Novas receitas

As 10 coberturas de pizza mais ultrajantes da América

As 10 coberturas de pizza mais ultrajantes da América

Agora, mais do que nunca, nenhum alimento está imune ao excesso. Donuts foram transformados em pães de hambúrguer, rolos de lagosta são adornados com caviar e cachorros-quentes cobertos com foie gras. Pizza, é claro, não é exceção. Continue lendo para aprender sobre as coberturas de pizza mais ultrajantes da América.

As 10 coberturas de pizza mais ultrajantes da América (apresentação de slides)

No fundo, você pode tecnicamente chamar qualquer pão achatado com coisas nele de "pizza". Mas para os propósitos de hoje, estamos restringindo um pouco essa definição, retirando da nossa lista deanunciou 101 melhores pizzas da América. Estes são real pizzas, não apenas truques para atrair turistas ou especialmente os gulosos. Claro, essas pizzas são ultrajantes, mas foram construídas com um olho para o equilíbrio e a harmonia. Eles não são apenas ultrajantes por causa disso, eles também são deliciosos. Elas trabalhar.

Então, o que exatamente torna uma pizza ultrajante? Primeiro, ele precisa se desviar da norma. Houve uma época em que o frango era considerado uma cobertura ultrajante de pizza, mas hoje está disponível em quase todas as lanchonetes de Nova York. Mas ser diferente não é sinônimo de ser ultrajante, o que é mais difícil do que parece. Você pode abrir uma lata de atum e despejar em uma torta simples, mas ninguém vai querer comer isso. No final do dia, uma pizza ultrajante precisa ser diferente, inesperada, criativa, um pouco bizarra e tão saborosa que, quando um cliente se arrisca e faz um pedido, é recompensado com uma combinação de sabores que nunca viu experimentado antes, que eles querem voltar novamente e novamente.

Portanto, se você está procurando uma pizza de queijo com caviar e folha de ouro, não a encontrará aqui. Essas pizzas não foram colocadas juntas para publicidade; eles foram criados por chefs que buscavam redefinir o que uma pizza poderia ser, ao mesmo tempo em que ficavam de olho no equilíbrio e nas delícias. Ao mesmo tempo, não há como negar que também há um senso de diversão aqui, porque no final do dia, comer uma pizza ultrajante deve ser realmente uma boa hora.

Café Bottega, Birmingham, Ala. (Ovo da fazenda: cogumelos, Guanciale, Taleggio, óleo de Porcini)


Nos últimos 30 anos, chef Frank Stitt foi creditado por elevar significativamente o nível da cena culinária do Alabama. Como se o sucesso de seu restaurante Highlands Bar and Grill e a lista de talentos culinários que lançaram suas próprias carreiras de sucesso depois de passar um tempo em sua cozinha não eram impressionantes o suficiente, agora ele está indo em frente e fazendo a mesma coisa para o estado pizza cena. Embora frequentadores devotados possam ter problemas em se desviar dos pratos clássicos de Stitt no Café Bottega, como o carpaccio de carne grelhada, a salada Niçoise e o scaloppini de frango, eles serão especialmente recompensados ​​por qualquer uma das oito pizzas do menu. Tem uma torta branca com linguiça de erva-doce, uma combinação de frango grelhado e pesto, até uma pizza com quiabo e milho. Mas a torta de assinatura do restaurante e que mais agrada ao público é o “Farm Egg”, que é coberto com cogumelos, guanciale, Taleggio e óleo de porcini.

Gusto Pizza Co., Des Moines, Iowa (O Deburgo: molho cremoso de ervas com alho, lombo fatiado, mussarela, Gouda defumado, cremini, vinagrete de erva-limão, romano, manjericão fresco)


Você pode praticamente imaginar as pessoas por trás Gusto Pizza Co. - Amigos Josh Holderness, Joe McConville e Tony Lemmo - sentados tomando algumas cervejas antes de abrir sua pizzaria Des Moines em 2011, e apresentando seu menu como um punfest de cheirar com horas de duração. “Thai Kwon Dough” com molho de amendoim e frango? Pizza “Seoul Food” com bife marinado ao estilo coreano e maionese sriracha? “Vincent Van Goat” com queijo de cabra e pimentão doce frito? “Fromage-A-Trois”? Muito divertido. Mas não confunda a leveza com nada menos do que uma abordagem séria para algumas pizzas deliciosas com crostas finas crocantes e crocantes perfeitamente equilibradas.


12 das pizzas mais exageradas

Transformar a pizza de um prato básico humilde em um veículo para coberturas escandalosas e estilos de crosta alucinantes é, sem dúvida, uma forma de arte.

Grandes cadeias como Pizza Hut, Little Caesars e KFC entraram na ação, ao lado de suas contrapartes pizzarias familiares. Seja uma mistura de fast-food que incorpora uma base de frango frito, que envolve uma infusão de substâncias incomuns ou uma manobra culinária cara coberta com folha de ouro, aqui estão 12 dos mais controversos, inesperados e bizarros pizzas para enfeitar a terra (e nossas papilas gustativas).

Obtenha o resumo. Inscreva-se para receber as principais notícias que você precisa saber agora.


Banana Curry Pizza (Suécia)

Pizza brasileira não é o nome de um tipo específico de pizza, mas é usado como um termo geral para todas as coberturas exclusivas de pizza que você encontrará naquele país. E você vai encontrar muito, devido ao rodízio - também conhecido como rodízio - do atendimento em muitos restaurantes brasileiros, como o Pizza a Bessa em Brasília. Em primeiro lugar, as pizzas têm uma massa fina e provavelmente têm tomates fatiados ou ketchup em vez de molho de pizza. As coberturas incluem ervilhas, cenouras, beterrabas e palitos de batata, e as coberturas de sobremesas variam de banana à pasta de goiaba.


Pizza de abacaxi é um problema de tecla quente

Muitas pessoas amam o abacaxi como cobertura de pizza ou o detestam. No entanto, em 2017, o presidente da Islândia, Gudni Thorlacius Johannesson, transformou o assunto em um assunto muito debatido quando brincou que a pizza de abacaxi deveria ser proibida. O comentário atraiu rapidamente a atenção da mídia em todo o mundo, e Johannesson divulgou uma declaração de acompanhamento em islandês e inglês:

& # 8220Gosto de abacaxis, mas não de pizza & # 8221, escreveu ele. & # 8220Eu não tenho o poder de fazer leis que proíbam as pessoas de colocar abacaxi na pizza. Estou feliz por não ter esse poder. Os presidentes não devem ter poder ilimitado. Eu não gostaria de ocupar esta posição se pudesse aprovar leis proibindo aquilo de que não gosto. Eu não gostaria de viver em um país assim. Para pizzas, recomendo frutos do mar. & # 8221


As 101 melhores pizzas da América


Crédito da foto: Ravi Bangaroo

Arthur Bovino, Editor Executivo do The Daily Meal, anuncia os nomes das '101 Melhores Pizzas da América' para 2015.

Esta é a nossa quarta tentativa anual de procurar a melhor pizza da América, e a nossa terceira 101 (nossa primeira lista cobria apenas 35 - o que estávamos pensando?). Você conhece a expressão "É um trabalho difícil, mas alguém tem que fazer"? Bem, nós amamos pizza, mas tornamos essa lista o mais difícil possível para nós mesmos. É uma das classificações mais monitoradas do The Daily Meal. Porque? Porque os americanos adoram pizza. É uma comida verdadeiramente democrática, uma parte inexorável da vida americana, algo que todos sabem (ou pensam que sabem). As pessoas levam pizza muito a sério. Então nós também.

Você ouviu um tweet de um estranho que ele quer levá-lo em um tour de pizza no Queens, levá-lo em um caminhão para uma fatia clássica do Flushing e, em seguida, pegar um kit médico cheio de manjericão fresco, orégano e Parmigiano-Reggiano para " Dom DeMarco "tudo bem? Você já coletou sugestões de pizzas cheias de amor e azedume de centenas e centenas de leitores para um ano? Tentou localizar e dar sentido a cada lista das melhores pizzas da América, nacional e local, para garantir que você não perdeu uma torta? Organizou e reorganizou as programações de viagens na tentativa de provar pessoalmente as supostas melhores pizzas no maior número possível de cidades americanas? Nós viajamos naquele caminhão. Fizemos tudo isso e muito mais desde a compilação do 101 do ano passado.

