Novas receitas

Vendas globais no conceito 'mesmas lojas' crescem 5,5%

Vendas globais no conceito 'mesmas lojas' crescem 5,5%

As vendas globais nas mesmas lojas da McDonald’s Corp. aumentaram 5,5% em outubro, impulsionadas pela popular promoção do Monopólio da rede e produtos em destaque nos Estados Unidos e forte desempenho em seus mercados internacionais.

O ganho de vendas globais nas mesmas lojas do McDonald's reflete aumentos de 5,2% nos Estados Unidos, 4,8% na Europa e 6,1% na divisão Ásia / Pacífico, Oriente Médio e África, ou APMEA.

O sistema doméstico da empresa se beneficiou de mais um ano de interesse do consumidor no jogo Banco Imobiliário, bem como das fortes vendas de bebidas Big Mac, Chicken McNuggets, Fruit & Maple Oatmeal e McCafé, disseram as autoridades.

Um ano atrás, o McDonald's obteve um ganho de 5,6% nas vendas nas mesmas lojas em outubro, quando a promoção do Banco Imobiliário, combinada com o bom tempo, gerou vendas robustas de novos McCafé Frappes e Real Fruit Smoothies.

As vendas mesmas lojas da Europa também aumentaram em comparação com um resultado mais alto do ano anterior, de 5,8 por cento. A empresa disse que o forte desempenho na França, Rússia e Reino Unido impulsionou os resultados, assim como um esforço de todo o segmento para refazer a imagem dos restaurantes e equilibrar os menus entre a acessibilidade diária, itens locais relevantes e ofertas por tempo limitado.

As vendas nas mesmas lojas de 6,1 por cento da APMEA ganharam em outubro em comparação favoravelmente com um aumento de 5,3 por cento no ano anterior. A empresa disse que as operações na Austrália, China e Japão lideram o caminho.

No acumulado do ano até 31 de outubro, as vendas globais mesmas lojas do McDonald's de 5 por cento estão ligeiramente atrás dos 5,2 por cento do ano anterior, devido a um aumento menor no ano até a data na APMEA, onde o mercado da marca no Japão foi afetados pelo terremoto de 11 de março.

As vendas nas mesmas lojas aumentaram 4,1% nos Estados Unidos no acumulado do ano, em comparação com 3,8% na época do ano anterior. O aumento de 5,4 por cento do sistema europeu nas vendas mesmas lojas no acumulado do ano também lidera o resultado do ano anterior de 4,9 por cento, enquanto a APMEA registrou um aumento de vendas nas mesmas lojas de 4,1 por cento no acumulado do ano, em comparação com 6,1 por cento um ano antes.

A McDonald’s Corp. opera ou franquia mais de 33.000 restaurantes de serviço rápido em 119 países.

Entre em contato com Mark Brandau em [email protected]
Siga-o no Twitter: @Mark_from_NRN


McDonald & # 39s compartilha o amor depois de uma batida de ganhos

Neste segmento do MarketFoolery podcast, o apresentador Chris Hill e Bill Barker da Motley Fool Asset Management fazem uma refeição de McDonald's (NYSE: MCD) Relatório do primeiro trimestre e, como o mercado, acho-o muito saboroso. As vendas nas mesmas lojas aumentaram - tanto nos Estados Unidos como internacionais - e a razão subjacente por que isso fala diretamente sobre como o gigante do fast-food está evoluindo. De movimentos de preços a fossos competitivos, os Tolos consideram o que a empresa está fazendo de melhor e onde ainda há trabalho a fazer.

Uma transcrição completa segue o vídeo.

Este vídeo foi gravado em 30 de abril de 2018.

Chris Hill: Vamos passar para o McDonald's. Acionistas do McDonald's, parabéns! Você está tendo seu melhor dia em mais de um ano. As ações do McDonald's aumentaram 5% após os lucros do primeiro trimestre terem ficado mais altos do que o esperado. Suas vendas nas mesmas lojas nos EUA eram, pelo menos em termos dessa métrica, a estrela mais brilhante do globo, porque as comparações dos EUA eram um pouco mais altas do que as internacionais. Achei interessante que o que realmente estava impulsionando era o preço maior do ingresso. Interessante no sentido de que o McDonald's realmente empurra a proposta de valor de seu menu. Portanto, o fato de eles terem conseguido aumentar as compensações nos EUA com um pedido maior de ingressos, um, é interessante e, dois, bom para eles.

Bill Barker: Tudo bem, bem, uma coisa é, possivelmente vou corrigi-lo, ou pelo menos tentar obter a fonte de suas informações -

Colina: Ou desinformação.

Barker: Bem, eu tenho os comps dos EUA em 2,9% e os comps globais em 5,5%.

Colina: Oh! Então, claramente, isso é desinformação, porque eu vi comps globais não aumentando nem 1%. Mas, claramente eu interpretei mal isso.

Barker: Bem, pode ter havido algumas coisas de tradução de moeda, ou você pode simplesmente estar errado.

Eu não sei! Estou tentando descobrir ou descobrir se os dados que estou vendo estão errados, o que espero que não seja o caso. Qualquer forma. 2,9% acima nos EUA, quão bom isso é? Bem, é definitivamente bom. Eles têm muitos restaurantes, e a maior parte disso se deve à inflação no preço dos ingressos. Eles diriam que isso está aumentando os preços, não que eles estejam tendo mais tráfego, mas que eles aumentaram os preços com sucesso, e eles aumentaram os preços um pouco mais, mas não muito mais, do que a inflação. Vamos em torno de 2,9% a 3%, a inflação nesse período de tempo foi próxima a 2%. Ainda está fazendo um bom trabalho ao aumentar os preços.

Internacionalmente, algumas partes do mundo estão crescendo de 7 a 8% em comps. Novamente, não sei se isso foi afetado em grande parte pela conversão de moeda ou não, mas há muitos restaurantes. Eles franquearam muito com sucesso. Se você olhar para os números totais, a receita da empresa não está realmente aumentando com o tempo. Eles estão se tornando mais lucrativos com a franquia e, dessa forma, têm um modelo de menor risco.

Colina: Eu descobri meu erro. Você está certo. E você sabe o quanto eu odeio dizer essas palavras em voz alta. Crescimento global das vendas mesmas lojas, 5,5%. O número de 0,8% que vi tinha a ver com a contagem global de convidados, o que possibilita um momento de ensino, ou seja, quando falamos de vendas na mesma loja, existem algumas maneiras de chegar lá. Uma é fazer com que mais pessoas atravessem a porta. A outra é aumentar os preços. E, pelo menos neste último trimestre, o McDonald's está fazendo um trabalho um pouco melhor ao aumentar os preços de forma eficaz do que ao fazer com que mais pessoas entrem.

Barker: sim. Eles estão, basicamente, eu acho, estáveis ​​em termos de tráfego nos EUA e, como você disse, quase 1% em termos de tráfego internacional. Então, isso não é muito. Ainda assim, dado o número de lojas que eles têm, 1% do tráfego é bom, e melhor do que muitas outras empresas no espaço de fast-food estão fazendo atualmente.

Colina: Interessante que o café da manhã durante todo o dia, que foi um fator tão importante quando foi revelado pela primeira vez no primeiro ano ou assim, neste último trimestre, o McDonald's admitiu: "Sim, estamos lidando com uma competição maior no que diz respeito ao café da manhã." Então, isso é algo que presumivelmente eles tentarão trabalhar no próximo ano ou assim.

