offers a proven model for these makers to grow and begin to scale production without taking on a costly facility of their own,” said Daniel Wallace of CEI. “Essentially, Fork provides a safe ‘middle ground’ for these companies, backed up by a host of services and connections to new markets.”

In addition to the gap loan and technical assistance, Fork Food Lab has worked with the Women’s Business Center at CEI who currently has six clients working at the food incubator, the Workforce Development team, and the Start Smart program connecting immigrant-owned startups and businesses to the food incubator. At the Taste the World public event held in November, Fork Food Lab welcomed CEI clients Ameera Bread, Asmara Restaurant, and Babylon Restaurant to showcase ethnic foods, teach about other cultures, and offer a space for food entrepreneurs and the Portland community to connect over a shared love of food. “We hope to continue this type of collaboration with Fork and other community organizations with the ultimate goal of supporting early stage immigrant owned food businesses,” added John Scribner, Director of CEI’s StartSmart program. This is just one of a robust lineup of events promoting the talents and products of the Fork member community and connecting them with businesses and individuals outside the walls of the incubator.

Fork Food Lab has gained a tremendous amount of excitement and momentum, and has quickly become one of Portland’s premier venues of workspace, event space, entrepreneurship, resources, knowledge-sharing, opportunity, and connection.

“We’re convinced that Fork will catalyze significant growth for the small food producers entering Maine’s local food economy,” said Daniel Wallace. “Plus, the principals (Neil and Eric) are awesome and deeply engaged in the local community.”

In June, 2017, Fork Food Lab announced a merger with Brooklyn-based Foodworks, a shared kitchen with a similar goal of helping food startups grow. “We are very excited to partner with a company that shares in our vision for a more robust local food system where entrepreneurs with creative recipes can strategically grow,” said Spillane, who will stay on as General Manager of Fork Food Lab. “This merger will allow Fork Food Lab companies to expand distribution into the large New York market and leverage supplier discounts that are available to current Foodworks producers.”


"Connection" is the Key Ingredient

Inside Fork Food Lab, Portland’s first food incubator, the members representing 27 specialty food companies who rent out the shared kitchen space are building more than food products they are building businesses and connections. Whether placing orders together to bring down costs, sharing information about experiences with a packaging consultant, or giving tips on increasing production volume, each individual enterprise is part of a larger collective effort.

“We wanted to start Fork to create an environment where lots of food entrepreneurs can work around each other to collaborate, learn, and have fun. At the end of the day, humans want to connect. We do better mentally and business-wise when we’re around other people.” — Fork Food Lab Co-Founder Neil Spillane

Building that human connection was at the core of Fork Food Lab’s philosophy from the beginning.

In order to make the dream a reality, Neil Spillane and Eric Holstein, co-founders, needed to first demonstrate the potential for a food incubator in Portland, and ultimately find the funding necessary. With overwhelming community support and networking prowess, Neil and Eric tapped into every resource they knew. “There wasn’t one person on the radar that I didn’t approach,” said Neil.

They realized early on that assembling a funding package would be the greatest challenge, as Fork fell into a rare area of the investment and financing spectrum. The co-founders worked with CEI loan officer Art Stevens to determine the best possible financing options for Fork Food Lab. Among the various funding sources, they identified an SBA loan, coupled with a gap loan from CEI for equipment financing.

“Art Stevens distinctly had the success of our business as a top priority. CEI was the first one in as a professional financier,” said Neil.

CEI’s Agriculture and Food Sector specialists immediately recognized that Fork presents a unique opportunity for small food producers, many of whom are creating recipes and products out of local ingredients in their home kitchens. “We are so excited about Fork because it offers a proven model for these makers to grow and begin to scale production without taking on a costly facility of their own,” said Daniel Wallace of CEI. “Essentially, Fork provides a safe ‘middle ground’ for these companies, backed up by a host of services and connections to new markets.”

In addition to the gap loan and technical assistance, Fork Food Lab has worked with the Women’s Business Center at CEI who currently has six clients working at the food incubator, the Workforce Development team, and the Start Smart program connecting immigrant-owned startups and businesses to the food incubator. At the Taste the World public event held in November, Fork Food Lab welcomed CEI clients Ameera Bread, Asmara Restaurant, and Babylon Restaurant to showcase ethnic foods, teach about other cultures, and offer a space for food entrepreneurs and the Portland community to connect over a shared love of food. “We hope to continue this type of collaboration with Fork and other community organizations with the ultimate goal of supporting early stage immigrant owned food businesses,” added John Scribner, Director of CEI’s StartSmart program. This is just one of a robust lineup of events promoting the talents and products of the Fork member community and connecting them with businesses and individuals outside the walls of the incubator.

