Novas receitas

Oito técnicas de cozinha extintas estão de volta

Oito técnicas de cozinha extintas estão de volta

A nostalgia influencia profundamente o que comemos e cozinhamos, independentemente do clima cultural. Quer se trate da economia, da consciência ambiental ou do combate à moda vintage, percebemos que os métodos de cozinhar fora de moda encontraram seu caminho de volta às cozinhas gourmet.

É um longo caminho desde as técnicas de sous-vide e gastronomia molecular encontradas em muitas cozinhas de ponta, mas para esses chefs, aperfeiçoar o passado é uma ótima maneira de ser criativo.

O famoso chef Eric Ripert, por exemplo, está fazendo maravilhas com a torradeira - o mesmo aparelho preferido por estudantes universitários que cozinham em dormitórios. Raramente é encontrado em cozinhas de restaurantes, mas hoje Ripert está postando em um blog e fazendo vídeos sobre como preparar pratos sofisticados como Missão de Figos Envolvidos em Bacon, Framboesa Clafouti e Trufas de Queijo de Cabra.

E todos eles são feitos em uma torradeira. Seriamente.

Outros chefs estão recorrendo a itens básicos de venda de garagem, como panelas de pressão, panelas de arroz, potes de fondue e fogões lentos, mais conhecidos como Crock Pots. Mas esqueça as receitas da sua mãe. Não há carne cinzenta ou molho no teto, enquanto chefs e escritores de livros de receitas descobrem o que essas panelas podem fazer bem.

Até chefs que cresceram em países estrangeiros estão revisitando suas tradições. O chef nova-iorquino Tadashi Ono está dando uma outra olhada nas panelas quentes e recriando esta comida japonesa caseira para as cozinhas de hoje.

E não são apenas os utensílios de cozinha e panelas de ontem que estão voltando. Os gadgets também estão ganhando vida nova.

Por exemplo, moldes para gelo, aqueles favoritos das festas da Tupperware, estão sendo devolvidos ao freezer. Desta vez, os pops são enfeitados com frutas frescas maduras, ingredientes suspensos e revestimentos mergulhados à mão.

Venha ver como os chefs estão redescobrindo os favoritos retrô e usando-os com vantagem. Eles podem surpreendê-lo.


Tigres selvagens fazendo um retorno & # 8216 & # 8217 em cinco países graças ao esforço de conservação de 10 anos

Após um esforço de conservação de 10 anos para dobrar a população de tigres do mundo & # 8217s até 2022, os tigres estão fazendo um & # 8220 retorno notável & # 8221 no Butão, China, Índia, Nepal e Rússia. A instituição de caridade que lidera a iniciativa, o World Wildlife Fund (WWF), está fazendo uma pausa para comemorar, enquanto lembra seus apoiadores de que ainda há trabalho a ser feito.

Apesar do progresso radical, diz o WWF, a caça ilegal e a destruição do habitat continuam a ameaçar esta espécie feroz, mas vulnerável.

No início do século 21, aproximadamente 100.000 tigres selvagens vagavam pela Terra. Quando o ambicioso projeto TX2 foi lançado em 2010, o WWF estimou que pouco mais de 3.200 tigres nativos continuavam a existir na natureza em 13 países.

(Ilustração & # 8211 Archna Singh / Shutterstock)

& # 8220Dez anos atrás, os tigres estavam em um estado tão perigoso que havia um risco muito real de sua extinção, & # 8221 Becci May, gerente regional da equipe Asian Big Cats da WWF UK, disse à BBC Radio 1 & # 8217s Newsbeat . & # 8220Da baixa população em 2010, eles estão finalmente fazendo um retorno notável & # 8230 graças aos esforços de conservação coordenados e combinados.

& # 8220Esta é uma conquista que não só oferece um futuro para tigres em estado selvagem, mas para as paisagens que habitam e as comunidades que vivem ao lado deste grande felino icônico. & # 8221

O Projeto TX2 foi inaugurado pelos líderes dos 13 países onde o número de tigres selvagens estava em declínio no Tiger Summit de 2010 em São Petersburgo, Rússia, explica o WWF. Em parceria com seus respectivos governos e outras organizações, o WWF descreveu o projeto TX2 como & # 8220 provavelmente o esforço de recuperação global mais ambicioso já realizado para uma única espécie. & # 8221

(Ilustração & # 8211 F. JIMENEZ MECA / Shutterstock) (Ilustração & # 8211 Kirill Dorofeev / Shutterstock)

O projeto é de longo prazo, trabalhando para aumentar a proteção dos tigres e manter ou restaurar & # 8220wildlife corridors & # 8221 para permitir que os tigres circulem livremente e se reproduzam em segurança em seu ambiente natural.

Em 2020, as populações de tigres selvagens estão prosperando em cinco países envolvidos no esforço de conservação do TX2: Butão, China, Índia, Nepal e Rússia. A Índia abriga o maior número de tigres selvagens, constituindo 75 por cento da população global. Os números dobraram entre 2006 e 2018, totalizando cerca de 3.350 animais.

O Nepal & # 8217s registrou que a população de tigres quase dobrou em um período semelhante, passando de 121 em 2009 para 235 em 2018.

(Ilustração & # 8211 Anuradha Marwah / Shutterstock)

O número de tigres Amur da Rússia e # 8217s aumentou 15% durante o esforço de conservação de 10 anos, resultando em uma população de 540. O Parque Nacional Royal Manas do Butão e # 8217s abrigou apenas 10 tigres selvagens em 2010, em 2019, o parque registrou 22.

& # 8220Os tigres podem prosperar felizes com espaço, comida e água suficientes & # 8221 May explicou à BBC. & # 8220Então, o progresso é resultado da melhor proteção dos tigres e de seu habitat. & # 8221

Na China, há até evidências de reprodução ativa.

Em 2010, acredita-se que 20 tigres selvagens da China tenham cruzado a fronteira com a Rússia. Mesmo assim, quatro anos depois, as armadilhas fotográficas chinesas capturaram imagens encorajadoras de uma tigresa e seus filhotes na Reserva Natural Jilin Wangqing, no condado de Wangqing, nordeste da China.