Barker: Sim, o sucesso convida à competição. Todo mundo não vai apenas assistir ao sucesso do McDonald's nisso e não vai copiá-lo.

Colina: A exceção é Chipotle. [risos]

Barker: Como indicamos, agora que há uma nova administração, pode haver alguma reconsideração se o café da manhã poderia fazer parte de sua estrutura. Eu não entendo porque não.

Colina: E Brian Niccol, o novo CEO da Chipotle, na última ligação, ele basicamente colocou a questão do café da manhã de lado. Ele não descartou imediatamente, mas basicamente disse: "Há outras coisas nas quais vamos nos concentrar e vamos revisitar isso algum tempo depois." Então, eu ficaria surpreso se, daqui a dois anos, estivéssemos sentados aqui e Chipotle, se eles não tivessem revelado o café da manhã, pelo menos não estavam no processo.

Barker: Eu concordaria que parece ser uma oportunidade óbvia para eles. No entanto, tem parecido assim por anos, e eles têm seus motivos, aparentemente relacionados à rotatividade dos ingredientes e às questões de transição que teriam do café da manhã para o almoço. Não sei, acho que eles são inteligentes o suficiente para descobrir isso.

Mas, eles precisam fazer com que as pessoas cheguem, e é nisso que estão se concentrando, aumentando o tráfego. E eles têm muitas coisas para resolver em seu prato. Então, vejo que não estou tomando café tão bem no momento, dada a nova gestão e a decisão de focar. Eles também têm oportunidades de publicidade lá.

Mas, voltando à competição no café da manhã o dia todo, quem mais está fazendo isso? Ninguém mais, eu acho, teve o mesmo sucesso por entrar nisso.

Colina: Não tanto, mas apenas em termos de horário, vi um analista falando sobre o Burger King fazendo alguns avanços nas horas tradicionais do café da manhã. Como você disse, quando eles veem o sucesso, isso convida à competição.


McDonald & # 39s compartilha o amor depois de uma batida de ganhos

Neste segmento do MarketFoolery podcast, o apresentador Chris Hill e Bill Barker da Motley Fool Asset Management fazem uma refeição de McDonald's (NYSE: MCD) Relatório do primeiro trimestre e, como o mercado, acho-o muito saboroso. As vendas nas mesmas lojas aumentaram - tanto nos Estados Unidos como internacionais - e a razão subjacente por que isso fala diretamente sobre como o gigante do fast-food está evoluindo. De movimentos de preços a fossos competitivos, os Tolos consideram o que a empresa está fazendo de melhor e onde ainda há trabalho a fazer.

Uma transcrição completa segue o vídeo.

Este vídeo foi gravado em 30 de abril de 2018.

Chris Hill: Vamos passar para o McDonald's. Acionistas do McDonald's, parabéns! Você está tendo seu melhor dia em mais de um ano. As ações do McDonald's subiram 5% após os lucros do primeiro trimestre terem ficado mais altos do que o esperado. Suas vendas nas mesmas lojas nos EUA eram, pelo menos em termos dessa métrica, a estrela mais brilhante do globo, porque as comparações dos EUA eram um pouco mais altas do que as internacionais. Achei interessante que o que realmente estava impulsionando era o preço maior do ingresso. Interessante no sentido de que o McDonald's realmente empurra a proposta de valor de seu menu. Portanto, o fato de eles terem conseguido aumentar as compensações nos EUA com um pedido maior de ingressos, um, é interessante e, dois, bom para eles.

Bill Barker: Tudo bem, bem, uma coisa é, possivelmente vou corrigi-lo, ou pelo menos tentar obter a fonte de suas informações -

Colina: Ou desinformação.

Barker: Bem, eu tenho os comps dos EUA em 2,9% e os comps globais em 5,5%.

Colina: Oh! Então, claramente, isso é desinformação, porque eu vi comps globais não aumentando nem 1%. Mas, claramente eu interpretei mal isso.

Barker: Bem, pode ter havido algumas coisas de conversão de moeda, ou você pode simplesmente estar errado.

Eu não sei! Estou tentando descobrir ou descobrir se os dados que estou vendo estão errados, o que espero que não seja o caso. Qualquer forma. 2,9% acima nos EUA, quão bom isso é? Bem, é definitivamente bom. Eles têm muitos restaurantes, e a maior parte disso se deve à inflação no preço dos ingressos. Eles diriam que isso está aumentando os preços, não que eles estejam tendo mais tráfego, mas que eles aumentaram os preços com sucesso, e eles aumentaram os preços um pouco mais, mas não muito mais, do que a inflação. Vamos em torno de 2,9% a 3%, a inflação nesse período de tempo foi próxima a 2%. Ainda está fazendo um bom trabalho ao aumentar os preços.

Internacionalmente, algumas partes do mundo estão crescendo de 7 a 8% em comps. Novamente, não sei se isso foi afetado em grande parte pela conversão de moeda ou não, mas há muitos restaurantes. Eles franquearam muito com sucesso. Se você olhar para os números totais, a receita da empresa não está realmente aumentando com o tempo. Eles estão se tornando mais lucrativos com a franquia e, dessa forma, têm um modelo de menor risco.

Colina: Eu descobri meu erro. Você está certo. E você sabe o quanto eu odeio dizer essas palavras em voz alta. Crescimento global das vendas mesmas lojas, 5,5%. O número de 0,8% que vi tinha a ver com a contagem global de convidados, o que possibilita um momento de ensino, ou seja, quando falamos de vendas na mesma loja, existem algumas maneiras de chegar lá. Uma é fazer com que mais pessoas atravessem a porta. A outra é aumentar os preços. E, pelo menos neste último trimestre, o McDonald's está fazendo um trabalho um pouco melhor ao aumentar os preços de forma eficaz do que ao fazer com que mais pessoas entrem.

Barker: sim. Eles estão, basicamente, eu acho, estáveis ​​em termos de tráfego nos EUA e, como você disse, quase 1% em termos de tráfego internacional. Então, isso não é muito. Ainda assim, dado o número de lojas que eles têm, 1% do tráfego é bom, e melhor do que muitas outras empresas no espaço de fast-food estão fazendo atualmente.

Colina: Interessante que o café da manhã durante todo o dia, que foi um fator tão importante quando foi revelado pela primeira vez no primeiro ano ou assim, neste último trimestre, o McDonald's admitiu: "Sim, estamos lidando com uma competição maior no que diz respeito ao café da manhã." Então, isso é algo que presumivelmente eles tentarão trabalhar no próximo ano ou assim.

Barker: Sim, o sucesso convida à competição. Todo mundo não vai apenas assistir ao sucesso do McDonald's nisso e não vai copiá-lo.

Colina: A exceção é Chipotle. [risos]

Barker: Como indicamos, agora que há uma nova administração, pode haver alguma reconsideração se o café da manhã poderia fazer parte de sua estrutura. Eu não entendo porque não.

Colina: E Brian Niccol, o novo CEO da Chipotle, na última ligação, ele basicamente colocou a questão do café da manhã de lado. Ele não descartou imediatamente, mas basicamente disse: "Há outras coisas nas quais vamos nos concentrar e vamos revisitar isso algum tempo depois." Então, eu ficaria surpreso se, daqui a dois anos, estivéssemos sentados aqui e Chipotle, se eles não tivessem revelado o café da manhã, pelo menos não estavam no processo.