Fork Food Lab has gained a tremendous amount of excitement and momentum, and has quickly become one of Portland’s premier venues of workspace, event space, entrepreneurship, resources, knowledge-sharing, opportunity, and connection.

“We’re convinced that Fork will catalyze significant growth for the small food producers entering Maine’s local food economy,” said Daniel Wallace. “Plus, the principals (Neil and Eric) are awesome and deeply engaged in the local community.”

In June, 2017, Fork Food Lab announced a merger with Brooklyn-based Foodworks, a shared kitchen with a similar goal of helping food startups grow. “We are very excited to partner with a company that shares in our vision for a more robust local food system where entrepreneurs with creative recipes can strategically grow,” said Spillane, who will stay on as General Manager of Fork Food Lab. “This merger will allow Fork Food Lab companies to expand distribution into the large New York market and leverage supplier discounts that are available to current Foodworks producers.”


"Connection" is the Key Ingredient

Inside Fork Food Lab, Portland’s first food incubator, the members representing 27 specialty food companies who rent out the shared kitchen space are building more than food products they are building businesses and connections. Whether placing orders together to bring down costs, sharing information about experiences with a packaging consultant, or giving tips on increasing production volume, each individual enterprise is part of a larger collective effort.

“We wanted to start Fork to create an environment where lots of food entrepreneurs can work around each other to collaborate, learn, and have fun. At the end of the day, humans want to connect. We do better mentally and business-wise when we’re around other people.” — Fork Food Lab Co-Founder Neil Spillane

Building that human connection was at the core of Fork Food Lab’s philosophy from the beginning.

In order to make the dream a reality, Neil Spillane and Eric Holstein, co-founders, needed to first demonstrate the potential for a food incubator in Portland, and ultimately find the funding necessary. With overwhelming community support and networking prowess, Neil and Eric tapped into every resource they knew. “There wasn’t one person on the radar that I didn’t approach,” said Neil.

They realized early on that assembling a funding package would be the greatest challenge, as Fork fell into a rare area of the investment and financing spectrum. The co-founders worked with CEI loan officer Art Stevens to determine the best possible financing options for Fork Food Lab. Among the various funding sources, they identified an SBA loan, coupled with a gap loan from CEI for equipment financing.

“Art Stevens distinctly had the success of our business as a top priority. CEI was the first one in as a professional financier,” said Neil.

CEI’s Agriculture and Food Sector specialists immediately recognized that Fork presents a unique opportunity for small food producers, many of whom are creating recipes and products out of local ingredients in their home kitchens. “We are so excited about Fork because it offers a proven model for these makers to grow and begin to scale production without taking on a costly facility of their own,” said Daniel Wallace of CEI. “Essentially, Fork provides a safe ‘middle ground’ for these companies, backed up by a host of services and connections to new markets.”

In addition to the gap loan and technical assistance, Fork Food Lab has worked with the Women’s Business Center at CEI who currently has six clients working at the food incubator, the Workforce Development team, and the Start Smart program connecting immigrant-owned startups and businesses to the food incubator. At the Taste the World public event held in November, Fork Food Lab welcomed CEI clients Ameera Bread, Asmara Restaurant, and Babylon Restaurant to showcase ethnic foods, teach about other cultures, and offer a space for food entrepreneurs and the Portland community to connect over a shared love of food. “We hope to continue this type of collaboration with Fork and other community organizations with the ultimate goal of supporting early stage immigrant owned food businesses,” added John Scribner, Director of CEI’s StartSmart program. This is just one of a robust lineup of events promoting the talents and products of the Fork member community and connecting them with businesses and individuals outside the walls of the incubator.

Fork Food Lab has gained a tremendous amount of excitement and momentum, and has quickly become one of Portland’s premier venues of workspace, event space, entrepreneurship, resources, knowledge-sharing, opportunity, and connection.

“We’re convinced that Fork will catalyze significant growth for the small food producers entering Maine’s local food economy,” said Daniel Wallace. “Plus, the principals (Neil and Eric) are awesome and deeply engaged in the local community.”