Nenhuma lista é perfeita. E temos que nos lembrar, pelo menos uma vez por ano, que outras pessoas podem escrever sobre pizza, mesmo quando estão erradas (especialmente quando estão erradas) - mesmo quando, como o TripAdvisor fez este ano (dois anos após a nomeação As 10 melhores cidades da América para pizza. San Diego?), Eles nomearam a Juliana's do Brooklyn (nº 41 em nossa lista no ano passado) como a melhor pizza da América (saborosa com certeza, mas sério?) E completam as três primeiras com lugares em St. Augustine, Flórida, e Anchorage, Alasca. Não existe má publicidade, certo? (OK, vamos dizer isso: algumas pessoas realmente deveriam ter suas licenças de gravação de pizza revogadas.)

Portanto, ao contrário de muitas listas arbitrárias, classificações diversificadas para fins de envolvimento geográfico e listas de "especialistas" escolhidas por um punhado de escritores de culinária de Nova York, abordamos nossas classificações de forma metódica e abrangente.

Começamos grande, pedindo extragrande e extragrande, considerando 800 pontos em todos os cantos do país - cerca de 100 a mais que no ano passado. Como reduzimos esse número para apenas 101? Para começar, comemos em todas as pizzarias que podemos. Este editor visitou pessoalmente quase metade dos lugares que fizeram a lista este ano. Especialistas em pizza do The Daily Meal - incluindo oito vezes o vencedor do prêmio James Beard e diretor editorial do The Daily Meal Colman Andrews, o editor do Eat / Dine Dan Myers e a editora do restaurante Kate Kolenda - junto com os editores da nossa cidade, Culinary Council especialistas e blogueiros da Culinary Content Network contribuíram.

Mas também recorremos a uma lista geograficamente diversificada de palestrantes de pizza - chefs, críticos de restaurantes, blogueiros, escritores e autoridades de pizza - pedindo a eles que compartilhassem sua experiência considerável com pizza conosco e votassem apenas em lugares onde eles realmente comeram. (Se você está na mídia alimentícia ou é um especialista em pizza reconhecido e discorda desta lista e não votou nela, envie-nos um e-mail com sua credibilidade em pizza e iremos considerá-lo para nosso painel em 2016.)

Estamos indo para uma fatia de massa fina para dizer que nunca antes houve uma lista tão abrangente de pizzas votadas por um grupo tão grande e qualificado de especialistas. Certamente, o painel de 109 membros deste ano é a lista de especialistas em pizza mais longa, mais impressionante e mais cheia de estrelas do The Daily Meal, incluindo 31 mais pizzarias de toda a América do que no ano passado.

Então, quem disse que as 101 pizzas desta lista são as melhores do país? E se "O Rei da Pizza" Dan JanssenPara começar, o dono de uma marcenaria artesanal em Maryland que no ano passado revelou que sobreviveu apenas com uma dieta de pizza nos últimos 25 anos? Outros participantes do painel incluíram personalidade da televisão, chef, redator de culinária e amante da pizza de posto de gasolina Andrew Zimmern, crítico de restaurantes e colunista de vinhos do Los Angeles Times S. Irene Virbila 2012 Classic italiano vencedor do primeiro prêmio no Campeonato Mundial de Pizza em Nápoles (Itália ) Elizabeth Falkner Viva La Pizza, empresária do tour de pizza em Nova York! Autor de The Art of the Pizza Box e detentor do Recorde Mundial do Guinness por sua coleção de caixas de pizza Scott Wiener, da Scott's Pizza Tours Chef pioneiro da culinária modernista da cidade de Nova York Wylie Dufresne of Alder (chef do restaurante do ano de 2014 do The Daily Meal), especialista em passeios culinários a pé em New Haven Colin M. Caplan Crítico gastronômico do New Times de Broward Palm Beach Nicole Danna Autor nomeado para o prêmio James Beard de How Italian Food Conquered the World, autor de How Italian Food Conquered the World John mariani do Virtual Gourmet líder de Mariani, estrategista sênior de conteúdo e editor-gerente do MSN Ilana Bergen Colunista de culinária regional "Great American Bites" do USA Today Larry Olmsted e outros especialistas do HuffPost, The Detroit News, Food Network, Thrillist, o Miami Herald, The Virginian-Pilot e vários blogs de pizza em toda a América. (Leia a lista completa de painelistas deste ano.)

Também temos um especialista especial este ano: a maior autoridade da América em pizzaologia (diz isso ali mesmo na história em quadrinhos de 8 de julho), "Blondie's" Dagwood Bumstead. Isso mesmo, Dagwood pesou. Não posso superar isso.


Crédito da foto: Comics Kingdom

Que tal sua opinião sobre o que torna a torta perfeita? “Uma crosta externa que é crocante, mas ainda parecida com pão e espumante, não muito molho, mas definitivamente caseira”, aconselhou o Sr. Bumstead. "Uma ênfase no queijo, (muito queijo!). Deve ter queijo escorrendo pelas laterais da fatia, então fica uma bagunça elástica quando você puxa a fatia da pizza inteira. Por último, mas não menos importante, apenas a mais fresca ingredientes para completar! E que tal alguns jalapeños para apimentar um pouco! " Você sabia que havia uma razão para você sempre gostar daquele cara, certo?

Este ano, Dagwood e seus colegas painelistas finalizaram uma lista que abrangeu 24 estados. Os 10 principais estados para pizza (nove, tecnicamente, mais o Distrito de Columbia - "Pizza Sem Representação") incluem Nova York (27) Califórnia (11) Connecticut (nove) Pensilvânia (sete) Illinois (seis) Massachusetts (seis) Washington, DC (quatro) New Jersey (quatro) Oregon (três) e Texas (três).

Pelo terceiro ano, o berço da pizza americana, Nova York, apresentou o maior número de pizzas. Mas, pela primeira vez, a participação do Empire State no bolo diminuiu, com apenas 27 pontos (marcou 30 pontos em 2013 e 35 no ano passado). E dentro do estado, a porcentagem de vagas nos cinco distritos da cidade de Nova York também foi menor do que no ano passado (85% em 2015 contra quase 90% em 2014). Em 2014, o Brooklyn reinou com 13 vagas, liderando Manhattan (11), Queens (quatro), Staten Island (três) e Bronx (uma). Essas 31 vagas caíram para 23, com Brooklyn e Manhattan empatados em nove, Staten Island e Queens em duas posições, e os testados e comprovados Louie e Ernie's do Bronx representando isso mais uma vez

Depois de Nova York, Chicago, Los Angeles e Filadélfia empataram em segundo lugar, com seis vagas cada, com Boston e New Haven, Connecticut, não muito atrás com cinco cada. Portland (Oregon), San Francisco e Washington, DC, também empataram com quatro vagas cada, e depois sete cidades empataram com duas pizzas por: Atlanta, Austin, Vegas, Milwaukee, New Orleans, Providence e, sim, Robbinsville, New Jersey (população 3.041).

Entre os homenageados, você encontrará antigos candidatos como Joe's no West Village de Nova York, Una Pizza Napoletana em San Francisco e Pizzeria Bianco em Phoenix, e algumas surpresas sobem na hierarquia: Buddy's em Detroit e Chicago's Coalfire conseguiram entrar o top 10. Mas você terá que verificar a lista completa abaixo e, em seguida, ler as legendas da galeria para saber por que cada lugar desembarcou onde parou. Diremos que as duas melhores tortas foram separadas por apenas um voto (este é um grande ano para as duas pizzarias que as produziram: uma 90 este ano e a outra está prestes a completar 50 anos).

Uma última coisa: sabemos quem nós e nossos muitos painelistas achamos que serve as melhores pizzas da América, mas também gostaríamos de saber quem você acha que serve. É isso mesmo, gostaríamos que você votasse também. Confira a lista, clique em nossa pesquisa (saiba mais sobre o voto popular) e avalie os lugares que perdemos ou que você acha que deveria ter uma classificação superior (ou inferior). Publicaremos os resultados em algumas semanas.