Barker: Eu concordaria que parece ser uma oportunidade óbvia para eles. No entanto, tem parecido assim por anos, e eles têm seus motivos, aparentemente relacionados à rotatividade dos ingredientes e às questões de transição que teriam do café da manhã para o almoço. Não sei, acho que eles são inteligentes o suficiente para descobrir isso.

Mas, eles precisam fazer com que as pessoas cheguem, e é nisso que estão se concentrando, aumentando o tráfego. E eles têm muitas coisas para resolver em seu prato. Então, vejo que não estou tomando café tão bem no momento, dada a nova gestão e a decisão de focar. Eles também têm oportunidades de publicidade lá.

Mas, voltando à competição no café da manhã o dia todo, quem mais está fazendo isso? Ninguém mais, eu acho, teve o mesmo sucesso por entrar nisso.

Colina: Não tanto, mas apenas em termos de horário, vi um analista falando sobre o Burger King fazendo alguns avanços nas horas tradicionais do café da manhã. Como você disse, quando eles veem o sucesso, isso convida à competição.


McDonald & # 39s compartilha o amor depois de uma batida de ganhos

Neste segmento do MarketFoolery podcast, o apresentador Chris Hill e Bill Barker da Motley Fool Asset Management fazem uma refeição de McDonald's (NYSE: MCD) Relatório do primeiro trimestre e, como o mercado, acho-o muito saboroso. As vendas nas mesmas lojas aumentaram - tanto nos Estados Unidos como internacionais - e a razão subjacente porque fala diretamente sobre como a gigante do fast-food está evoluindo. De movimentos de preços a fossos competitivos, os Tolos consideram o que a empresa está fazendo de melhor e onde ainda há trabalho a fazer.

Uma transcrição completa segue o vídeo.

Este vídeo foi gravado em 30 de abril de 2018.

Chris Hill: Vamos passar para o McDonald's. Acionistas do McDonald's, parabéns! Você está tendo seu melhor dia em mais de um ano. As ações do McDonald's aumentaram 5% após os lucros do primeiro trimestre terem ficado mais altos do que o esperado. Suas vendas nas mesmas lojas nos EUA eram, pelo menos em termos dessa métrica, a estrela mais brilhante do mundo, porque as comparações dos EUA eram um pouco mais altas do que as internacionais. Achei interessante que o que realmente estava impulsionando era o preço maior do ingresso. Interessante no sentido de que o McDonald's realmente empurra a proposta de valor de seu menu. Portanto, o fato de eles terem conseguido aumentar as compensações nos EUA com um pedido maior de ingressos, um, é interessante e, dois, bom para eles.

Bill Barker: Tudo bem, bem, uma coisa é, possivelmente vou corrigi-lo, ou pelo menos tentar obter a fonte de suas informações -

Colina: Ou desinformação.

Barker: Bem, eu tenho os comps dos EUA em 2,9% e os comps globais em 5,5%.

Colina: Oh! Então, claramente, isso é desinformação, porque vi comps globais não aumentando nem 1%. Mas, claramente eu interpretei mal isso.

Barker: Bem, pode ter havido algumas coisas de tradução de moeda, ou você pode simplesmente estar errado.

Eu não sei! Estou tentando descobrir ou descobrir se os dados que estou vendo estão errados, o que espero que não seja o caso. Qualquer forma. 2,9% acima nos EUA, quão bom isso é? Bem, é definitivamente bom. Eles têm muitos restaurantes, e a maior parte disso se deve à inflação no preço dos ingressos. Eles diriam que isso está aumentando os preços, não que eles estejam tendo mais tráfego, mas que eles aumentaram os preços com sucesso, e eles aumentaram os preços um pouco mais, mas não muito mais, do que a inflação. Vamos em torno de 2,9% a 3%, a inflação nesse período de tempo foi próxima a 2%. Ainda está fazendo um bom trabalho ao aumentar os preços.

Internacionalmente, algumas partes do mundo estão crescendo de 7 a 8% em comps. Novamente, não sei se isso foi afetado em grande parte pela conversão de moeda ou não, mas há muitos restaurantes. Eles franquearam muito com sucesso. Se você olhar para os números totais, a receita da empresa não está realmente subindo com o tempo. Eles estão se tornando mais lucrativos com a franquia e, dessa forma, têm um modelo de menor risco.

Colina: Eu descobri meu erro. Você está certo. E você sabe o quanto eu odeio dizer essas palavras em voz alta. Crescimento global das vendas mesmas lojas, 5,5%. O número de 0,8% que vi tinha a ver com a contagem global de convidados, o que possibilita um momento de ensino, ou seja, quando falamos de vendas na mesma loja, existem algumas maneiras de chegar lá. Uma é fazer com que mais pessoas atravessem a porta. A outra é aumentar os preços. E, pelo menos neste último trimestre, o McDonald's está fazendo um trabalho um pouco melhor ao aumentar os preços de forma eficaz do que ao fazer com que mais pessoas entrem.

Barker: sim. Eles estão, basicamente, eu acho, estáveis ​​em termos de tráfego nos EUA e, como você disse, quase 1% em termos de tráfego internacional. Então, isso não é muito. Ainda assim, dado o número de lojas que eles têm, 1% do tráfego é bom, e melhor do que muitas outras empresas no espaço de fast-food estão fazendo atualmente.

Colina: Interessante aquele café da manhã durante todo o dia, que foi um fator tão importante quando foi revelado pela primeira vez no primeiro ano ou assim, neste último trimestre, o McDonald's admitiu: "Sim, estamos lidando com uma competição maior no que diz respeito ao café da manhã." Então, isso é algo que presumivelmente eles tentarão trabalhar no próximo ano ou assim.

Barker: Sim, o sucesso convida à competição. Todo mundo não vai apenas assistir ao sucesso do McDonald's nisso e não vai copiá-lo.

Colina: A exceção é Chipotle. [risos]

Barker: Como indicamos, agora que há uma nova administração, pode haver alguma reconsideração se o café da manhã poderia fazer parte de sua estrutura. Eu não entendo porque não.

Colina: E Brian Niccol, o novo CEO da Chipotle, na última ligação, ele basicamente colocou a questão do café da manhã de lado. Ele não descartou imediatamente, mas basicamente disse: "Há outras coisas nas quais vamos nos concentrar e vamos revisitar isso algum tempo depois." Então, eu ficaria surpreso se, daqui a dois anos, estivéssemos sentados aqui e Chipotle, se eles não tivessem revelado o café da manhã, pelo menos não estavam no processo.

Barker: Eu concordaria que parece ser uma oportunidade óbvia para eles. No entanto, tem parecido assim por anos, e eles têm seus motivos, aparentemente relacionados à rotatividade dos ingredientes e às questões de transição que teriam do café da manhã para o almoço. Não sei, acho que eles são inteligentes o suficiente para descobrir isso.

Mas, eles precisam fazer com que as pessoas cheguem, e é nisso que estão se concentrando, aumentando o tráfego. E eles têm muitas coisas para resolver em seu prato. Então, vejo que não estou tomando café tão bem no momento, dada a nova gestão e a decisão de focar. Eles também têm oportunidades de publicidade lá.

Mas, voltando à competição no café da manhã o dia todo, quem mais está fazendo isso? Ninguém mais, eu acho, teve o mesmo sucesso por entrar nisso.