(Ilustração & # 8211 Travel Stock / Shutterstock)

O WWF, no entanto, implora que a chave para sustentar o aumento da população de tigres selvagens é se concentrar na conservação das paisagens que habitam e na educação das comunidades que sustentam esses habitats, incluindo-os como atores-chave no esforço de conservação.

& # 8220A razão pela qual os números despencaram nos últimos 100 anos ou mais é por causa das mudanças no uso da terra, & # 8221 disse maio. & # 8220Populações de vida selvagem também são devastadas por causa de armadilhas armadas para capturar animais selvagens. & # 8221 A caça furtiva para o comércio ilegal de animais selvagens continua a ser uma grande ameaça para o crescimento da população de tigres selvagens.

Enquanto os esforços comunitários continuam, os consumidores também podem fazer sua parte na preservação de habitats naturais. Todos nós precisamos ler os rótulos e garantir que os itens que compramos venham de fontes éticas e sustentáveis, disse May, acrescentando: & # 8220 Precisamos compartilhar nosso entusiasmo pelos tigres e dizer aos nossos amigos e familiares como isso é importante. & # 8221

Embora ainda existam cerca de 3.900 tigres no total vivendo na natureza, o projeto TX2 espera testemunhar uma duplicação de sua população inicial de 3.200 até 2022. Simbolicamente, o próximo Ano Novo chinês será o do tigre.


Tigres selvagens fazendo um retorno & # 8216 & # 8217 em cinco países graças ao esforço de conservação de 10 anos

Após um esforço de conservação de 10 anos para dobrar a população de tigres do mundo & # 8217s até 2022, os tigres estão fazendo um & # 8220 retorno notável & # 8221 no Butão, China, Índia, Nepal e Rússia. A instituição de caridade que lidera a iniciativa, o World Wildlife Fund (WWF), está fazendo uma pausa para comemorar, enquanto lembra seus apoiadores de que ainda há trabalho a ser feito.

Apesar do progresso radical, diz o WWF, a caça ilegal e a destruição do habitat continuam a ameaçar esta espécie feroz, mas vulnerável.

No início do século 21, aproximadamente 100.000 tigres selvagens vagavam pela Terra. Quando o ambicioso projeto TX2 foi lançado em 2010, o WWF estimou que pouco mais de 3.200 tigres nativos continuavam a existir na natureza em 13 países.

(Ilustração & # 8211 Archna Singh / Shutterstock)

& # 8220Dez anos atrás, os tigres estavam em um estado tão perigoso que havia um risco muito real de sua extinção, & # 8221 Becci May, gerente regional da equipe Asian Big Cats da WWF UK, disse à BBC Radio 1 & # 8217s Newsbeat . & # 8220Da baixa população em 2010, eles estão finalmente fazendo um retorno notável & # 8230 graças aos esforços de conservação coordenados e combinados.

& # 8220Esta é uma conquista que não só oferece um futuro para tigres em estado selvagem, mas para as paisagens que habitam e as comunidades que vivem ao lado deste grande felino icônico. & # 8221

O Projeto TX2 foi inaugurado pelos líderes dos 13 países onde o número de tigres selvagens estava em declínio no Tiger Summit de 2010 em São Petersburgo, Rússia, explica o WWF. Em parceria com seus respectivos governos e outras organizações, o WWF descreveu o projeto TX2 como & # 8220 provavelmente o esforço de recuperação global mais ambicioso já realizado para uma única espécie. & # 8221

(Ilustração & # 8211 F. JIMENEZ MECA / Shutterstock) (Ilustração & # 8211 Kirill Dorofeev / Shutterstock)

O projeto é de longo prazo, trabalhando para aumentar a proteção para tigres e manter ou restaurar & # 8220 corredores de vida selvagem & # 8221 para permitir que os tigres vaguem livremente e se reproduzam em segurança em seu ambiente natural.

Em 2020, as populações de tigres selvagens estão prosperando em cinco países envolvidos no esforço de conservação do TX2: Butão, China, Índia, Nepal e Rússia. A Índia abriga o maior número de tigres selvagens, constituindo 75 por cento da população global. Os números dobraram entre 2006 e 2018, totalizando cerca de 3.350 animais.

O Nepal & # 8217s registrou que a população de tigres quase dobrou em um período semelhante, passando de 121 em 2009 para 235 em 2018.

(Ilustração & # 8211 Anuradha Marwah / Shutterstock)

O número de tigres Amur da Rússia e # 8217s aumentou 15% durante o esforço de conservação de 10 anos, resultando em uma população de 540. O Parque Nacional Royal Manas do Butão e # 8217s abrigou apenas 10 tigres selvagens em 2010, em 2019, o parque registrou 22.

& # 8220Os tigres podem prosperar felizes com espaço, comida e água suficientes & # 8221 May explicou à BBC. & # 8220Então, o progresso é resultado da melhor proteção dos tigres e de seu habitat. & # 8221

Na China, há até evidências de reprodução ativa.

Em 2010, acredita-se que 20 tigres selvagens da China tenham cruzado a fronteira com a Rússia. No entanto, quatro anos depois, as armadilhas fotográficas chinesas capturaram imagens encorajadoras de uma tigresa e seus filhotes na Reserva Natural Jilin Wangqing, no condado de Wangqing, no nordeste da China.

(Ilustração & # 8211 Travel Stock / Shutterstock)

O WWF, no entanto, implora que a chave para sustentar o aumento da população de tigres selvagens é se concentrar na conservação das paisagens que habitam e na educação das comunidades que sustentam esses habitats, incluindo-os como atores-chave no esforço de conservação.

& # 8220A razão pela qual os números despencaram nos últimos 100 anos ou mais é por causa das mudanças no uso da terra, & # 8221 disse maio. & # 8220Populações de vida selvagem também são devastadas por causa de armadilhas sendo armadas para capturar animais selvagens. & # 8221 A caça furtiva para o comércio ilegal de animais selvagens continua a ser uma grande ameaça para o crescimento da população de tigres selvagens.