# 101 Ghigiarelli's, Old Forge, Pa. (Vermelho: tomate, queijo tijolo)


Crédito da foto: Arthur Bovino

A Twilight Zone da pizza.

Você tem que dar crédito a uma cidade que se autodenomina a "Capital Mundial da Pizza", especialmente se ninguém teria ouvido falar dela de outra forma. Não Nápoles, Itália. Não é Nova York ou Brooklyn, nem Chicago, São Francisco, Los Angeles ou New Haven. Não, Old Forge, na Pensilvânia, reivindica essa distinção, e em cartazes para a cidade, nada menos.

Cerca de seis locais - Anthony's, Arcaro & Genell, Brutico's, Revello's, Rinaldi's e Ghigiarelli's - compõem as pizzarias que constituem esta ousada reivindicação. Esta Twilight Zone da pizza, esta capital da pizza de sua própria moda, pode muito bem ser um país diferente, também - eles até têm sua própria linguagem de pizza. Peça por cor (vermelho ou branco) ou por corte ou por bandeja.

A misteriosa combinação de queijo que cobre a pizza em Old Forge é um tijolo enigmático que cobre os dentes e a língua de uma forma curiosamente reconfortante, mas enigmática. A pizza branca é semelhante ao calzone, pois tem crosta na parte superior e inferior, mas o caminho a percorrer é a pizza vermelha.

# 100 800 Degrees Neapolitan Pizzeria, Los Angeles, Califórnia (Margherita)

A Califórnia é uma coisa, mas como os nova-iorquinos aceitarão as tortas napoltianas cozidas de 60 segundos?

Os nova-iorquinos ainda estão esperando pelos planejados cinco locais em Nova York para o Chipotle of Pizza, com sede na Costa Oeste, que o co-criador e ex-chef corporativo da Michael Mina, Anthony Carron, e o fundador do Umami Burger, Adam Fleischman, anunciaram no final de 2013, prometendo que começariam " inauguração no próximo ano. "

Qualquer pessoa em dúvida quanto à possibilidade de tortas napolitanas personalizadas e de qualidade, feitas em 60 segundos pela Pizzaria Napolitana 800 Degrees e aparecendo ao lado do Starbucks em todos os bairros, pode alimentar seu ceticismo com relação às pizzas em cadeia, mas não podem ignorar os sete locais na Califórnia, dois em Nevada, um em Illinois e ramificações internacionais em Dubai e no Japão (onde mais sete estão programados para serem inaugurados na próxima década).

# 99 Piece, Chicago, Ill. (Pepperoni e banana peppers)

Em uma cidade conhecida por pratos profundos, os moradores de Chicago aprenderam há muito tempo como dar uma chance à cervejaria e pizzaria Piece de Wicker Park ("Pizza é bom para você!"). O proprietário, Bill Jacobs, já havia começado, vendido e feito a Piece indo além do bem-sucedido negócio da família de bagel Windy City que eles venderam em 1999 (você diria "descanse em Piece", mas depois de seu sucesso de pizza com Piece, ele na verdade agora está de volta bagels também!) três anos antes, esse homeboy de New Haven se aventurou pela pizza em 2002.

Os odiadores protestaram, mas eles logo estavam em Piece comendo as pizzas de crosta fina vermelha, simples (sem mozz) e brancas (crosta lisa escovada com azeite de oliva, alho em cubos e mozz) deste restaurante estilo New Haven, todas as quais recebem pelo menos um pequeno pedaço de Parmigiano-Reggiano, orégano e azeitona. Ingredientes. Você pode ter uma torta clássica de New Haven com tomates frescos ou amêijoas (é claro) e, em algum tipo de acordo pan-New Haven Piece, há também um aceno para Bru Room na pizza de purê de batata de assinatura do Bar (nº 61). É estranho ver batatas fritas, molho de tomate, espinafre quente e molho de tomate no menu? Claro, mas tendo trazido tortas de qualidade no estilo New Haven para Chicago e comprado seu aluguel para que possa fazê-lo nos próximos anos, Jacobs trouxe Piece of mind para os habitantes de Windy City, e entrega para arrancar.

# 98 Artichoke Basille, New York, N.Y. (Alcachofra Slice: Alcachofra corações, espinafre, molho de creme, mussarela, pecorino romano)


Crédito da foto: Alcachofra Basille

Em 2008, usando o que aprenderam enquanto trabalhavam no restaurante da família Basille's em Staten Island (agora fechado), pizzaiolos, primos e melhores amigos Francis Garcia e Sal Basille deram um mergulho para festas, colocaram em uma pizza e viraram uma fatia de uma loja na 14th Street de Nova York em um ícone de pizza e uma vaca leiteira.

Eles agora têm cinco outras locações da Artichoke Basille's Pizza em Nova York (e uma em Berkeley, Califórnia), e ainda há uma fila do lado de fora, junto com os viciados em pizza do lado de fora tentando (sem sucesso) não queimar o céu da boca na cremosa e cremosa fatia de alcachofra.

Eles chegaram ao The Tonight Show e até conseguiram seu próprio programa no Cooking Channel da Food Network. Nada mal mesmo. Alguns podem argumentar que a crosta não é o que costumava ser, mas (e dizemos isso com amor) "Cuz, você não pode argumentar que não é um ícone de pizza de Nova York!"

# 97 Tony's Place, Filadélfia, Pensilvânia (Torta de tomate: mussarela e molho de tomate)


Crédito da foto: Matthew M / Yelp

Você quer uma pizza chique? Sim? Acha que pode lidar com pizza chique? OK, vá para outro lugar. Você não vai encontrar no Tony's, graças a tudo que é sagrado. Como várias pizzarias ótimas dessa lista, o Tony's começou como um lugar que só servia coisas saborosas e salgadas para você comprar mais bebida. Sim, Tony Mallamaci abriu um pequeno bar na esquina das ruas 10th e Jackson em South Philly no final dos anos 1940. Seu irmão Dominic se juntou a ele, e eles começaram a vender sanduíches caseiros (especialidades incluem rosbife e almôndegas), bem como crostas finas com molho de tomate caseiro por cima (sem mozz!).

Dominic e Tony se mudaram para o local atual em 1951, atraindo clientes com fatias gratuitas de torta de tomate. O menu há muito se expandiu para incluir jantares com massas, hambúrgueres, frango à parm, "filé de linguado", poppers jalapeño e uma variedade de outros menus duvidosos de bar, ítalo-americano e padrões de restaurante impossível. Mas a pizza? Como qualquer pessoa da Filadélfia lhe dirá: "Melhor. Tomate. Tortas. Sempre." Você pode cobri-los com anchovas, calabresa, pimentão verde, cogumelo, linguiça e cebola e, por um tempo limitado no Dia dos Namorados, até são servidos em forma de coração.

# 96 Micucci's Grocery, Portland, Maine (Sicilian Slab: San Marzano tomates, alho, mussarela)


Crédito da foto: Arthur Bovino

A Mercearia Micucci foi inaugurada em 1951 por Leo e Iris Micucci, e desde então é administrada por uma família. É mais uma loja de sanduíches com delicatessen e produtos secos do que pizzaria. Mas o motivo para visitar este ícone de Portland está nos fundos, subindo as escadas à esquerda, onde "fatias" de pizza americana ao estilo siciliano são assadas e colocadas nas prateleiras.

A palavra "placas" não faz justiça a essas fatias - um híbrido curioso, com certeza, elas não são tão pesadas quanto as bombas intestinais que a maioria das descrições transmite. Metade de novo maiores do que a fatia siciliana convencional e tão grossas quanto mais úmidas e pastosas, as placas de Micucci podem não ser italianas autênticas, mas parecem uma iteração idealizada do estilo focaccia que você sempre buscou, mas nunca experimentou.

Cada um tem cerca de meio pé de comprimento. Há uma cornicione irregular de centímetro a centímetro, que não é muito diferente do resto da fatia, exceto que é mais seca por não ser coberta pelo pincel de molho doce e camada incompleta de mussarela cobrindo o resto disso.