Colina: Não tanto, mas apenas em termos de horário, vi um analista falando sobre o Burger King fazendo alguns avanços nas horas tradicionais do café da manhã. Como você disse, quando eles veem o sucesso, isso convida à competição.


McDonald & # 39s compartilha o amor depois de uma batida de ganhos

Neste segmento do MarketFoolery podcast, o apresentador Chris Hill e Bill Barker da Motley Fool Asset Management fazem uma refeição de McDonald's (NYSE: MCD) Relatório do primeiro trimestre e, como o mercado, acho-o muito saboroso. As vendas nas mesmas lojas aumentaram - tanto nos Estados Unidos como internacionais - e a razão subjacente por que isso fala diretamente sobre como o gigante do fast-food está evoluindo. De movimentos de preços a fossos competitivos, os Tolos consideram o que a empresa está fazendo de melhor e onde ainda há trabalho a fazer.

Uma transcrição completa segue o vídeo.

Este vídeo foi gravado em 30 de abril de 2018.

Chris Hill: Vamos passar para o McDonald's. Acionistas do McDonald's, parabéns! Você está tendo seu melhor dia em mais de um ano. As ações do McDonald's aumentaram 5% após os lucros do primeiro trimestre terem ficado mais altos do que o esperado. Suas vendas nas mesmas lojas nos EUA eram, pelo menos em termos dessa métrica, a estrela mais brilhante do globo, porque as comparações dos EUA eram um pouco mais altas do que as internacionais. Achei interessante que o que realmente estava impulsionando era o preço maior do ingresso. Interessante no sentido de que o McDonald's realmente empurra a proposta de valor de seu menu. Portanto, o fato de eles terem conseguido aumentar as compensações nos EUA com um pedido maior de ingressos, um, é interessante e, dois, bom para eles.

Bill Barker: Tudo bem, bem, uma coisa é, possivelmente vou corrigi-lo, ou pelo menos tentar obter a fonte de suas informações -

Colina: Ou desinformação.

Barker: Bem, eu tenho os comps dos EUA em 2,9% e os comps globais em 5,5%.

Colina: Oh! Então, claramente, isso é desinformação, porque eu vi comps globais não aumentando nem 1%. Mas, claramente eu interpretei mal isso.

Barker: Bem, pode ter havido algumas coisas de conversão de moeda, ou você pode simplesmente estar errado.

Eu não sei! Estou tentando descobrir ou descobrir se os dados que estou vendo estão errados, o que espero que não seja o caso. Qualquer forma. 2,9% acima nos EUA, quão bom isso é? Bem, é definitivamente bom. Eles têm muitos restaurantes, e a maior parte disso se deve à inflação no preço dos ingressos. Eles diriam que isso está aumentando os preços, não que eles estejam tendo mais tráfego, mas que eles aumentaram os preços com sucesso, e eles aumentaram os preços um pouco mais, mas não muito mais, do que a inflação. Vamos em torno de 2,9% a 3%, a inflação nesse período de tempo foi próxima a 2%. Ainda está fazendo um bom trabalho ao aumentar os preços.

Internacionalmente, algumas partes do mundo estão crescendo de 7 a 8% em comps. Novamente, não sei se isso foi afetado em grande parte pela conversão de moeda ou não, mas há muitos restaurantes. Eles franquearam muito com sucesso. Se você olhar para os números totais, a receita da empresa não está realmente aumentando com o tempo. Eles estão se tornando mais lucrativos com a franquia e, dessa forma, têm um modelo de menor risco.

Colina: Eu descobri meu erro. Você está certo. E você sabe o quanto eu odeio dizer essas palavras em voz alta. Crescimento global das vendas mesmas lojas, 5,5%. O número de 0,8% que vi tinha a ver com a contagem global de hóspedes, o que possibilita um momento de ensino, ou seja, quando falamos de vendas na mesma loja, existem algumas maneiras de chegar lá. Uma é fazer com que mais pessoas atravessem a porta. A outra é aumentar os preços. E, pelo menos neste último trimestre, o McDonald's está fazendo um trabalho um pouco melhor ao aumentar os preços de forma eficaz do que ao fazer com que mais pessoas entrem.

Barker: sim. Eles estão, basicamente, eu acho, estáveis ​​em termos de tráfego nos EUA e, como você disse, quase 1% em termos de tráfego internacional. Então, isso não é muito. Ainda assim, dado o número de lojas que eles têm, 1% do tráfego é bom, e melhor do que muitas outras empresas no espaço de fast-food estão fazendo atualmente.

Colina: Interessante aquele café da manhã durante todo o dia, que foi um fator tão importante quando foi revelado pela primeira vez no primeiro ano ou assim, neste último trimestre, o McDonald's admitiu: "Sim, estamos lidando com uma competição maior no que diz respeito ao café da manhã." Então, isso é algo que presumivelmente eles tentarão trabalhar no próximo ano ou assim.

Barker: Sim, o sucesso convida à competição. Todo mundo não vai apenas assistir ao sucesso do McDonald's nisso e não vai copiá-lo.

Colina: A exceção é Chipotle. [risos]

Barker: Como indicamos, agora que há uma nova administração, pode haver alguma reconsideração se o café da manhã poderia fazer parte de sua estrutura. Eu não entendo porque não.

Colina: E Brian Niccol, o novo CEO da Chipotle, na última ligação, ele basicamente colocou a questão do café da manhã de lado. Ele não descartou imediatamente, mas basicamente disse: "Há outras coisas nas quais vamos nos concentrar e vamos revisitar isso algum tempo depois." Então, eu ficaria surpreso se, daqui a dois anos, estivéssemos sentados aqui e Chipotle, se eles não tivessem revelado o café da manhã, pelo menos não estavam no processo.

Barker: Eu concordaria que parece ser uma oportunidade óbvia para eles. No entanto, tem parecido assim por anos, e eles têm seus motivos, aparentemente relacionados à rotatividade dos ingredientes e às questões de transição que teriam do café da manhã para o almoço. Não sei, acho que eles são inteligentes o suficiente para descobrir isso.

Mas, eles precisam fazer com que as pessoas cheguem, e é nisso que estão se concentrando, aumentando o tráfego. E eles têm muitas coisas para resolver em seu prato. Então, vejo que não estou tomando café tão bem no momento, dada a nova gestão e a decisão de focar. Eles também têm oportunidades de publicidade lá.

Mas, voltando à competição no café da manhã o dia todo, quem mais está fazendo isso? Ninguém mais, eu acho, teve o mesmo sucesso por entrar nisso.

Colina: Não tanto, mas apenas em termos de horário, vi um analista falando sobre o Burger King fazendo alguns avanços nas horas tradicionais do café da manhã. Como você disse, quando eles veem o sucesso, isso convida à competição.


McDonald & # 39s compartilha o amor depois de uma batida de ganhos

Neste segmento do MarketFoolery podcast, o apresentador Chris Hill e Bill Barker da Motley Fool Asset Management fazem uma refeição de McDonald's (NYSE: MCD) Relatório do primeiro trimestre e, como o mercado, acho-o muito saboroso. As vendas nas mesmas lojas aumentaram - tanto nos Estados Unidos como internacionais - e a razão subjacente por que isso fala diretamente sobre como o gigante do fast-food está evoluindo. De movimentos de preços a fossos competitivos, os Tolos consideram o que a empresa está fazendo de melhor e onde ainda há trabalho a fazer.