Enquanto os esforços comunitários continuam, os consumidores também podem fazer sua parte na preservação de habitats naturais. Todos nós precisamos ler os rótulos e garantir que os itens que compramos venham de fontes éticas e sustentáveis, disse May, acrescentando: & # 8220 Precisamos compartilhar nosso entusiasmo pelos tigres e dizer aos nossos amigos e familiares como isso é importante. & # 8221

Embora ainda existam cerca de 3.900 tigres no total vivendo na natureza, o projeto TX2 espera testemunhar uma duplicação de sua população inicial de 3.200 até 2022. Simbolicamente, o próximo Ano Novo chinês será o do tigre.


Tigres selvagens fazendo um retorno & # 8216 & # 8217 em cinco países graças ao esforço de conservação de 10 anos

Após um esforço de conservação de 10 anos para dobrar a população de tigres do mundo & # 8217s até 2022, os tigres estão fazendo um & # 8220 retorno notável & # 8221 no Butão, China, Índia, Nepal e Rússia. A instituição de caridade que lidera a iniciativa, o World Wildlife Fund (WWF), está fazendo uma pausa para comemorar, enquanto lembra seus apoiadores de que ainda há trabalho a ser feito.

Apesar do progresso radical, diz o WWF, a caça ilegal e a destruição do habitat continuam a ameaçar esta espécie feroz, mas vulnerável.

No início do século 21, aproximadamente 100.000 tigres selvagens vagavam pela Terra. Quando o ambicioso projeto TX2 foi lançado em 2010, o WWF estimou que pouco mais de 3.200 tigres nativos continuavam a existir na natureza em 13 países.

(Ilustração & # 8211 Archna Singh / Shutterstock)

& # 8220Dez anos atrás, os tigres estavam em um estado tão perigoso que havia um risco muito real de sua extinção, & # 8221 Becci May, gerente regional da equipe Asian Big Cats da WWF UK, disse à BBC Radio 1 & # 8217s Newsbeat . & # 8220Da baixa população em 2010, eles estão finalmente fazendo um retorno notável & # 8230 graças aos esforços de conservação coordenados e combinados.

& # 8220Esta é uma conquista que não só oferece um futuro para tigres em estado selvagem, mas para as paisagens que habitam e as comunidades que vivem ao lado deste grande felino icônico. & # 8221

O Projeto TX2 foi inaugurado pelos líderes dos 13 países onde o número de tigres selvagens estava em declínio no Tiger Summit de 2010 em São Petersburgo, Rússia, explica o WWF. Em parceria com seus respectivos governos e outras organizações, o WWF descreveu o projeto TX2 como & # 8220 provavelmente o esforço de recuperação global mais ambicioso já realizado para uma única espécie. & # 8221

(Ilustração & # 8211 F. JIMENEZ MECA / Shutterstock) (Ilustração & # 8211 Kirill Dorofeev / Shutterstock)

O projeto é de longo prazo, trabalhando para aumentar a proteção dos tigres e manter ou restaurar & # 8220wildlife corridors & # 8221 para permitir que os tigres circulem livremente e se reproduzam em segurança em seu ambiente natural.

Em 2020, as populações de tigres selvagens estão prosperando em cinco países envolvidos no esforço de conservação do TX2: Butão, China, Índia, Nepal e Rússia. A Índia abriga o maior número de tigres selvagens, constituindo 75 por cento da população global. Os números dobraram entre 2006 e 2018, totalizando cerca de 3.350 animais.

O Nepal & # 8217s registrou que a população de tigres quase dobrou em um período semelhante, passando de 121 em 2009 para 235 em 2018.

(Ilustração & # 8211 Anuradha Marwah / Shutterstock)

O número de tigres Amur da Rússia e # 8217s aumentou 15 por cento durante o esforço de conservação de 10 anos, resultando em uma população de 540. Butão e # 8217s Royal Manas National Park abrigou apenas 10 tigres selvagens em 2010 em 2019, o parque registrou 22.

& # 8220Os tigres podem prosperar felizes com espaço, comida e água suficientes & # 8221 May explicou à BBC. & # 8220Então, o progresso é resultado da melhor proteção dos tigres e de seu habitat. & # 8221

Na China, há até evidências de reprodução ativa.

Em 2010, acredita-se que 20 tigres selvagens da China tenham cruzado a fronteira com a Rússia. Mesmo assim, quatro anos depois, as armadilhas fotográficas chinesas capturaram imagens encorajadoras de uma tigresa e seus filhotes na Reserva Natural Jilin Wangqing, no condado de Wangqing, nordeste da China.

(Ilustração & # 8211 Travel Stock / Shutterstock)

O WWF, no entanto, implora que a chave para sustentar o aumento da população de tigres selvagens é se concentrar na conservação das paisagens que habitam e na educação das comunidades que sustentam esses habitats, incluindo-os como atores-chave no esforço de conservação.

& # 8220A razão pela qual os números despencaram nos últimos 100 anos ou mais é por causa das mudanças no uso da terra, & # 8221 disse maio. & # 8220Populações de vida selvagem também são devastadas por causa de armadilhas sendo armadas para capturar animais selvagens. & # 8221 A caça furtiva para o comércio ilegal de animais selvagens continua a ser uma grande ameaça para o crescimento da população de tigres selvagens.

Enquanto os esforços comunitários continuam, os consumidores também podem fazer sua parte na preservação de habitats naturais. Todos nós precisamos ler os rótulos e garantir que os itens que compramos venham de fontes éticas e sustentáveis, disse May, acrescentando: & # 8220 Precisamos compartilhar nosso entusiasmo pelos tigres e dizer aos nossos amigos e familiares como isso é importante. & # 8221

Embora ainda existam cerca de 3.900 tigres no total vivendo na natureza, o projeto TX2 espera testemunhar uma duplicação de sua população inicial de 3.200 até 2022. Simbolicamente, o próximo Ano Novo chinês será o do tigre.


Tigres selvagens fazendo um retorno & # 8216 & # 8217 em cinco países graças ao esforço de conservação de 10 anos

Após um esforço de conservação de 10 anos para dobrar a população de tigres do mundo & # 8217s até 2022, os tigres estão fazendo um & # 8220 retorno notável & # 8221 no Butão, China, Índia, Nepal e Rússia. A instituição de caridade que lidera a iniciativa, o World Wildlife Fund (WWF), está fazendo uma pausa para comemorar, enquanto lembra seus apoiadores de que ainda há trabalho a ser feito.