In June, 2017, Fork Food Lab announced a merger with Brooklyn-based Foodworks, a shared kitchen with a similar goal of helping food startups grow. “We are very excited to partner with a company that shares in our vision for a more robust local food system where entrepreneurs with creative recipes can strategically grow,” said Spillane, who will stay on as General Manager of Fork Food Lab. “This merger will allow Fork Food Lab companies to expand distribution into the large New York market and leverage supplier discounts that are available to current Foodworks producers.”


"Connection" is the Key Ingredient

Inside Fork Food Lab, Portland’s first food incubator, the members representing 27 specialty food companies who rent out the shared kitchen space are building more than food products they are building businesses and connections. Whether placing orders together to bring down costs, sharing information about experiences with a packaging consultant, or giving tips on increasing production volume, each individual enterprise is part of a larger collective effort.

“We wanted to start Fork to create an environment where lots of food entrepreneurs can work around each other to collaborate, learn, and have fun. At the end of the day, humans want to connect. We do better mentally and business-wise when we’re around other people.” — Fork Food Lab Co-Founder Neil Spillane

Building that human connection was at the core of Fork Food Lab’s philosophy from the beginning.

In order to make the dream a reality, Neil Spillane and Eric Holstein, co-founders, needed to first demonstrate the potential for a food incubator in Portland, and ultimately find the funding necessary. With overwhelming community support and networking prowess, Neil and Eric tapped into every resource they knew. “There wasn’t one person on the radar that I didn’t approach,” said Neil.

They realized early on that assembling a funding package would be the greatest challenge, as Fork fell into a rare area of the investment and financing spectrum. The co-founders worked with CEI loan officer Art Stevens to determine the best possible financing options for Fork Food Lab. Among the various funding sources, they identified an SBA loan, coupled with a gap loan from CEI for equipment financing.

“Art Stevens distinctly had the success of our business as a top priority. CEI was the first one in as a professional financier,” said Neil.

CEI’s Agriculture and Food Sector specialists immediately recognized that Fork presents a unique opportunity for small food producers, many of whom are creating recipes and products out of local ingredients in their home kitchens. “We are so excited about Fork because it offers a proven model for these makers to grow and begin to scale production without taking on a costly facility of their own,” said Daniel Wallace of CEI. “Essentially, Fork provides a safe ‘middle ground’ for these companies, backed up by a host of services and connections to new markets.”

In addition to the gap loan and technical assistance, Fork Food Lab has worked with the Women’s Business Center at CEI who currently has six clients working at the food incubator, the Workforce Development team, and the Start Smart program connecting immigrant-owned startups and businesses to the food incubator. At the Taste the World public event held in November, Fork Food Lab welcomed CEI clients Ameera Bread, Asmara Restaurant, and Babylon Restaurant to showcase ethnic foods, teach about other cultures, and offer a space for food entrepreneurs and the Portland community to connect over a shared love of food. “We hope to continue this type of collaboration with Fork and other community organizations with the ultimate goal of supporting early stage immigrant owned food businesses,” added John Scribner, Director of CEI’s StartSmart program. This is just one of a robust lineup of events promoting the talents and products of the Fork member community and connecting them with businesses and individuals outside the walls of the incubator.

Fork Food Lab has gained a tremendous amount of excitement and momentum, and has quickly become one of Portland’s premier venues of workspace, event space, entrepreneurship, resources, knowledge-sharing, opportunity, and connection.

“We’re convinced that Fork will catalyze significant growth for the small food producers entering Maine’s local food economy,” said Daniel Wallace. “Plus, the principals (Neil and Eric) are awesome and deeply engaged in the local community.”

In June, 2017, Fork Food Lab announced a merger with Brooklyn-based Foodworks, a shared kitchen with a similar goal of helping food startups grow. “We are very excited to partner with a company that shares in our vision for a more robust local food system where entrepreneurs with creative recipes can strategically grow,” said Spillane, who will stay on as General Manager of Fork Food Lab. “This merger will allow Fork Food Lab companies to expand distribution into the large New York market and leverage supplier discounts that are available to current Foodworks producers.”


Assista o vídeo: Ignite #39 Ana Leça Umbelino - Transformar Sonhos em Realidade (Dezembro 2021).