Uma transcrição completa segue o vídeo.

Este vídeo foi gravado em 30 de abril de 2018.

Chris Hill: Vamos passar para o McDonald's. Acionistas do McDonald's, parabéns! Você está tendo seu melhor dia em mais de um ano. As ações do McDonald's subiram 5% após os lucros do primeiro trimestre terem ficado mais altos do que o esperado. Suas vendas nas mesmas lojas nos EUA eram, pelo menos em termos dessa métrica, a estrela mais brilhante do globo, porque as comparações dos EUA eram um pouco mais altas do que as internacionais. Achei interessante que o que realmente estava impulsionando era o preço maior do ingresso. Interessante no sentido de que o McDonald's realmente empurra a proposta de valor de seu menu. Portanto, o fato de eles terem conseguido aumentar as compensações nos EUA em um pedido de ingresso maior, um, é interessante e, dois, bom para eles.

Bill Barker: Tudo bem, bem, uma coisa é, possivelmente vou corrigi-lo, ou pelo menos tentar obter a fonte de suas informações -

Colina: Ou desinformação.

Barker: Bem, eu tenho os comps dos EUA em 2,9% e os comps globais em 5,5%.

Colina: Oh! Então, claramente, isso é desinformação, porque eu vi comps globais não aumentando nem 1%. Mas, claramente eu interpretei mal isso.

Barker: Bem, pode ter havido algumas coisas de conversão de moeda, ou você pode simplesmente estar errado.

Eu não sei! Estou tentando descobrir ou descobrir se os dados que estou vendo estão errados, o que espero que não seja o caso. Qualquer forma. 2,9% acima nos EUA, quão bom isso é? Bem, é definitivamente bom. Eles têm muitos restaurantes, e a maior parte disso se deve à inflação no preço dos ingressos. Eles diriam que isso está aumentando os preços, não que eles estejam tendo mais tráfego, mas que eles aumentaram os preços com sucesso, e eles aumentaram os preços um pouco mais, mas não muito mais, do que a inflação. Vamos em torno de 2,9% a 3%, a inflação nesse período de tempo foi próxima a 2%. Ainda está fazendo um bom trabalho ao aumentar os preços.

Internacionalmente, algumas partes do mundo estão crescendo de 7 a 8% em comps. Novamente, não sei se isso foi afetado em grande parte pela conversão de moeda ou não, mas há muitos restaurantes. Eles franquearam muito com sucesso. Se você olhar para os números totais, a receita da empresa não está realmente subindo com o tempo. Eles estão se tornando mais lucrativos com a franquia e, dessa forma, têm um modelo de menor risco.

Colina: Eu descobri meu erro. Você está certo. E você sabe o quanto eu odeio dizer essas palavras em voz alta. Crescimento global das vendas mesmas lojas, 5,5%. O número de 0,8% que vi tinha a ver com a contagem global de convidados, o que possibilita um momento de ensino, ou seja, quando falamos de vendas na mesma loja, existem algumas maneiras de chegar lá. Uma é fazer com que mais pessoas atravessem a porta. A outra é aumentar os preços. E, pelo menos neste último trimestre, o McDonald's está fazendo um trabalho um pouco melhor ao aumentar os preços de forma eficaz do que ao fazer com que mais pessoas entrem.

Barker: sim. Eles estão, basicamente, eu acho, estáveis ​​em termos de tráfego nos EUA e, como você disse, quase 1% em termos de tráfego internacional. Então, isso não é muito. Ainda assim, dado o número de lojas que eles têm, 1% do tráfego é bom, e melhor do que muitas outras empresas no espaço de fast-food estão fazendo atualmente.

Colina: Interessante aquele café da manhã durante todo o dia, que foi um fator tão importante quando foi revelado pela primeira vez no primeiro ano ou assim, neste último trimestre, o McDonald's admitiu: "Sim, estamos lidando com uma competição maior no que diz respeito ao café da manhã." Então, isso é algo que presumivelmente eles tentarão trabalhar no próximo ano ou assim.

Barker: Sim, o sucesso convida à competição. Todo mundo não vai apenas assistir ao sucesso do McDonald's nisso e não vai copiá-lo.

Colina: A exceção é Chipotle. [risos]

Barker: Como indicamos, agora que há uma nova administração, pode haver alguma reconsideração se o café da manhã poderia fazer parte de sua estrutura. Eu não entendo porque não.

Colina: E Brian Niccol, o novo CEO da Chipotle, na última ligação, ele basicamente colocou a questão do café da manhã de lado. Ele não descartou imediatamente, mas basicamente disse: "Há outras coisas nas quais vamos nos concentrar e vamos revisitar isso algum tempo depois." Então, eu ficaria surpreso se, daqui a dois anos, estivéssemos sentados aqui e Chipotle, se eles não tivessem revelado o café da manhã, pelo menos não estavam no processo.

Barker: Eu concordaria que parece ser uma oportunidade óbvia para eles. No entanto, parece que é assim há anos, e eles têm suas razões, aparentemente relacionadas com a rotação dos ingredientes e os problemas de transição que teriam do café da manhã para o almoço. Não sei, acho que eles são inteligentes o suficiente para descobrir isso.

Mas, eles precisam fazer com que as pessoas cheguem, e é nisso que estão se concentrando, aumentando o tráfego. E eles têm muitas coisas para resolver em seu prato. So, I can see not taking on breakfast as well at the moment, given new management and a decision to focus. They have opportunities in advertising there as well.

But, getting back to the competition in the all-day breakfast, who else is doing that? Nobody else, I think, has gotten the same bang for getting into that.

Hill: Not so much, but just in terms of those hours, I saw one analyst talking about Burger King making some strides in the traditional breakfast hours. As you said, when they see the success, it invites competition.


McDonald's Shares Shared the Love After an Earnings Beat

In this segment from the MarketFoolery podcast, host Chris Hill and Motley Fool Asset Management's Bill Barker make a meal of McDonald's (NYSE:MCD) first-quarter report, and like the market, find it quite tasty. Same-store sales were up -- both U.S. comps and international -- and the underlying reason why it speaks directly to how the fast-food giant is evolving. From pricing moves to competitive moats, the Fools consider what the company is doing best and where it still has work to do.

A full transcript follows the video.

This video was recorded on April 30, 2018.

Chris Hill: Let's move on to McDonald's. McDonald's shareholders, congratulations! You're having your best day in over a year. Shares of McDonald's up 5% after first quarter profits came in higher than expected. Their same-store sales in the U.S. were, at least in terms of that metric, the shining star of the globe, because U.S. comps were a good bit higher than international comps. I found it interesting that what was really driving that was the larger ticket price. Interesting in the sense that McDonald's really does push the value proposition of their menu. So, the fact that they were able to raise comps in the U.S. on a larger ticket order, one, is interesting, and two, good for them.

Bill Barker: Alright, well, one thing is, I'm going to possibly correct you, or at least try to get at the source of your information --

Hill: Or misinformation.

Barker: Well, I have the U.S. comps at 2.9% and global comps at 5.5%.

Hill: Oh! Then, clearly, that's misinformation, because I saw global comps up not even 1%. But, clearly I misread that.

Barker: Well, there may have been some currency translation things, or you might just be wrong.