Apesar do progresso radical, diz o WWF, a caça ilegal e a destruição do habitat continuam a ameaçar esta espécie feroz, mas vulnerável.

No início do século 21, aproximadamente 100.000 tigres selvagens vagavam pela Terra. Quando o ambicioso projeto TX2 foi lançado em 2010, o WWF estimou que pouco mais de 3.200 tigres nativos continuavam a existir na natureza em 13 países.

(Ilustração & # 8211 Archna Singh / Shutterstock)

& # 8220Dez anos atrás, os tigres estavam em um estado tão perigoso que havia um risco muito real de sua extinção, & # 8221 Becci May, gerente regional da equipe Asian Big Cats da WWF UK, disse à BBC Radio 1 & # 8217s Newsbeat . & # 8220Da baixa população em 2010, eles estão finalmente fazendo um retorno notável & # 8230 graças aos esforços de conservação coordenados e combinados.

& # 8220Esta é uma conquista que não só oferece um futuro para tigres em estado selvagem, mas para as paisagens que habitam e as comunidades que vivem ao lado deste grande felino icônico. & # 8221

O Projeto TX2 foi inaugurado pelos líderes dos 13 países onde o número de tigres selvagens estava em declínio no Tiger Summit de 2010 em São Petersburgo, Rússia, explica o WWF. Em parceria com seus respectivos governos e outras organizações, o WWF descreveu o projeto TX2 como & # 8220 provavelmente o esforço de recuperação global mais ambicioso já realizado para uma única espécie. & # 8221

(Ilustração & # 8211 F. JIMENEZ MECA / Shutterstock) (Ilustração & # 8211 Kirill Dorofeev / Shutterstock)

O projeto é de longo prazo, trabalhando para aumentar a proteção dos tigres e manter ou restaurar & # 8220wildlife corridors & # 8221 para permitir que os tigres circulem livremente e se reproduzam em segurança em seu ambiente natural.

Em 2020, as populações de tigres selvagens estão prosperando em cinco países envolvidos no esforço de conservação do TX2: Butão, China, Índia, Nepal e Rússia. A Índia abriga o maior número de tigres selvagens, constituindo 75 por cento da população global, os números dobraram entre 2006 e 2018, totalizando cerca de 3.350 animais.

O Nepal & # 8217s registrou que a população de tigres quase dobrou em um período semelhante, passando de 121 em 2009 para 235 em 2018.

(Ilustração & # 8211 Anuradha Marwah / Shutterstock)

O número de tigres Amur da Rússia e # 8217s aumentou 15% durante o esforço de conservação de 10 anos, resultando em uma população de 540. O Parque Nacional Royal Manas do Butão e # 8217s abrigou apenas 10 tigres selvagens em 2010, em 2019, o parque registrou 22.

& # 8220Os tigres podem prosperar felizes com espaço, comida e água suficientes & # 8221 May explicou à BBC. & # 8220Então, o progresso é resultado da melhor proteção dos tigres e de seu habitat. & # 8221

Na China, há até evidências de reprodução ativa.

Em 2010, acredita-se que 20 tigres selvagens da China tenham cruzado a fronteira com a Rússia. Mesmo assim, quatro anos depois, as armadilhas fotográficas chinesas capturaram imagens encorajadoras de uma tigresa e seus filhotes na Reserva Natural Jilin Wangqing, no condado de Wangqing, nordeste da China.

(Ilustração & # 8211 Travel Stock / Shutterstock)

O WWF, no entanto, implora que a chave para sustentar o aumento da população de tigres selvagens é se concentrar na conservação das paisagens que habitam e na educação das comunidades que sustentam esses habitats, incluindo-os como atores-chave no esforço de conservação.

& # 8220A razão pela qual os números despencaram nos últimos 100 anos ou mais é por causa das mudanças no uso da terra, & # 8221 disse maio. & # 8220Populações de vida selvagem também são devastadas por causa de armadilhas armadas para capturar animais selvagens. & # 8221 A caça furtiva para o comércio ilegal de animais selvagens continua a ser uma grande ameaça para o crescimento da população de tigres selvagens.

Enquanto os esforços comunitários continuam, os consumidores também podem fazer sua parte na preservação de habitats naturais. Todos nós precisamos ler os rótulos e garantir que os itens que compramos venham de fontes éticas e sustentáveis, disse May, acrescentando: & # 8220 Precisamos compartilhar nosso entusiasmo pelos tigres e dizer aos nossos amigos e familiares como isso é importante. & # 8221

Embora ainda existam apenas cerca de 3.900 tigres no total vivendo na natureza, o projeto TX2 espera testemunhar uma duplicação de sua população inicial de 3.200 até 2022. Simbolicamente, o próximo Ano Novo chinês será o do tigre.


Tigres selvagens fazendo um retorno & # 8216 & # 8217 em cinco países graças ao esforço de conservação de 10 anos

Após um esforço de conservação de 10 anos para dobrar a população de tigres do mundo & # 8217s até 2022, os tigres estão fazendo um & # 8220 retorno notável & # 8221 no Butão, China, Índia, Nepal e Rússia. A instituição de caridade que lidera a iniciativa, o World Wildlife Fund (WWF), está fazendo uma pausa para comemorar, enquanto lembra seus apoiadores de que ainda há trabalho a ser feito.

Apesar do progresso radical, diz o WWF, a caça ilegal e a destruição do habitat continuam a ameaçar esta espécie feroz, mas vulnerável.

No início do século 21, aproximadamente 100.000 tigres selvagens vagavam pela Terra. Quando o ambicioso projeto TX2 foi lançado em 2010, o WWF estimou que pouco mais de 3.200 tigres nativos continuavam a existir na natureza em 13 países.

(Ilustração & # 8211 Archna Singh / Shutterstock)

& # 8220Dez anos atrás, os tigres estavam em um estado tão perigoso que havia um risco muito real de sua extinção, & # 8221 Becci May, gerente regional da equipe Asian Big Cats da WWF UK, disse à BBC Radio 1 & # 8217s Newsbeat . & # 8220Da baixa população em 2010, eles estão finalmente fazendo um retorno notável & # 8230 graças aos esforços de conservação coordenados e combinados.