"Pillowy" e "airy" têm sido usados ​​para descrever essas pizzas e, sem dúvida, serão enquanto Micucci continuar a fazer as coisas dessa maneira (da maneira certa, veja bem). Imagine uma focaccia leve e fofa - quase uma polegada de altura em alguns lugares, mas não mais fina que um terço de uma polegada em qualquer lugar - que é pastosa e um pouco mais úmida do que a maioria com camadas de bolhas. Há algumas ervas italianas espalhadas por cima, com riachos de queijo e subcorrentes de molho ao redor de seções fofas de massa. Não há nenhuma crosta para falar, mas alguns pontos crocantes de queijo em alguns lugares, especialmente nas bordas.

Não é pizza em nenhum outro sentido regional americano tradicional, nem você pode dizer que é exatamente italiana. Mas há algo intensamente certo e satisfatório nisso. Considere o prazer quente e arejado de uma massa recém-assada sem muita crosta, o sabor de um molho doce e o sabor salgado de um queijo recém-derretido, e você terá a ideia de uma fatia fresca de Micucci.

# 95 Pizzeria Locale, Boulder, Colorado (Funghi: Mozzarella: pecorino, fontina, porcini, cogumelo branco assado, alho, chalota)


Crédito da foto: Pizzeria Locale / Alex Joyce

Não deve ser surpresa que o Frasca, um dos melhores restaurantes da América, lançou uma ramificação que serve algumas das melhores pizzas do país. O que acontece agora que os restaurateurs Bobby Stuckey e Lachlan Mackinnon-Patterson se juntaram ao Chipotle para lançar o restaurante como um conceito fast-casual, no entanto, ainda está para ser visto.

Parece haver um pensamento por aí que a América precisa de uma cadeia de pizzarias napolitanas fast-casual de alta qualidade. Talvez seja verdade que haja uma lacuna em um mercado dominado por franquias sonâmbulas que se contentam em lançar bombas instintivas pastosas e com molho excessivamente doce durante anos. Talvez não haja realmente nada de errado com a ideia de fornos de lareira rotativos movidos a gás e infravermelho de fornos de lareira rotativos movidos a gás e infravermelho que em grande parte tiram o elemento humano do cozimento. Ou talvez os americanos pensem que a pizza de um restaurante casual rápido deve ser comida com uma mão e sem faca ou garfo, você sabe, como o que os nova-iorquinos chamariam de "uma fatia".

O que ficou claro até agora é que esta pizzaria autodenominada contemporânea inspirada nas tradicionais pizzarias de Nápoles sabe como trazê-la.

A Pizzeria Locale, em Boulder, com serviço completo, serve 14 tortas (sete cada uma branca e uma vermelha), entre elas o funghi, que, por US $ 20, você pode comprar no nível seguinte com a trufa negra de verão da Úmbria. O menu da Pizzeria Locales "de serviço rápido" em Denver (onde há duas), Kansas City e logo Cincinnati apresenta 10 tortas de 11 polegadas que são um pouco mais convencionais (embora uma versão da pizza mais com milho doce, presunto, crème fraîche e alho fizeram o corte). Mas você pode criar seus próprios combos interessantes com suas 25 coberturas.


25 das coberturas de hambúrguer mais loucas dos EUA

Existem muitas maneiras de preparar um hambúrguer além de alface, queijo e tomate. (Sushi? Hum, tudo bem.) Em preparação para o Dia Nacional do Hambúrguer em 28 de maio, estamos servindo as coberturas de hambúrguer mais exclusivas dos EUA.

1. HOT FUDGE // MCGUIRE'S IRLANDÊS // PENSACOLA, FLÓRIDA

Por que esperar pela sobremesa? Os clientes do saloon irlandês podem misturar doces e salgados, pedindo um hambúrguer de carne Black Angus de três quartos de libra coberto com uma concha de sorvete de baunilha com calda quente.

2. RAMEN // RAMEN BURGER // VÁRIOS LOCAIS

Jason Wong, Flickr // CC por NC-ND 2.0

Os icônicos Ramen Burgers de Keizo Shimamoto podem ser encontrados nos Estados Unidos em vários mercados de pulgas e praças de alimentação em Nova York. Este hambúrguer embala hambúrgueres de carne de primeira qualidade do USDA entre pãezinhos de macarrão temperados com cebolinha e cobertura de shoyu. No auge da mania, centenas de clientes fizeram fila para experimentar esta criação fenomenal de hambúrguer.

3. CREME QUEIJO // GRELHE TODOS // ALHAMBRA, CALIFÓRNIA

O food truck e restaurante Grill 'Em All's inspirado no heavy metal (o frontman do Twisted Sister, Dee Snider, comeu lá!) Tem duas opções cobertas de cream cheese: Napalm Death, que também tem jalapeño em conserva, jalapeño poppers e habanero aioli e o Witte com bacon frito, Sriracha, cebola grelhada e molho de vinagre de malte. O queijo cremoso é uma adição frequente aos hambúrgueres rotativos da semana, e o local foi destaque no Food Network's A melhor coisa que eu já comi e venceu a 1ª temporada de A Grande Corrida de Food Truck.

4. AMENDOIM MAIONESE // LUGAR DE MATT // BUTTE, MONTANA

Craig L., Yelp

No restaurante drive-in mais antigo do The Treasure State, a opção de menu mais popular é surpreendente. Quem sabe opta pelo Nutburger - um hambúrguer de carne coberto com maionese de amendoim amassada.

5. PORCO PUXADO // PONTO B // VÁRIOS LOCAIS

O deleite de um carnívoro! O menu deste restaurante casual, com oito locais no meio-oeste, incluindo Cleveland, Columbus, Detroit e Indianápolis, inclui o premiado Porky: um hambúrguer coberto de carne de porco desfiada, salada de repolho e molho barbecue ao estilo de Cleveland (feito com mostarda marrom).

6. MANGA, PERA E PINHO // FLIP BURGER BOUTIQUE // ATLANTA

No Top Chef All Stars A lanchonete de luxo do vencedor Richard Blais - onde eles afirmam "pegar o clássico americano e virar de cabeça para baixo" - você pode pedir hambúrgueres compostos por bife tártaro, camarão, cordeiro e bisão. Mas talvez a oferta mais original seja o hambúrguer de tártaro de atum cru que vem temperado com molho de soja e maionese de wasabi e coberto com pêra asiática, purê de abacate, pinhões e uma esfera de manga.

7. QUEIJO GRELHADO BACON // VORTEX BAR & amp GRILL // ATLANTA

O Vortex Bar & amp Grill de Atlanta aumenta a parada com seu Triplo Coronary Bypass: dois patty derretidos e um bacon com queijo grelhado servem como pães. O sanduíche consiste em duas fatias de pão branco, quatro fatias de torrada do Texas espessa e amanteigada, 18 tiras de bacon, 24 onças de lombo, 18 fatias de queijo americano, três ovos fritos e maionese. A refeição de mais de 7.000 calorias vem com bolinhos cobertos com pedaços de queijo e bacon.

8. MANTEIGA DE BANANA FRITADA E AMENDOIM // BOSTON BURGER COMPANY // BOSTON

Christina O., Yelp

Muitas lanchonetes oferecem homenagens a Elvis Presley e seu amor por sanduíches de manteiga de amendoim e banana. (Peça variações no The Vortex Bar & amp Grill em Atlanta e no Grumpy’s Bar & amp Grill em Minneapolis.) Na Boston Burger Company é o The King, que é coberto com manteiga de amendoim, bacon e bananas fritas e polvilhado com canela e açúcar. Tenha piedade!

9. DONUTS // CYPRESS STREET PINT & amp PLATE // ATLANTA

O conceito de donuts-as-buns não é exclusivo do famoso food truck de Minneapolis Eli's Donut Burgers - The Original em Portland, Oregon, oferece um aperitivo de leite com leite glaceado e o Buzz Bar de Chicago era conhecido por servir um hambúrguer de donut com aioli de trufas e morangos caramelizados. Atualmente, no Cypress Street Pint & amp Plate, o Sublime Donut Burger é servido com bacon defumado de macieira, queijo cheddar e cebolas caramelizadas imprensadas entre os donuts recém-assados ​​da padaria local Sublime. (Sublime também tem sua própria opinião sobre o hambúrguer.)

10. CESAR DRESSING // HAMBURGERS PEQUENO MIKE // OKLAHOMA CITY, OKLAHOMA

A especialidade desta instituição de Oklahoma City é o Caesar Burger, que é embebido em molho cremoso. Bônus: você pode dizer a si mesmo que basicamente pediu uma salada.