I don't know! I'm trying to figure it out or find out whether the data that I'm looking at is wrong, which I hope is not the case. Anyway. 2.9% up in the U.S., how good is that? Well, it's definitely good. They have a lot of restaurants, and most of that is from inflation on the ticket price. They would say this is raising prices, not that they're getting more traffic, but that they successfully raised prices, and they raised prices a little bit more, but not a lot more, than inflation. Let's round 2.9% to 3%, inflation over that time period has been close to 2%. Still doing a good job raising prices.

Internationally, some parts of the world are growing 7-8% on comps. Again, I don't know if that's affected in a large chunk by the currency translation or not, but there are a lot of restaurants. They have successfully refranchised a lot. If you look at their total numbers, revenue for the company is not really going up over time. They're getting more profitable by refranchising, and they have a lower risk model that way.

Hill: I figured out my mistake. You're correct. And you know how much I hate to say those words out loud. Global same-store sales growth, 5.5%. The 0.8% number that I saw had to do with global guest counts, which enables a teaching moment, which is, when we're talking about same-store sales, there are a couple of ways to get there. One is to get more people through the door. The other is to raise prices. And, at least for this latest quarter, McDonald's is doing a little bit better job of effectively raising prices than they are at getting more people through the door.

Barker: sim. They are doing, basically, I think, flat in terms of traffic in the U.S., and as you say, almost up 1% in terms of traffic internationally. So, that's not a lot. Still, given the number of stores that they have, 1% traffic is good, and better than a lot of the other companies in the fast-food space are doing these days.

Hill: Interesting that all-day breakfast, which was such a big driver when it was first unveiled for the first year or so, in this latest quarter, McDonald's admitted, "Yea, we're dealing with some higher competition on the breakfast front." So, that's something that presumably they will look to work on over the next year or so.

Barker: Yeah, success invites competition. Everybody is not going to just watch McDonald's succeed wildly at that and not copy them.

Hill: The exception being Chipotle. [laughs]

Barker: As we've indicated, now that there's new management, there may be some reconsideration of whether breakfast could be part of their structure. I don't understand why not.

Hill: And Brian Niccol, the new CEO at Chipotle, on the latest call, he essentially put the question of breakfast to the side. He didn't dismiss it outright, but he basically said, "There are other things we're going to focus on, and we'll revisit that sometime later." So, I would be surprised if, two years from now, we were sitting here and Chipotle, if they hadn't unveiled breakfast, they were not at least in the process of it.

Barker: I would agree that it seems to be an obvious opportunity for them. It's seemed that way for years, though, and they have their reasons, seemingly having to do with the turnover of the ingredients and the transition issues that they would have going from breakfast to lunch. I don't know, I think they're smart enough to figure that out.

But, they need to get people coming in, and that's what they're focusing on, increasing the traffic. And they do have a lot of things to solve on their plate. So, I can see not taking on breakfast as well at the moment, given new management and a decision to focus. They have opportunities in advertising there as well.

But, getting back to the competition in the all-day breakfast, who else is doing that? Nobody else, I think, has gotten the same bang for getting into that.

Hill: Not so much, but just in terms of those hours, I saw one analyst talking about Burger King making some strides in the traditional breakfast hours. As you said, when they see the success, it invites competition.


McDonald's Shares Shared the Love After an Earnings Beat

In this segment from the MarketFoolery podcast, host Chris Hill and Motley Fool Asset Management's Bill Barker make a meal of McDonald's (NYSE:MCD) first-quarter report, and like the market, find it quite tasty. Same-store sales were up -- both U.S. comps and international -- and the underlying reason why it speaks directly to how the fast-food giant is evolving. From pricing moves to competitive moats, the Fools consider what the company is doing best and where it still has work to do.

A full transcript follows the video.

This video was recorded on April 30, 2018.

Chris Hill: Let's move on to McDonald's. McDonald's shareholders, congratulations! You're having your best day in over a year. Shares of McDonald's up 5% after first quarter profits came in higher than expected. Their same-store sales in the U.S. were, at least in terms of that metric, the shining star of the globe, because U.S. comps were a good bit higher than international comps. I found it interesting that what was really driving that was the larger ticket price. Interesting in the sense that McDonald's really does push the value proposition of their menu. So, the fact that they were able to raise comps in the U.S. on a larger ticket order, one, is interesting, and two, good for them.

Bill Barker: Alright, well, one thing is, I'm going to possibly correct you, or at least try to get at the source of your information --

Hill: Or misinformation.

Barker: Well, I have the U.S. comps at 2.9% and global comps at 5.5%.

Hill: Oh! Then, clearly, that's misinformation, because I saw global comps up not even 1%. But, clearly I misread that.

Barker: Well, there may have been some currency translation things, or you might just be wrong.

I don't know! I'm trying to figure it out or find out whether the data that I'm looking at is wrong, which I hope is not the case. Anyway. 2.9% up in the U.S., how good is that? Well, it's definitely good. They have a lot of restaurants, and most of that is from inflation on the ticket price. They would say this is raising prices, not that they're getting more traffic, but that they successfully raised prices, and they raised prices a little bit more, but not a lot more, than inflation. Let's round 2.9% to 3%, inflation over that time period has been close to 2%. Still doing a good job raising prices.

Internationally, some parts of the world are growing 7-8% on comps. Again, I don't know if that's affected in a large chunk by the currency translation or not, but there are a lot of restaurants. They have successfully refranchised a lot. If you look at their total numbers, revenue for the company is not really going up over time. They're getting more profitable by refranchising, and they have a lower risk model that way.

Hill: I figured out my mistake. You're correct. And you know how much I hate to say those words out loud. Global same-store sales growth, 5.5%. The 0.8% number that I saw had to do with global guest counts, which enables a teaching moment, which is, when we're talking about same-store sales, there are a couple of ways to get there. One is to get more people through the door. The other is to raise prices. And, at least for this latest quarter, McDonald's is doing a little bit better job of effectively raising prices than they are at getting more people through the door.

Barker: sim. They are doing, basically, I think, flat in terms of traffic in the U.S., and as you say, almost up 1% in terms of traffic internationally. So, that's not a lot. Still, given the number of stores that they have, 1% traffic is good, and better than a lot of the other companies in the fast-food space are doing these days.

Hill: Interesting that all-day breakfast, which was such a big driver when it was first unveiled for the first year or so, in this latest quarter, McDonald's admitted, "Yea, we're dealing with some higher competition on the breakfast front." So, that's something that presumably they will look to work on over the next year or so.

Barker: Yeah, success invites competition. Everybody is not going to just watch McDonald's succeed wildly at that and not copy them.

Hill: The exception being Chipotle. [laughs]

Barker: As we've indicated, now that there's new management, there may be some reconsideration of whether breakfast could be part of their structure. I don't understand why not.

Hill: And Brian Niccol, the new CEO at Chipotle, on the latest call, he essentially put the question of breakfast to the side. He didn't dismiss it outright, but he basically said, "There are other things we're going to focus on, and we'll revisit that sometime later." So, I would be surprised if, two years from now, we were sitting here and Chipotle, if they hadn't unveiled breakfast, they were not at least in the process of it.

Barker: I would agree that it seems to be an obvious opportunity for them. It's seemed that way for years, though, and they have their reasons, seemingly having to do with the turnover of the ingredients and the transition issues that they would have going from breakfast to lunch. I don't know, I think they're smart enough to figure that out.