& # 8220Esta é uma conquista que não só oferece um futuro para tigres em estado selvagem, mas para as paisagens que habitam e as comunidades que vivem ao lado deste grande felino icônico. & # 8221

O Projeto TX2 foi inaugurado pelos líderes dos 13 países onde o número de tigres selvagens estava em declínio no Tiger Summit de 2010 em São Petersburgo, Rússia, explica o WWF. Em parceria com seus respectivos governos e outras organizações, o WWF descreveu o projeto TX2 como & # 8220 provavelmente o esforço de recuperação global mais ambicioso já realizado para uma única espécie. & # 8221

(Ilustração & # 8211 F. JIMENEZ MECA / Shutterstock) (Ilustração & # 8211 Kirill Dorofeev / Shutterstock)

O projeto é de longo prazo, trabalhando para aumentar a proteção para tigres e manter ou restaurar & # 8220 corredores de vida selvagem & # 8221 para permitir que os tigres vaguem livremente e se reproduzam em segurança em seu ambiente natural.

Em 2020, as populações de tigres selvagens estão prosperando em cinco países envolvidos no esforço de conservação do TX2: Butão, China, Índia, Nepal e Rússia. A Índia abriga o maior número de tigres selvagens, constituindo 75 por cento da população global. Os números dobraram entre 2006 e 2018, totalizando cerca de 3.350 animais.

O Nepal & # 8217s registrou que a população de tigres quase dobrou em um período semelhante, passando de 121 em 2009 para 235 em 2018.

(Ilustração & # 8211 Anuradha Marwah / Shutterstock)

O número de tigres Amur da Rússia e # 8217s aumentou 15 por cento durante o esforço de conservação de 10 anos, resultando em uma população de 540. Butão e # 8217s Royal Manas National Park abrigou apenas 10 tigres selvagens em 2010 em 2019, o parque registrou 22.

& # 8220Os tigres podem prosperar felizes com espaço, comida e água suficientes & # 8221 May explicou à BBC. & # 8220Então, o progresso é resultado da melhor proteção dos tigres e de seu habitat. & # 8221

Na China, há até evidências de reprodução ativa.

Em 2010, acredita-se que 20 tigres selvagens da China tenham cruzado a fronteira com a Rússia. Mesmo assim, quatro anos depois, as armadilhas fotográficas chinesas capturaram imagens encorajadoras de uma tigresa e seus filhotes na Reserva Natural Jilin Wangqing, no condado de Wangqing, nordeste da China.

(Ilustração & # 8211 Travel Stock / Shutterstock)

O WWF, no entanto, implora que a chave para sustentar o aumento da população de tigres selvagens é se concentrar na conservação das paisagens que habitam e na educação das comunidades que sustentam esses habitats, incluindo-os como atores-chave no esforço de conservação.

& # 8220A razão pela qual os números despencaram nos últimos 100 anos ou mais é por causa das mudanças no uso da terra, & # 8221 disse maio. & # 8220Populações de vida selvagem também são devastadas por causa de armadilhas sendo armadas para capturar animais selvagens. & # 8221 A caça furtiva para o comércio ilegal de animais selvagens continua a ser uma grande ameaça para o crescimento da população de tigres selvagens.

Enquanto os esforços comunitários continuam, os consumidores também podem fazer sua parte na preservação de habitats naturais. Todos nós precisamos ler os rótulos e garantir que os itens que compramos venham de fontes éticas e sustentáveis, disse May, acrescentando: & # 8220 Precisamos compartilhar nosso entusiasmo pelos tigres e dizer aos nossos amigos e familiares como isso é importante. & # 8221

Embora ainda existam apenas cerca de 3.900 tigres no total vivendo na natureza, o projeto TX2 espera testemunhar uma duplicação de sua população inicial de 3.200 até 2022. Simbolicamente, o próximo Ano Novo chinês será o do tigre.


Tigres selvagens fazendo um retorno & # 8216 & # 8217 em cinco países graças ao esforço de conservação de 10 anos

Após um esforço de conservação de 10 anos para dobrar a população de tigres do mundo & # 8217s até 2022, os tigres estão fazendo um & # 8220 retorno notável & # 8221 no Butão, China, Índia, Nepal e Rússia. A instituição de caridade que lidera a iniciativa, o World Wildlife Fund (WWF), está fazendo uma pausa para comemorar, enquanto lembra seus apoiadores de que ainda há trabalho a ser feito.

Apesar do progresso radical, diz o WWF, a caça ilegal e a destruição do habitat continuam a ameaçar esta espécie feroz, mas vulnerável.

No início do século 21, aproximadamente 100.000 tigres selvagens vagavam pela Terra. Quando o ambicioso projeto TX2 foi lançado em 2010, o WWF estimou que pouco mais de 3.200 tigres nativos continuavam a existir na natureza em 13 países.

(Ilustração & # 8211 Archna Singh / Shutterstock)

& # 8220Dez anos atrás, os tigres estavam em um estado tão perigoso que havia um risco muito real de sua extinção, & # 8221 Becci May, gerente regional da equipe Asian Big Cats da WWF UK, disse à BBC Radio 1 & # 8217s Newsbeat . & # 8220Da baixa população em 2010, eles estão finalmente fazendo um retorno notável & # 8230 graças aos esforços de conservação coordenados e combinados.

& # 8220Esta é uma conquista que não só oferece um futuro para tigres em estado selvagem, mas para as paisagens que habitam e as comunidades que vivem ao lado deste grande felino icônico. & # 8221

O Projeto TX2 foi inaugurado pelos líderes dos 13 países onde o número de tigres selvagens estava em declínio no Tiger Summit de 2010 em São Petersburgo, Rússia, explica o WWF. Em parceria com seus respectivos governos e outras organizações, o WWF descreveu o projeto TX2 como & # 8220 provavelmente o esforço de recuperação global mais ambicioso já realizado para uma única espécie. & # 8221

(Ilustração & # 8211 F. JIMENEZ MECA / Shutterstock) (Ilustração & # 8211 Kirill Dorofeev / Shutterstock)

O projeto é de longo prazo, trabalhando para aumentar a proteção dos tigres e manter ou restaurar & # 8220wildlife corridors & # 8221 para permitir que os tigres circulem livremente e se reproduzam em segurança em seu ambiente natural.