11. RECHEIOS E MOLHO DE CRANBERRY // WAHLBURGERS // VÁRIOS LOCAIS

Wahlburgers

Comemore o Dia de Ação de Graças o ano todo no Wahlburgers, a famosa rede de hambúrgueres apoiada por Mark Wahlberg e seus irmãos Paul e Donnie. (Até agora, há locais em Massachusetts, Flórida, Nevada, Nova York e Pensilvânia.) Os irmãos famosos criaram o Sanduíche do Dia de Ação de Graças com peru temperado, recheio e abóbora assada e cobriram-no com molho de cranberry de laranja caseiro e maionese.

12. JAM // WEST EGG CAFÉ // ATLANTA

No West Egg Café, hambúrgueres são cobertos com geleia de tomate, queijo com pimentão e bacon para criar o “PB & ampJ.” Na Boston Burger Company, “the Sophie” usa geleia de figo com presunto, queijo de cabra, nozes cristalizadas e rúcula.

13. CAVIAR // SERENDIPITY 3 // CIDADE DE NOVA IORQUE

Ao pedir o Le Burger Extravagant neste ponto turístico de Manhattan, você receberá um hambúrguer de carne Wagyu infundido com manteiga de trufas de 10 ervas, coberto com cheddar envelhecido nas cavernas de 18 meses, trufas pretas raspadas, ovo de codorna frito e caviar Kaluga. Claro, você precisará planejar com antecedência (48 horas) e desembolsar incríveis $ 295 por este hambúrguer, que é mantido junto com um palito de dente de ouro maciço incrustado de diamantes. (Você pode terminar a decadência com a fava de baunilha taitiana de $ 1000 e o sundae de folha de ouro comestível.) Se isso for muito rico para o seu sangue, eles também oferecem um hambúrguer de caviar mais modesto com creme de leite e pepino, um roubo por $ 18,50.

14. GELADO FRITADO // FEIRA DO ESTADO DA FLÓRIDA // TAMPA, FLÓRIDA

Entre os itens à venda na Feira Estadual da Flórida anual em Tampa: um cheeseburger com bacon coberto de alface, cebola, picles, tomate ... e uma colher considerável de sorvete frito.

15. MANTEIGA E GELÉIA DE AMENDOIM // SLATER'S 50/50 // SAN DIEGO, CALIFÓRNIA

Aselicia S., Yelp

O posto avançado do sul da Califórnia (também há lojas em Anaheim Hills, Huntington Beach, Pasadena, Rancho Cucamonga e San Marcos) não tem falta de pratos criativos. Veja: o Sriracha Burger e o Hawaiian, que vem com spam. But the Peanut Butter & Jellousy may be the most out there, with peanut butter and strawberry jelly covering a slab of beef and bacon (plus, it gets major points for its name).

16. FRITOS // FIFTH THIRD BALLPARK // COMSTOCK PARK, MICHIGAN

Each year, just north of Grand Rapids, fans of the city’s minor league baseball team the West Michigan Whitecaps are given the chance to vote a new food item into the stadium’s concession stand. The 2009 offering stuck: a giant slab of five patties, American cheese, chili, salsa, nacho cheese, lettuce, tomato, sour cream, and Fritos. The burger can be cut into four pieces with a pizza cutter for sharing, but finishing the entire 5000 calorie sandwich by the end of the game earns you a T-shirt and your photo in the Fifth Third Burger Wall of Fame. Batter up!

17. FOIE GRAS AND TRUFFLES // BURGER BAR // LAS VEGAS

Indulge your late night cravings on the Las Vegas Strip with chef Hubert Keller's $60 Rossini burger. He tops Australian Wagyu beef with sautéed foie gras, shaved truffles, and black truffle sauce. Or feel free to add your own creation. The restaurant’s list of toppings includes coleslaw, macaroni salad, asparagus, pineapple, and large shrimp, among others.

18. KIMCHI // UMAMI BURGER // VARIOUS LOCATIONS

The popular chain—with locations in California, New York, and Chicago—offers a Korean barbecue-inspired dish that comes with Gochujang glaze, sesame aioli, Korean ketchup, and caramelized kimchi.

19. SHRIMP // BURGER & BEER JOINT // VARIOUS LOCATIONS

At this Sunshine State favorite, you can order burgers named after classic rock songs like the Paradise City, where the beef is thick (a half pound) and topped with poached and seared Cajun spiced shrimp.

20. MAC AND CHEESE // ZOMBIE BURGER + DRINK LAB // DES MOINES, IOWA

SanDee W., Yelp

At the quirky, undead-themed restaurant you can choose from cleverly named burgers such as the Dawn of the Dead, They’re Coming to Get You Barbara, and The Walking Ched. The last shoves a burger, cheddar cheese, and a scoop of macaroni and cheese between two pieces of deep-fried mac and cheese.

21. PIZZA // NOSH // PORTLAND, MAINE

This is no ordinary pizza burger. At Nosh, the Slab Burger uses two slices of pie to sandwich a beef patty, provolone cheese, red pepper, marinara, and pesto.

22. HOT DOG // MOTHER'S FEDERAL HILL GRILLE // BALTIMORE, MARYLAND

No need to decide between two barbecue classics at this Maryland eatery. Order up The Dog [PDF] and have your Angus beef topped off with an all beef hot dog, chili, and cheese sauce.

23. SUSHI // 26 BEACH // VENICE, CALIFORNIA

Christine T., Yelp

This oceanside spot claims to make the only California roll hamburger in the world. To make the one-of-a-kind burger, they take a beef patty then stack it with snow crab salad, avocado, sushi ginger, lettuce, tomato, nori, and wasabi shoyu mayonnaise.

24. BUTTER AND MAPLE SYRUP // BUTTERMILK KITCHEN // ATLANTA

Breakfast burger? Bring it on! Order the special Dad’s Waffle ($13 at this Southern eatery) and bite into a huge burger patty on a sourdough waffle, doused in butter and maple syrup.

25. COMMUNION WAFER // KUMA'S CORNER // CHICAGO

In 2013, the Chicago kitchen created a holy controversy with their "Ghost" burger. After local Catholics objected to the deity—a burger with ghost chile aioli, goat shoulder, a red wine reduction they dubbed the blood of Christ, and an unconsecrated communion wafer—the restaurant promised to donate $1500 to the Catholic Charities of the Chicago Archdiocese. Their offering was refused.


The 25 Most-Over-the-Top Bloody Marys in America

The streamlined initial recipe of vodka and tomato juice now serves as a mere jumping-off point for everything under the sun in these 25 totally off-the-wall Bloody Marys.

Relacionado a:

Photo By: Rockit Ranch Productions

The Barn Yard Bloody Mary at Farmer's Table, La Mesa, California

While largely an ode to refined, farm-to-table cuisine, this Cali eatery has tongue-in-cheek fun with its theme during brunch, when five wacky Bloody Marys are on offer. The Peter Rabbit (cheese-stuffed mushroom caps and assorted veggies) and the Butcher's Block (sage-fennel sausage and braised short ribs) set the stage in a comparatively sedate way, but the showstopper is the $45 Barn Yard, a cornucopia of bacon-wrapped shrimp, fresh mozzarella, seasonal vegetables and a whole roasted chicken, meant to satisfy four thirsty (and famished) farmhands.

The Sumo Mary at Sunda, Chicago

You'll need a pretty strong constitution to wrestle with the 32-ouncer at Chicago's Southeast Asia-referencing Sunda. It tips the scales with half a grilled cheese sandwich, braised pork belly, Chinese broccoli, pickled daikon, shishito peppers and roasted potatoes, a crab sushi roll, the Filipino spring roll known as lumpia and a saucy duck bao. Talk about a knockout.

Mama Betty's Bloody Mary at The Bellwether, Studio City, California

Sharing is encouraged during The Bellwether's convivial brunch hours &mdash except, that is, when it comes to cocktails. That means you're fully within your rights if you bogart your Bloody Mary, appetizingly assembled from house-infused habanero vodka, house mix, bacon salt, pepperoncini, cornichons and an adorable mini BLT.