But, they need to get people coming in, and that's what they're focusing on, increasing the traffic. And they do have a lot of things to solve on their plate. So, I can see not taking on breakfast as well at the moment, given new management and a decision to focus. They have opportunities in advertising there as well.

But, getting back to the competition in the all-day breakfast, who else is doing that? Nobody else, I think, has gotten the same bang for getting into that.

Hill: Not so much, but just in terms of those hours, I saw one analyst talking about Burger King making some strides in the traditional breakfast hours. As you said, when they see the success, it invites competition.


McDonald's Shares Shared the Love After an Earnings Beat

In this segment from the MarketFoolery podcast, host Chris Hill and Motley Fool Asset Management's Bill Barker make a meal of McDonald's (NYSE:MCD) first-quarter report, and like the market, find it quite tasty. Same-store sales were up -- both U.S. comps and international -- and the underlying reason why it speaks directly to how the fast-food giant is evolving. From pricing moves to competitive moats, the Fools consider what the company is doing best and where it still has work to do.

A full transcript follows the video.

This video was recorded on April 30, 2018.

Chris Hill: Let's move on to McDonald's. McDonald's shareholders, congratulations! You're having your best day in over a year. Shares of McDonald's up 5% after first quarter profits came in higher than expected. Their same-store sales in the U.S. were, at least in terms of that metric, the shining star of the globe, because U.S. comps were a good bit higher than international comps. I found it interesting that what was really driving that was the larger ticket price. Interesting in the sense that McDonald's really does push the value proposition of their menu. So, the fact that they were able to raise comps in the U.S. on a larger ticket order, one, is interesting, and two, good for them.

Bill Barker: Alright, well, one thing is, I'm going to possibly correct you, or at least try to get at the source of your information --

Hill: Or misinformation.

Barker: Well, I have the U.S. comps at 2.9% and global comps at 5.5%.

Hill: Oh! Then, clearly, that's misinformation, because I saw global comps up not even 1%. But, clearly I misread that.

Barker: Well, there may have been some currency translation things, or you might just be wrong.

I don't know! I'm trying to figure it out or find out whether the data that I'm looking at is wrong, which I hope is not the case. Anyway. 2.9% up in the U.S., how good is that? Well, it's definitely good. They have a lot of restaurants, and most of that is from inflation on the ticket price. They would say this is raising prices, not that they're getting more traffic, but that they successfully raised prices, and they raised prices a little bit more, but not a lot more, than inflation. Let's round 2.9% to 3%, inflation over that time period has been close to 2%. Still doing a good job raising prices.

Internationally, some parts of the world are growing 7-8% on comps. Again, I don't know if that's affected in a large chunk by the currency translation or not, but there are a lot of restaurants. They have successfully refranchised a lot. If you look at their total numbers, revenue for the company is not really going up over time. They're getting more profitable by refranchising, and they have a lower risk model that way.

Hill: I figured out my mistake. You're correct. And you know how much I hate to say those words out loud. Global same-store sales growth, 5.5%. The 0.8% number that I saw had to do with global guest counts, which enables a teaching moment, which is, when we're talking about same-store sales, there are a couple of ways to get there. One is to get more people through the door. The other is to raise prices. And, at least for this latest quarter, McDonald's is doing a little bit better job of effectively raising prices than they are at getting more people through the door.

Barker: sim. They are doing, basically, I think, flat in terms of traffic in the U.S., and as you say, almost up 1% in terms of traffic internationally. So, that's not a lot. Still, given the number of stores that they have, 1% traffic is good, and better than a lot of the other companies in the fast-food space are doing these days.

Hill: Interesting that all-day breakfast, which was such a big driver when it was first unveiled for the first year or so, in this latest quarter, McDonald's admitted, "Yea, we're dealing with some higher competition on the breakfast front." So, that's something that presumably they will look to work on over the next year or so.

Barker: Yeah, success invites competition. Everybody is not going to just watch McDonald's succeed wildly at that and not copy them.

Hill: The exception being Chipotle. [laughs]

Barker: As we've indicated, now that there's new management, there may be some reconsideration of whether breakfast could be part of their structure. I don't understand why not.

Hill: And Brian Niccol, the new CEO at Chipotle, on the latest call, he essentially put the question of breakfast to the side. He didn't dismiss it outright, but he basically said, "There are other things we're going to focus on, and we'll revisit that sometime later." So, I would be surprised if, two years from now, we were sitting here and Chipotle, if they hadn't unveiled breakfast, they were not at least in the process of it.

Barker: I would agree that it seems to be an obvious opportunity for them. It's seemed that way for years, though, and they have their reasons, seemingly having to do with the turnover of the ingredients and the transition issues that they would have going from breakfast to lunch. I don't know, I think they're smart enough to figure that out.

But, they need to get people coming in, and that's what they're focusing on, increasing the traffic. And they do have a lot of things to solve on their plate. So, I can see not taking on breakfast as well at the moment, given new management and a decision to focus. They have opportunities in advertising there as well.

But, getting back to the competition in the all-day breakfast, who else is doing that? Nobody else, I think, has gotten the same bang for getting into that.

Hill: Not so much, but just in terms of those hours, I saw one analyst talking about Burger King making some strides in the traditional breakfast hours. As you said, when they see the success, it invites competition.


McDonald's Shares Shared the Love After an Earnings Beat

In this segment from the MarketFoolery podcast, host Chris Hill and Motley Fool Asset Management's Bill Barker make a meal of McDonald's (NYSE:MCD) first-quarter report, and like the market, find it quite tasty. Same-store sales were up -- both U.S. comps and international -- and the underlying reason why it speaks directly to how the fast-food giant is evolving. From pricing moves to competitive moats, the Fools consider what the company is doing best and where it still has work to do.

A full transcript follows the video.

This video was recorded on April 30, 2018.

Chris Hill: Let's move on to McDonald's. McDonald's shareholders, congratulations! You're having your best day in over a year. Shares of McDonald's up 5% after first quarter profits came in higher than expected. Their same-store sales in the U.S. were, at least in terms of that metric, the shining star of the globe, because U.S. comps were a good bit higher than international comps. I found it interesting that what was really driving that was the larger ticket price. Interesting in the sense that McDonald's really does push the value proposition of their menu. So, the fact that they were able to raise comps in the U.S. on a larger ticket order, one, is interesting, and two, good for them.

Bill Barker: Alright, well, one thing is, I'm going to possibly correct you, or at least try to get at the source of your information --

Hill: Or misinformation.

Barker: Well, I have the U.S. comps at 2.9% and global comps at 5.5%.

Hill: Oh! Then, clearly, that's misinformation, because I saw global comps up not even 1%. But, clearly I misread that.

Barker: Well, there may have been some currency translation things, or you might just be wrong.

I don't know! I'm trying to figure it out or find out whether the data that I'm looking at is wrong, which I hope is not the case. Anyway. 2.9% up in the U.S., how good is that? Well, it's definitely good. They have a lot of restaurants, and most of that is from inflation on the ticket price. They would say this is raising prices, not that they're getting more traffic, but that they successfully raised prices, and they raised prices a little bit more, but not a lot more, than inflation. Let's round 2.9% to 3%, inflation over that time period has been close to 2%. Still doing a good job raising prices.

Internationally, some parts of the world are growing 7-8% on comps. Again, I don't know if that's affected in a large chunk by the currency translation or not, but there are a lot of restaurants. They have successfully refranchised a lot. If you look at their total numbers, revenue for the company is not really going up over time. They're getting more profitable by refranchising, and they have a lower risk model that way.