Em 2020, as populações de tigres selvagens estão prosperando em cinco países envolvidos no esforço de conservação do TX2: Butão, China, Índia, Nepal e Rússia. A Índia abriga o maior número de tigres selvagens, constituindo 75 por cento da população global. Os números dobraram entre 2006 e 2018, totalizando cerca de 3.350 animais.

O Nepal & # 8217s registrou que a população de tigres quase dobrou em um período semelhante, passando de 121 em 2009 para 235 em 2018.

(Ilustração & # 8211 Anuradha Marwah / Shutterstock)

O número de tigres Amur da Rússia e # 8217s aumentou 15 por cento durante o esforço de conservação de 10 anos, resultando em uma população de 540. Butão e # 8217s Royal Manas National Park abrigou apenas 10 tigres selvagens em 2010 em 2019, o parque registrou 22.

& # 8220Os tigres podem prosperar felizes com espaço, comida e água suficientes & # 8221 May explicou à BBC. & # 8220Então, o progresso é resultado da melhor proteção dos tigres e de seu habitat. & # 8221

Na China, há até evidências de reprodução ativa.

Em 2010, acredita-se que 20 tigres selvagens da China tenham cruzado a fronteira com a Rússia. No entanto, quatro anos depois, as armadilhas fotográficas chinesas capturaram imagens encorajadoras de uma tigresa e seus filhotes na Reserva Natural Jilin Wangqing, no condado de Wangqing, no nordeste da China.

(Ilustração & # 8211 Travel Stock / Shutterstock)

O WWF, no entanto, implora que a chave para sustentar o aumento da população de tigres selvagens é se concentrar na conservação das paisagens que habitam e na educação das comunidades que sustentam esses habitats, incluindo-os como atores-chave no esforço de conservação.

& # 8220A razão pela qual os números despencaram nos últimos 100 anos ou mais é por causa das mudanças no uso da terra, & # 8221 disse maio. & # 8220Populações de vida selvagem também são devastadas por causa de armadilhas sendo armadas para capturar animais selvagens. & # 8221 A caça furtiva para o comércio ilegal de animais selvagens continua a ser uma grande ameaça para o crescimento da população de tigres selvagens.

Enquanto os esforços comunitários continuam, os consumidores também podem fazer sua parte na preservação de habitats naturais. Todos nós precisamos ler os rótulos e garantir que os itens que compramos venham de fontes éticas e sustentáveis, disse May, acrescentando: & # 8220 Precisamos compartilhar nosso entusiasmo pelos tigres e dizer aos nossos amigos e familiares como isso é importante. & # 8221

Embora ainda existam apenas cerca de 3.900 tigres no total vivendo na natureza, o projeto TX2 espera testemunhar uma duplicação de sua população inicial de 3.200 até 2022. Simbolicamente, o próximo Ano Novo chinês será o do tigre.


Tigres selvagens fazendo um retorno & # 8216 & # 8217 em cinco países graças ao esforço de conservação de 10 anos

Após um esforço de conservação de 10 anos para dobrar a população mundial de tigres & # 8217s até 2022, os tigres estão fazendo um & # 8220 retorno notável & # 8221 no Butão, China, Índia, Nepal e Rússia. A instituição de caridade que lidera a iniciativa, o World Wildlife Fund (WWF), está fazendo uma pausa para comemorar, enquanto lembra seus apoiadores de que ainda há trabalho a ser feito.

Apesar do progresso radical, diz o WWF, a caça ilegal e a destruição do habitat continuam a ameaçar esta espécie feroz, mas vulnerável.

No início do século 21, aproximadamente 100.000 tigres selvagens vagavam pela Terra. Quando o ambicioso projeto TX2 foi lançado em 2010, o WWF estimou que pouco mais de 3.200 tigres nativos continuavam a existir na natureza em 13 países.

(Ilustração & # 8211 Archna Singh / Shutterstock)

& # 8220Dez anos atrás, os tigres estavam em um estado tão perigoso que havia um risco muito real de sua extinção, & # 8221 Becci May, gerente regional da equipe Asian Big Cats da WWF UK, disse à BBC Radio 1 & # 8217s Newsbeat . & # 8220Da baixa população em 2010, eles estão finalmente fazendo um retorno notável & # 8230 graças aos esforços de conservação coordenados e combinados.

& # 8220Esta é uma conquista que não só oferece um futuro para tigres em estado selvagem, mas para as paisagens que habitam e as comunidades que vivem ao lado deste grande felino icônico. & # 8221

Project TX2 was inaugurated by the leaders of the 13 countries where wild tiger numbers were in decline at the 2010 Tiger Summit in St. Petersburg, Russia, explains the WWF. In partnership with their respective governments, and other organizations, the WWF described project TX2 as “probably the most ambitious global recovery effort ever undertaken for a single species.”

(Illustration – F. JIMENEZ MECA/Shutterstock) (Illustration – Kirill Dorofeev/Shutterstock)

The project is long-term, working toward increasing protection for tigers and either maintaining or restoring “wildlife corridors” to allow tigers to roam freely and breed in safety in their natural environment.

As of 2020, wild tiger populations are thriving in five countries involved in the TX2 conservation effort: Bhutan, China, India, Nepal, and Russia. India is home to the greatest number of wild tigers, constituting 75 percent of the global population numbers doubled between 2006 and 2018, totaling some 3,350 animals.

Nepal’s recorded tiger population almost doubled in a similar time period, rising from 121 in 2009 to 235 in 2018.

(Illustration – Anuradha Marwah/Shutterstock)

Russia’s Amur tiger numbers have increased by 15 percent during the 10-year conservation effort, resulting in a population of 540. Bhutan’s Royal Manas National Park was home to only 10 wild tigers in 2010 in 2019, the park registered 22.

“Tigers can thrive happily given enough space, food, and water,” May explained to the BBC. “So the progress is a result of tigers and their habitat being better protected.”

In China, there is even evidence of active breeding.