The Brunch for Two at Party Fowl, Nashville, Tennessee

This Nashville funhouse certainly isn't guilty of false advertising when it comes to its infamous Brunch for Two. There's no reason to bother with anything else on the menu, considering this goblet-proportioned offering provides patrons with more calories than they can possibly need in a day, presented on sticks precariously stacked with fried okra, a halved avocado, Scotch eggs, olives and two split hot Cornish game hens.

The Big Fix at Flipside, Nashville, Tennessee

Nashville strikes again, thanks to Flipside, which makes a play for Party Fowl's Bloody Mary crown with The Big Fix. A dill pickle and bacon share real estate in a frosted mug with a skewer brandishing fried chicken cutlet wedges and Tater Tots, and a massive snow-crab claw is draped dramatically over the side.

The BBQ Bloody Mary at That Boy Good BBQ, Oceanside, California

That Boy Good treats its Bloodys in much the same way it approaches its low-and-slow-smoked meats. The chef whips up his own Mary mix (flavored with a dash of BBQ sauce, of course) and uses his all-purpose rub to rim the glass. Jalapeno-infused vodka joins the party, as do celery, olives, limes, pickled veggies and the coup de grâce, a hulking smoked rib.

The Motherlode Mary at Black Iron Kitchen & Bar, Telluride, Colorado

You may want to postpone hitting the slopes after you've gotten a load of the Mary at this apres-ski lounge at the Madeline Hotel. Not only is there a fair amount of vegetation involved (cherry peppers, pickled okra, haricots verts and baby corn), but it packs a protein punch, too, thanks to multiple rashers of crisped bacon and a brawny lamb slider.

The Bloody Best at The Nook, Atlanta

We've got Georgia on our minds, thanks to the awe-inspiring Bloody Best at The Nook. A 32-ounce tumbler barely contains the lava-red drink soused with black pepper vodka, to say nothing of the skewers strung with steak, Tater Tots, pepperoncini, bacon, hard-boiled eggs, beef straws and a slice of buttered toast.

The Chubby Mary at The Cove, Leland, Michigan

Seafood (in the form of oysters, shrimp and lobster) is a pretty standard addition to Bloody Marys. Yet The Cove, situated in Leland's Fishtown neighborhood, serves a Bloody that's, well, a fish out of water in a rather delectable way: A whole smoked chub rises from its brackish, horseradish- and vodka-spiked depths.

The Pizza Bloody Mary at Homeslice, Chicago

While we don't necessarily think of pizza parlors as standard brunch destinations, this quirky Chicago pie slinger is actually a brilliant option for anyone whose go-to fast breaker is a leftover, refrigerated slice. And truly, there's no better hangover cure than a spicy, tomato-rich Bloody, crowned with a chilled triangle of Hawaiian-style 'za &mdash although the accompanying Miller High Life pony might just jump-start a new buzz.

The Bloody Mary Bar at Andiron Steak and Sea, Las Vegas

Not only is Andiron's Bloody Mary bar DIY, but it's bottomless as well, meaning you can spend the better part of the day composing bespoke cocktails from bottles of original, spicy, roasted tomatillo or briny, clam-permeated juice, plus 12 salts, 21 hot sauces, and myriad bowls overflowing with Marcona almond- or blue cheese-stuffed olives, beef jerky, bacon, poached shrimp and Slim Jims. And it's up to you how heavy a hand you use with the vodka or tequila. Hey, what happens in Vegas stays in Vegas.

The Shellfish Bloody at Luke Wholey's Wild Alaskan Grille, Pittsburgh

This seafood haven carries its under-the-sea motif straight through to brunch, gamely loading pint glass-proportioned Bloodys with everything from spice-rubbed prawns to whole, flash-fried soft-shell crabs in season, adorably adorned with two pimento-stuffed olives for eyes.

The F*%# Brunch Bloody Mary at Anvil Pub, Dallas

Anvil Pub may thumb its nose at brunch with its colorfully named cocktail, but it's only served to bolster the weekend crowds at this Deep Ellum haunt. One of four flagrantly insane tipples (the others are a breakfast sandwich-mounted mimosa, a chimichanga-capped sangria and a cinnamon roll-cloistered screwdriver), the Bloody comes reinforced with revolving toppings such as a bacon cheeseburger, beef jerky, Brussels sprouts, shrimp, asparagus, crawfish and a half-pint of PBR.

The Bloody Buck at Buck's Naked BBQ, Maine

Dry-rubbed, hardwood-infused meat finds its way into most everything at this duo of Maine-based BBQ joints. And that very much extends to the drinks menu, where margaritas, dark and stormys and, yes, piquant Bloody Marys come opulently accessorized with slow-smoked baby back ribs.

The Build Your Own Bloody at The Wayfarer, New York

The most-jaw-dropping aspect of The Wayfarer's Bloody Mary is how utterly customizable it is. In fact, it's possible to come up with well over 1,000 variations by mixing and matching ingredients from the stupendously stocked bar. Start with a base of traditional mix, tomato water or kale-enriched green juice, pick your poison from a selection of house-infused cucumber or black pepper vodka, individualize your rim with poppy and sesame seeds, smoked paprika or celery salt, and go nuts with garnishes such as shrimp, roasted tomatoes, cheddar cheese, pepperoncini and pork rinds.

The Hail Mary at Star Bar, Austin

Taking the "everything's bigger in Texas" motto to heart, Star Bar proudly proffers this veritable kitchen sink of a drink &mdash if you can even call it that. You'll need to plow your way through a cheeseburger, chicken nuggets, cheddar smoked cocktail sausages, cubes of cheddar and pepper Jack cheeses, hard-boiled eggs, pickled okra, dill pickles and gherkins, cherry tomatoes and celery, as well as powdered mini doughnuts and a full-sized honey bun, before you get to anything that can be consumed with a straw.

The Chicken Fried Bloody Beast at Sobelman's Pub & Grill, Milwaukee

Family-owned Sobelman's rules Milwaukee's Bloody Mary scene and regularly nabs national press for its 40-ounce behemoths. And while that amounts to a pretty stiff pour of Tito's, the alcohol is effectively counteracted by a serious serving of food that's more full-on brunch than mere garnish. Celery stalks and skewered vegetables are overshadowed by bacon-wrapped jalapeno cheese balls, cheeseburger sliders and (this is the "Chicken Fried" part) a whole four-pound bird, procured from Ray's Butcher Shoppe in Greenfield.

The Bloody Homer at Icehouse, Minneapolis

This may be Minneapolis, not Springfield, but we have no doubt that Homer Simpson would make Icehouse his home away from Moe's &mdash especially since his eponymous cocktail comes in a Duff-emblazoned glass, thoroughly swine-ified with both candied bacon strips and a mini, "bacon-bedazzled" doughnut. Mmmm . bacon-bedazzled doughnut .

The Bloody Mary at The French, Naples, Florida

What's in a name? Not a whole lot when it comes to The French's far-from-basic Bloody that brings a taste of France to Florida, by way of fresh-pressed tomato juice embellished with cornichons, pickled onions, salami, spicy boiled shrimp, steak tartare on a toast point and a tiny French flag.

The Bloody Best Bloody Mary at Chef Point, Watauga, Texas

Unsurprisingly, you could easily fill a list of over-the-top Bloody Marys exclusively with entries from Texas. Watauga joins the fray with this leviathan cocktail from Chef Point, based on a double order of spicy Bloody Mary plus 16 ounces of domestic beer. If that sounds like a lot of alcohol, know that it's hardly a match for the sheer amount of booze-absorbing food that umbrellas it: a portion of "Better Than Sex" fried chicken, a cheeseburger, waffle fries, bacon, a blistered jalapeno pepper, asparagus spears, assorted pickled things and a pair of poached shrimp.

The Lobster Bloody Mary at Brant Point Grill, Nantucket, Massachusetts

Bloodys brimming with hamburgers, hot dogs, pizza, mac and cheese, brownies and whole fried chickens not your style? Elegant imbibers will appreciate this crustacean concoction courtesy of the Brant Point Grill at the White Elephant Hotel. It features housemade tomato juice mix, locally distilled vodka, a spicy bacon salt rim, and a quarter-pound of lobster.