Hill: I figured out my mistake. You're correct. And you know how much I hate to say those words out loud. Global same-store sales growth, 5.5%. The 0.8% number that I saw had to do with global guest counts, which enables a teaching moment, which is, when we're talking about same-store sales, there are a couple of ways to get there. One is to get more people through the door. The other is to raise prices. And, at least for this latest quarter, McDonald's is doing a little bit better job of effectively raising prices than they are at getting more people through the door.

Barker: sim. They are doing, basically, I think, flat in terms of traffic in the U.S., and as you say, almost up 1% in terms of traffic internationally. So, that's not a lot. Still, given the number of stores that they have, 1% traffic is good, and better than a lot of the other companies in the fast-food space are doing these days.

Hill: Interesting that all-day breakfast, which was such a big driver when it was first unveiled for the first year or so, in this latest quarter, McDonald's admitted, "Yea, we're dealing with some higher competition on the breakfast front." So, that's something that presumably they will look to work on over the next year or so.

Barker: Yeah, success invites competition. Everybody is not going to just watch McDonald's succeed wildly at that and not copy them.

Hill: The exception being Chipotle. [laughs]

Barker: As we've indicated, now that there's new management, there may be some reconsideration of whether breakfast could be part of their structure. I don't understand why not.

Hill: And Brian Niccol, the new CEO at Chipotle, on the latest call, he essentially put the question of breakfast to the side. He didn't dismiss it outright, but he basically said, "There are other things we're going to focus on, and we'll revisit that sometime later." So, I would be surprised if, two years from now, we were sitting here and Chipotle, if they hadn't unveiled breakfast, they were not at least in the process of it.

Barker: I would agree that it seems to be an obvious opportunity for them. It's seemed that way for years, though, and they have their reasons, seemingly having to do with the turnover of the ingredients and the transition issues that they would have going from breakfast to lunch. I don't know, I think they're smart enough to figure that out.

But, they need to get people coming in, and that's what they're focusing on, increasing the traffic. And they do have a lot of things to solve on their plate. So, I can see not taking on breakfast as well at the moment, given new management and a decision to focus. They have opportunities in advertising there as well.

But, getting back to the competition in the all-day breakfast, who else is doing that? Nobody else, I think, has gotten the same bang for getting into that.

Hill: Not so much, but just in terms of those hours, I saw one analyst talking about Burger King making some strides in the traditional breakfast hours. As you said, when they see the success, it invites competition.


McDonald's Shares Shared the Love After an Earnings Beat

In this segment from the MarketFoolery podcast, host Chris Hill and Motley Fool Asset Management's Bill Barker make a meal of McDonald's (NYSE:MCD) first-quarter report, and like the market, find it quite tasty. Same-store sales were up -- both U.S. comps and international -- and the underlying reason why it speaks directly to how the fast-food giant is evolving. From pricing moves to competitive moats, the Fools consider what the company is doing best and where it still has work to do.

A full transcript follows the video.

This video was recorded on April 30, 2018.

Chris Hill: Let's move on to McDonald's. McDonald's shareholders, congratulations! You're having your best day in over a year. Shares of McDonald's up 5% after first quarter profits came in higher than expected. Their same-store sales in the U.S. were, at least in terms of that metric, the shining star of the globe, because U.S. comps were a good bit higher than international comps. I found it interesting that what was really driving that was the larger ticket price. Interesting in the sense that McDonald's really does push the value proposition of their menu. So, the fact that they were able to raise comps in the U.S. on a larger ticket order, one, is interesting, and two, good for them.

Bill Barker: Alright, well, one thing is, I'm going to possibly correct you, or at least try to get at the source of your information --

Hill: Or misinformation.

Barker: Well, I have the U.S. comps at 2.9% and global comps at 5.5%.

Hill: Oh! Then, clearly, that's misinformation, because I saw global comps up not even 1%. But, clearly I misread that.

Barker: Well, there may have been some currency translation things, or you might just be wrong.

I don't know! I'm trying to figure it out or find out whether the data that I'm looking at is wrong, which I hope is not the case. Anyway. 2.9% up in the U.S., how good is that? Well, it's definitely good. They have a lot of restaurants, and most of that is from inflation on the ticket price. They would say this is raising prices, not that they're getting more traffic, but that they successfully raised prices, and they raised prices a little bit more, but not a lot more, than inflation. Let's round 2.9% to 3%, inflation over that time period has been close to 2%. Still doing a good job raising prices.

Internationally, some parts of the world are growing 7-8% on comps. Again, I don't know if that's affected in a large chunk by the currency translation or not, but there are a lot of restaurants. They have successfully refranchised a lot. If you look at their total numbers, revenue for the company is not really going up over time. They're getting more profitable by refranchising, and they have a lower risk model that way.

Hill: I figured out my mistake. You're correct. And you know how much I hate to say those words out loud. Global same-store sales growth, 5.5%. The 0.8% number that I saw had to do with global guest counts, which enables a teaching moment, which is, when we're talking about same-store sales, there are a couple of ways to get there. One is to get more people through the door. The other is to raise prices. And, at least for this latest quarter, McDonald's is doing a little bit better job of effectively raising prices than they are at getting more people through the door.

Barker: sim. They are doing, basically, I think, flat in terms of traffic in the U.S., and as you say, almost up 1% in terms of traffic internationally. So, that's not a lot. Still, given the number of stores that they have, 1% traffic is good, and better than a lot of the other companies in the fast-food space are doing these days.

Hill: Interesting that all-day breakfast, which was such a big driver when it was first unveiled for the first year or so, in this latest quarter, McDonald's admitted, "Yea, we're dealing with some higher competition on the breakfast front." So, that's something that presumably they will look to work on over the next year or so.

Barker: Yeah, success invites competition. Everybody is not going to just watch McDonald's succeed wildly at that and not copy them.

Hill: The exception being Chipotle. [laughs]

Barker: As we've indicated, now that there's new management, there may be some reconsideration of whether breakfast could be part of their structure. I don't understand why not.

Hill: And Brian Niccol, the new CEO at Chipotle, on the latest call, he essentially put the question of breakfast to the side. He didn't dismiss it outright, but he basically said, "There are other things we're going to focus on, and we'll revisit that sometime later." So, I would be surprised if, two years from now, we were sitting here and Chipotle, if they hadn't unveiled breakfast, they were not at least in the process of it.

Barker: I would agree that it seems to be an obvious opportunity for them. It's seemed that way for years, though, and they have their reasons, seemingly having to do with the turnover of the ingredients and the transition issues that they would have going from breakfast to lunch. I don't know, I think they're smart enough to figure that out.

But, they need to get people coming in, and that's what they're focusing on, increasing the traffic. And they do have a lot of things to solve on their plate. So, I can see not taking on breakfast as well at the moment, given new management and a decision to focus. They have opportunities in advertising there as well.

But, getting back to the competition in the all-day breakfast, who else is doing that? Nobody else, I think, has gotten the same bang for getting into that.

Hill: Not so much, but just in terms of those hours, I saw one analyst talking about Burger King making some strides in the traditional breakfast hours. As you said, when they see the success, it invites competition.


Assista o vídeo: Sustentabilidade: entenda as vantagens do carro elétrico (Dezembro 2021).