In 2010, China’s 20 wild tigers were thought to have crossed the border from Russia. Yet four years later, Chinese camera traps caught encouraging footage of a tigress and her cubs at Jilin Wangqing Nature Reserve in Wangqing County, northeastern China.

(Illustration – Travel Stock/Shutterstock)

The WWF nonetheless implores that the key to sustaining wild tiger population increase is to focus on conserving the landscapes they inhabit and on educating the communities that support these habitats, including them as key players in the conservation effort.

“The reason why numbers have plummeted over the last 100 years or so is because of changes to land use,” said May. “Wildlife populations are also devastated because of snares being set to catch wildlife.” Poaching for the illegal wildlife trade continues to be a major threat to wild tiger population growth.

While community-based efforts rally on, consumers can also play their part in preserving natural habitats. We all need to read labels and ensure that the items we buy come from ethical, sustainable sources, said May, adding, “We need to share our enthusiasm for tigers and tell our friends and family how important it is.”

While there are still only around 3,900 tigers in total living in the wild, project TX2 hopes to witness a doubling of their starting population of 3,200 by 2022. Symbolically, the next Chinese New Year will be that of the tiger.


Wild Tigers Making a ‘Comeback’ in Five Countries Thanks to 10-Year Conservation Effort

After a 10-year conservation effort to double the world’s tiger population by 2022, tigers are making a “remarkable comeback” in Bhutan, China, India, Nepal, and Russia. The charity spearheading the initiative, the World Wildlife Fund (WWF), is taking pause for celebration while reminding its supporters that there’s still work to be done.

Despite radical progress, says the WWF, poaching and habitat destruction continue to threaten this ferocious yet vulnerable species.

In the early 21st century, approximately 100,000 wild tigers roamed the earth. When the ambitious project TX2 launched in 2010, the WWF estimated that little more than 3,200 native tigers continued to exist in the wild across 13 countries.

(Illustration – Archna Singh/Shutterstock)

“Ten years ago, tigers were in such a perilous state that there was a very real risk of them becoming extinct,” Becci May, regional manager of the Asian Big Cats team at WWF UK, told BBC Radio 1’s Newsbeat. “From that population low in 2010, they are finally making a remarkable comeback … thanks to co-ordinated and concerted conservation efforts.

“This is an achievement that not only offers a future for tigers in the wild, but for the landscapes they inhabit and the communities living alongside this iconic big cat.”

Project TX2 was inaugurated by the leaders of the 13 countries where wild tiger numbers were in decline at the 2010 Tiger Summit in St. Petersburg, Russia, explains the WWF. In partnership with their respective governments, and other organizations, the WWF described project TX2 as “probably the most ambitious global recovery effort ever undertaken for a single species.”

(Illustration – F. JIMENEZ MECA/Shutterstock) (Illustration – Kirill Dorofeev/Shutterstock)

The project is long-term, working toward increasing protection for tigers and either maintaining or restoring “wildlife corridors” to allow tigers to roam freely and breed in safety in their natural environment.

As of 2020, wild tiger populations are thriving in five countries involved in the TX2 conservation effort: Bhutan, China, India, Nepal, and Russia. India is home to the greatest number of wild tigers, constituting 75 percent of the global population numbers doubled between 2006 and 2018, totaling some 3,350 animals.

Nepal’s recorded tiger population almost doubled in a similar time period, rising from 121 in 2009 to 235 in 2018.

(Illustration – Anuradha Marwah/Shutterstock)

Russia’s Amur tiger numbers have increased by 15 percent during the 10-year conservation effort, resulting in a population of 540. Bhutan’s Royal Manas National Park was home to only 10 wild tigers in 2010 in 2019, the park registered 22.

“Tigers can thrive happily given enough space, food, and water,” May explained to the BBC. “So the progress is a result of tigers and their habitat being better protected.”

In China, there is even evidence of active breeding.

In 2010, China’s 20 wild tigers were thought to have crossed the border from Russia. Yet four years later, Chinese camera traps caught encouraging footage of a tigress and her cubs at Jilin Wangqing Nature Reserve in Wangqing County, northeastern China.

(Illustration – Travel Stock/Shutterstock)

The WWF nonetheless implores that the key to sustaining wild tiger population increase is to focus on conserving the landscapes they inhabit and on educating the communities that support these habitats, including them as key players in the conservation effort.

“The reason why numbers have plummeted over the last 100 years or so is because of changes to land use,” said May. “Wildlife populations are also devastated because of snares being set to catch wildlife.” Poaching for the illegal wildlife trade continues to be a major threat to wild tiger population growth.

While community-based efforts rally on, consumers can also play their part in preserving natural habitats. We all need to read labels and ensure that the items we buy come from ethical, sustainable sources, said May, adding, “We need to share our enthusiasm for tigers and tell our friends and family how important it is.”

While there are still only around 3,900 tigers in total living in the wild, project TX2 hopes to witness a doubling of their starting population of 3,200 by 2022. Symbolically, the next Chinese New Year will be that of the tiger.


Wild Tigers Making a ‘Comeback’ in Five Countries Thanks to 10-Year Conservation Effort

After a 10-year conservation effort to double the world’s tiger population by 2022, tigers are making a “remarkable comeback” in Bhutan, China, India, Nepal, and Russia. The charity spearheading the initiative, the World Wildlife Fund (WWF), is taking pause for celebration while reminding its supporters that there’s still work to be done.

Despite radical progress, says the WWF, poaching and habitat destruction continue to threaten this ferocious yet vulnerable species.

In the early 21st century, approximately 100,000 wild tigers roamed the earth. When the ambitious project TX2 launched in 2010, the WWF estimated that little more than 3,200 native tigers continued to exist in the wild across 13 countries.

(Illustration – Archna Singh/Shutterstock)

“Ten years ago, tigers were in such a perilous state that there was a very real risk of them becoming extinct,” Becci May, regional manager of the Asian Big Cats team at WWF UK, told BBC Radio 1’s Newsbeat. “From that population low in 2010, they are finally making a remarkable comeback … thanks to co-ordinated and concerted conservation efforts.

“This is an achievement that not only offers a future for tigers in the wild, but for the landscapes they inhabit and the communities living alongside this iconic big cat.”