The Bakon Bloody Mary Masterpiece at Sam's Tavern, Seattle

Since it's off-menu, we're letting you in on one of Seattle's best (but not all that well-kept) secrets: Sam's is home to one of the best darn Bloodys in town. It certainly doesn't hurt that it's spiked with locally made, bacon-infused vodka. But as usual in the world of out-of-bounds Bloody Marys, it's the accoutrements &mdash celery, cheese cubes, tomatoes, olives, onions, cocktail weenies and a cheeseburger slider with the works &mdash that send this drink into the brunchtime-tipple stratosphere.

The Meaty Man at The Attic, Long Beach, California

You may not expect to find something so unapologetically meat-centric in sunny SoCal, yet the folks at The Attic seem wholly unconcerned with beach-physique maintenance &mdash at least when it comes to their Bloody Mary. It's enriched with a triad of indulgent proteins: a short-rib slider perched on a house-baked bun, a rasher of thick-cut fried bacon and a Slim Jim-stuffed olive.

The Southwestern Bloody Mary at Kachina, Denver

So special it's available only on Sundays, Kachina's Southwest-inspired Bloody Mary bar is truly beautiful to behold. Sure, you'll find the usual suspects like celery and bacon, but you can really go for broke with more novel add-ins such as prosciutto, Manchego, chorizo-stuffed olives, pickled cactus, shrimp escabeche and blue corn waffles.

The Checkmate at Score on Davie, Vancouver, British Columbia

Oh, Canada! You may want to consider taking a day trip across the border for brunch, in pursuit of Score on Davie's totally off-the-wall Bloody. Boozy tomato juice is merely the base (and practically beside the point) in this eminently edible cocktail that's chock-full of roasted chicken and chicken wings, a Sriracha-glazed pulled pork slider, a hot dog topped with pulled pork mac and cheese, a full-size burger, a batch of onion rings . and, oh, a brownie for dessert.


Is there anything mac and cheese DOESN'T go with?

Mango salsa is delicious enough to be put on everything, even a hot dog. So summery!

6. Arugula Pesto and Caramelized Onions

Ummm. who knew pesto on a hot dog could look so incredible?!

7. Caramel Popcorn

Caramel popcorn. On a hot dog. With cheese and bacon. This is a thing that happened.

8. Corn Chutney

This chutney includes celery, tomatoes, honeydew melon, and dill. You'll want to eat it even without the hot dog.

9. Ramen Noodles

Who needs a bun when you could wrap your hot dog in ramen noodles?

10. Mashed Potatoes, Gravy, and Onions

This is just weird enough where you HAVE to try it to see how it is.

11. Celery and Blue Cheese

It's basically like eating wings, except you're not eating wings, you're eating a hot dog.

12. Crushed Salt and Pepper Potato Chips

It's basically a known fact that potato chips make everything better.

13. Cheese, Marinara, Basil, and Pepperoni

Who says you have to choose between pizza and a hot dog? Nós não!

14. Pastrami and Swiss Cheese

While we're at it, who says you have to choose between a reuben and a hot dog?

15. Fried Onions and Pickled Cucumber

It's really something when fried onions and pickles are the most normal hot dog toppings on a list.

16. Muenster Cheese, Mayo, Bacon, and Avocado

Of course avocado makes a good hot dog topping!

17. Cream Cheese, Jalapeno, and Bacon

It's basically like a jalapeno popper on a hot dog wrapped in a bun.

18. Bacon, Fried Onions, and Potato Salad

I mean, you're going to be eating potato salad anyway, so you might as well put it on your hot dog instead of next to it.

19. Poutine

French fries, cheese curds, gravy, and a hot dog. All you need for a perfect summer meal.

20. French Fries

Or you could just wrap your hot dog in French fries and leave it at that.


15 Deliciously Different Ways to Eat Cauliflower

Yes, it&aposs undercover cauliflower, caught in a dozen delicious disguises. These clever recipes replace starchy potatoes, refined flour, and white rice with delicious, nutritious cauliflower. Looking for what to cook with cauliflower? Here are a dozen ideas for cauliflower that will keep dinner interesting and exciting.

"A great way to add some zip to your cauliflower. This recipe is low-carb and resembles a loaded potato! Very unique and down right tasty!" says BOOKCHICKADEE.

"This recipe is unbelievable," says volleyballmom. "I served it to two cauliflower non-lovers and didn&apost tell them what it was until they were finished raving about it. I wasn&apost sure that straight veggies and pork was going to be enough for my big boys, so I made some rice anyways to add to the dish. The rice is now in my freezer." Also, check out these 4 easy ways to rice cauliflower in 5 minutes.

Oh, cauliflower, you&aposve outdone yourself. Among the interesting things to do with cauliflower, pizza crust must rank among the most outrageous. Now, the texture isn&apost identical to pizza crust. But this crust is delicious in its own right, and a healthier delivery system for pizza toppings. The key is to squeeze out all the moisture from the cooked cauliflower before baking.

"This is &aposwow&apos on the tongue!" says lisandreasings. "A very flexible recipe — I can see adding leftover mashed potatoes, kale, or artichoke hearts to the mix. Phenomenal with aioli garlic mustard sauce." For more, check out our 7 Best Crispy Cauliflower Cakes.


A Highly Scientific Analysis of Pineapple as a Pizza Topping

The debate has raged on for more than half a century now — is pineapple an acceptable topping on pizza?

It’s an ongoing , multi-thread argument on Reddit, a persistently insulting meme and I even got some hate for it when I ordered it as part of my investigation into the Domino’s pizza tracker . But I’m here to say that the debate ends agora .

While I myself am pro pineapple on pizza, I have developed a highly scientific, unbiased method to decide if pineapple on pizza is indeed valid. I have determined five relevant areas of expertise to judge pineapple as a topping and consulted three experts in each area to give a definitive answer.

Here’s what they had to say — and the final verdict…

Italian Chefs

Pizza is Italian. While some pseudo know-it-all smartasses sometimes like to claim otherwise by saying flatbreads started elsewhere , the modern pizza was invented by Raffaele Esposito in Naples in the late 1800s. Given that, it makes sense that the first stakeholders in this debate should be traditional Italian chefs.

I first speak to Amanda Vasquez (formerly Presti), who grew up with her Italian immigrant grandparents here in the U.S. Vasquez had previously weighed in on my piece about the food in Goodfellas , and she’s very much an Italian chef in the traditional sense. When it comes to pineapple on pizza, she says, “I’m not a big fan of the flavor pairings of tomato and pineapple. I don’t like sweet flavors in general, and it’s not very traditional.”

Giuseppe Fanelli, though, owner of Tredici North in Purchase, New York, and a winner of Chopped , says that he’s pro pineapple on pizza, as long as it’s done right. “I’m a very technical chef, meaning if you’re going to apply an ingredient, it has to fit and be an accompaniment. So if you’re using pineapple, it should be pre-cooked the same day if you’re cutting it in large cubes, or it should be thinly sliced,” Fanelli says. Also, he says ham isn’t the only acceptable pairing to pineapple on pizza, as it would also pair well with porchetta or shrimp.

Hawaiian thin crust pizza

Finally, renowned pizza chef (and James Beard Award winner) Chris Bianco says he doesn’t care for pineapple on pizza, feeling there’s too much acidity with both the tomato and pineapple. But he adds, “I don’t judge people. Marry who you want, love who you want and put whatever you like on your pizza. Personally, though, I’m not a fan.”

So while Bianco says not to hate pineapple pizza lovers, he personally doesn’t approve, putting the Italian chefs group definitively in the “no” column.

PIZZA EXPERT GROUPS — FOR: 0 AGAINST: 1

Food Historians

Next we turn to the origins of Hawaiian pizza itself, which is as much Hawaiian as it is Italian — that is to say, not at all. Sam Panopoulos was a Greek-born chef who moved to Canada and created Hawaiian pizza in 1962 in his Ontario restaurant. Panopoulos passed away in 2017 , but lived to see what a controversy he had created. As he once explained to the BBC, “We just put it on, just for the fun of it, to see how it was going to taste. We were young in the business and we were doing a lot of experiments.”

So while Panopoulos wasn’t Italian and Hawaiian pizza certainly is more Canadian than Hawaiian, does that alone make it invalid? After all, while sausage and peppers are traditional Italian fare — and thus, an acceptable pizza topping — pepperoni was born in America by Italian-Americans, not in Italy proper, yet no one disputes its legitimacy as a pizza topping.

Greasy Hawaiian and pepperoni pizza with ham and pineapple

Given all this, I turned to food historians to “judge” the history of pineapple on pizza to determine if it’s somehow less “worthy” as a pizza topping. Julia Skinner , author of Afternoon Tea: A History , asks, “Is ‘Hawaiian’ pizza a legit kind of pizza in a truly traditional sense? Nope, probably not. Still, if you find a food that makes you happy, it doesn’t matter what anyone else thinks.” In other words, she says no, but in a nice way, much like Chris Bianco.

That said, the remaining two food historians I spoke to gave pineapple on pizza the historical seal of approval, with Repast Supper Club host Sam Bilton saying, “Historically speaking, it was commonplace to serve sweet dishes — like tarts or creams — alongside savory pies or stews, so I don’t think pineapple on pizza is that odd in that context.”

Then there’s professor Ken Albala , an author and editor of a wide variety of books about food , who says, “All cooking is a matter of evolution. To say, here is the correct dish and other forms aren’t legitimate, would be to consign the dish to a museum and have people stop eating it. Food, like language, evolves whether people want it to or not. That’s not to say there isn’t bad pizza, but when you start saying one form is legitimate or authentic, it’s essentially meaningless. So yes, I laud pineapple on a pizza. I put it on my own pizza now and then, especially fresh, grilled and cut into little cubes.”

PIZZA EXPERT GROUPS — FOR: 1 AGAINST: 1

Food Writers/Critics

With the scores tied, I next turned to the most unforgiving of groups: Food critics. “I, for one, do not care for pineapple on traditional pizza because the flavors are redundant,” says Jim Mumford, blogger at Jim Cooks Food Good . He elaborates, “Each part of a pizza plays a role the crust is yeasty and gives texture, the cheese is fatty/salty, etc. When approached like this, a pizza and a peanut butter and jelly sandwich are very similar. So, in a PB&J, having two jellies is redundant, and on a pizza, having two flavors [the other being the tomato] that carry sweet/fruity notes is unnecessary.”

However, Greg Thilmont , a food critic who covers Las Vegas food and beyond, opines, “People get very factional and partisan about their pizzas. Obviously there’s the New York/Chicago roustabout that’s always going on, and then you can mix in Detroit and New Haven, too. Basically, people have their prejudices about pizza, and those are based on regionalism. Then there’s another level of pizza snobbery and Hawaiian pizza is looked down upon by many as either being child food or gauche. I was a real asshole for a lot of my life when it came to pizza, but in the last couple of years, I’ve had a couple of Hawaiian pizzas and you know what? It tastes good! Pineapple is delicious, and it’s used in meat all the time. That’s what makes al pastor so good — the pineapple, especially if it’s good pineapple, like Maui Gold pineapples. Canadian bacon can also be of high quality too.”

Given all that, Thilmont says if the ingredients are high quality, Hawaiian pizza “is a fine pizza.”

But when reaching out to food writer Gary Allen of On the Table , he decisively says, “I’m not a big fan of sweet ingredients on savory dishes like pizza,” putting the majority of the food writers firmly against pineapple on pizza.

PIZZA EXPERT GROUPS — FOR: 1 AGAINST: 2

Flavor Chemists

If you’re unfamiliar with what a flavor chemist is, Wikipedia describes them as the following: “A flavorist, also known as flavor chemist, is someone who uses chemistry to engineer artificial and natural flavors.” So these guys determine taste on a microscopic level, and perhaps it’s because of this that the flavorists I interviewed were the only stakeholders with a consensus, with them all giving pineapple on pizza a scientific thumbs up.

“When we’re talking about food pairings, we’re talking about things that both reinforce flavors in each other, as well as flavors that provide contrast,” explains flavor chemist Terry Miesle of FONA International . “For example, when you put garlic on a steak, you’ve got a lot of sulfur compounds and sugars, and those reinforce the steak, but you can also taste the contrast, otherwise you wouldn’t be able to tell it’s there. With pineapple on pizza, it’s doing both of these things — it’s reinforcing and contrasting — but with different components of the pizza.”

So when it comes to pineapple and tomato sauce, Miesle says that those two are contrasting and reinforcing each other in different ways. While both are fruits that have acids, tomato sauce has lactic acid and a little bit of citric acid, while pineapple has a lot of citric acid, no lactic acid and some ascorbic acid (which is vitamin C). So while these are all acids, they’re different acids — and different tastes — so they contrast each other.

As for the pineapple and cheese, these reinforce each other in ways that aren’t obvious. Miesle explains that cheese has a fruity component to it, which is why it changes as it ages and why you can taste the difference between cheeses that age for six months, versus a year, versus 10 years. That’s also why they say cheese “ripens” just like a fruit does. Also, cheese, tomato, ham and pineapple all caramelize when heated, reinforcing that flavor throughout.

Miesle helpfully drew up a little graph to illustrate what he’s saying:

While it’s a little technical, basically, the chemicals on the left are what we as humans are evolutionarily capable of tasting and the Xs stand for intensity. As you can see, the four major ingredients that are on top of the bread all balance each other out, providing both contrast and reinforcement.

Is there, however, such a thing as too much contrast? Absolutely, and Miesle explains that that’s why some tastes come off as offensive. “Just imagine lemon on pizza,” he offers as an example. He goes on to explain that the reason why people may not like pineapple on pizza is because of personal preference, as it may provide too much contrast with the other flavors they associate with pizza.

As for reinforcement, there is such a thing as too much of that too, and Miesle says if you’ve got too much reinforcement, everything tastes the same and dull. Pineapple and ham, however, tends to balance things out, making it a sound flavor topping for pizza (go science!).

In addition to Miesle, I spoke with Gary Reineccius , professor emeritus at the University of Minnesota’s Food Science and Nutrition Department, who says, “I don’t see any scientific issues,” with pineapple on pizza, going on to explain that another thing that makes it an acceptable topping is that it holds up under heat, whereas something like avocado — also a fruit — would not.

I got the same answer from flavor scientist Susie Bautista , who also added that the texture of pineapple is another component that makes it a good topping, as it has a slight crunch to it, much like pepper and onions.

PIZZA EXPERT GROUPS — FOR: 2 AGAINST: 2

Ninja Turtles

With the opinions all tied up at two groups for pineapple on pizza and two against, I turned to an indisputable tiebreaker — those whose insight into pizza is just as deep as the PhDs, scientists and historians who came before them: voice actors who have portrayed Teenage Mutant Ninja Turtles.

To my great surprise, Townsend Coleman , who portrayed Michelangelo on the original 1987 cartoon series, says (in his trademark surfer dude Mikey voice), “There are so many things that go on a pizza and pineapple is definitely não one of them. Anchovies and hot fudge, why don’t you try starting there, dude!” When he switches back to his regular voice, Coleman reiterates by saying, “Pineapple doesn’t belong on pizza — it’s sweet . You can call that something else, but it’s not pizza.”

However, Robbie Rist , who portrayed an anchovy-hating Michelangelo in the original 1990 film, says that he’s “all for it” when it comes to pineapple on your pizza.

Which brings me to Rob Paulsen , who portrayed Raphael in the original cartoon, then Donatello in the 2012 Nickelodeon series (he’s also the author of a new memoir, Voice Lessons: How a Couple of Ninja Turtles, Pinky and an Animaniac Saved My Life ) With everything left up to his tie-breaking vote, Paulsen tells me the following: “ Raphael says, ‘Pineapple on pizza is a sin against Italy — and nature! It should only be considered as a smoothie additive and an underwater home for square, pants-wearing sponges.’”

PIZZA EXPERT GROUPS — FOR: 2 AGAINST: 3

So, there you have it folks: To my great disappointment, pineapple on pizza is officially cancelled. It was a close call, but by my very scientific and democratic analysis, the “no’s” have it by just a hair.

RIP pineapple on pizza, you had a good run.

Brian VanHooker

Brian VanHooker is a writer at MEL. He is the co-creator of the John O'Hurley pilot ‘The Tramp’ and co-created 'Barnum & Elwood.’ He also hosts a TMNT interview podcast.


Assista o vídeo: Pizza Artresanal - LIVE (Novembro 2021).