Project TX2 was inaugurated by the leaders of the 13 countries where wild tiger numbers were in decline at the 2010 Tiger Summit in St. Petersburg, Russia, explains the WWF. In partnership with their respective governments, and other organizations, the WWF described project TX2 as “probably the most ambitious global recovery effort ever undertaken for a single species.”

(Illustration – F. JIMENEZ MECA/Shutterstock) (Illustration – Kirill Dorofeev/Shutterstock)

The project is long-term, working toward increasing protection for tigers and either maintaining or restoring “wildlife corridors” to allow tigers to roam freely and breed in safety in their natural environment.

As of 2020, wild tiger populations are thriving in five countries involved in the TX2 conservation effort: Bhutan, China, India, Nepal, and Russia. India is home to the greatest number of wild tigers, constituting 75 percent of the global population numbers doubled between 2006 and 2018, totaling some 3,350 animals.

Nepal’s recorded tiger population almost doubled in a similar time period, rising from 121 in 2009 to 235 in 2018.

(Illustration – Anuradha Marwah/Shutterstock)

Russia’s Amur tiger numbers have increased by 15 percent during the 10-year conservation effort, resulting in a population of 540. Bhutan’s Royal Manas National Park was home to only 10 wild tigers in 2010 in 2019, the park registered 22.

“Tigers can thrive happily given enough space, food, and water,” May explained to the BBC. “So the progress is a result of tigers and their habitat being better protected.”

In China, there is even evidence of active breeding.

In 2010, China’s 20 wild tigers were thought to have crossed the border from Russia. Yet four years later, Chinese camera traps caught encouraging footage of a tigress and her cubs at Jilin Wangqing Nature Reserve in Wangqing County, northeastern China.

(Illustration – Travel Stock/Shutterstock)

The WWF nonetheless implores that the key to sustaining wild tiger population increase is to focus on conserving the landscapes they inhabit and on educating the communities that support these habitats, including them as key players in the conservation effort.

“The reason why numbers have plummeted over the last 100 years or so is because of changes to land use,” said May. “Wildlife populations are also devastated because of snares being set to catch wildlife.” Poaching for the illegal wildlife trade continues to be a major threat to wild tiger population growth.

While community-based efforts rally on, consumers can also play their part in preserving natural habitats. We all need to read labels and ensure that the items we buy come from ethical, sustainable sources, said May, adding, “We need to share our enthusiasm for tigers and tell our friends and family how important it is.”

While there are still only around 3,900 tigers in total living in the wild, project TX2 hopes to witness a doubling of their starting population of 3,200 by 2022. Symbolically, the next Chinese New Year will be that of the tiger.


Wild Tigers Making a ‘Comeback’ in Five Countries Thanks to 10-Year Conservation Effort

After a 10-year conservation effort to double the world’s tiger population by 2022, tigers are making a “remarkable comeback” in Bhutan, China, India, Nepal, and Russia. The charity spearheading the initiative, the World Wildlife Fund (WWF), is taking pause for celebration while reminding its supporters that there’s still work to be done.

Despite radical progress, says the WWF, poaching and habitat destruction continue to threaten this ferocious yet vulnerable species.

In the early 21st century, approximately 100,000 wild tigers roamed the earth. When the ambitious project TX2 launched in 2010, the WWF estimated that little more than 3,200 native tigers continued to exist in the wild across 13 countries.

(Illustration – Archna Singh/Shutterstock)

“Ten years ago, tigers were in such a perilous state that there was a very real risk of them becoming extinct,” Becci May, regional manager of the Asian Big Cats team at WWF UK, told BBC Radio 1’s Newsbeat. “From that population low in 2010, they are finally making a remarkable comeback … thanks to co-ordinated and concerted conservation efforts.

“This is an achievement that not only offers a future for tigers in the wild, but for the landscapes they inhabit and the communities living alongside this iconic big cat.”

Project TX2 was inaugurated by the leaders of the 13 countries where wild tiger numbers were in decline at the 2010 Tiger Summit in St. Petersburg, Russia, explains the WWF. In partnership with their respective governments, and other organizations, the WWF described project TX2 as “probably the most ambitious global recovery effort ever undertaken for a single species.”

(Illustration – F. JIMENEZ MECA/Shutterstock) (Illustration – Kirill Dorofeev/Shutterstock)

The project is long-term, working toward increasing protection for tigers and either maintaining or restoring “wildlife corridors” to allow tigers to roam freely and breed in safety in their natural environment.

As of 2020, wild tiger populations are thriving in five countries involved in the TX2 conservation effort: Bhutan, China, India, Nepal, and Russia. India is home to the greatest number of wild tigers, constituting 75 percent of the global population numbers doubled between 2006 and 2018, totaling some 3,350 animals.

Nepal’s recorded tiger population almost doubled in a similar time period, rising from 121 in 2009 to 235 in 2018.

(Illustration – Anuradha Marwah/Shutterstock)

Russia’s Amur tiger numbers have increased by 15 percent during the 10-year conservation effort, resulting in a population of 540. Bhutan’s Royal Manas National Park was home to only 10 wild tigers in 2010 in 2019, the park registered 22.

“Tigers can thrive happily given enough space, food, and water,” May explained to the BBC. “So the progress is a result of tigers and their habitat being better protected.”

In China, there is even evidence of active breeding.

In 2010, China’s 20 wild tigers were thought to have crossed the border from Russia. Yet four years later, Chinese camera traps caught encouraging footage of a tigress and her cubs at Jilin Wangqing Nature Reserve in Wangqing County, northeastern China.

(Illustration – Travel Stock/Shutterstock)

The WWF nonetheless implores that the key to sustaining wild tiger population increase is to focus on conserving the landscapes they inhabit and on educating the communities that support these habitats, including them as key players in the conservation effort.

“The reason why numbers have plummeted over the last 100 years or so is because of changes to land use,” said May. “Wildlife populations are also devastated because of snares being set to catch wildlife.” Poaching for the illegal wildlife trade continues to be a major threat to wild tiger population growth.

While community-based efforts rally on, consumers can also play their part in preserving natural habitats. We all need to read labels and ensure that the items we buy come from ethical, sustainable sources, said May, adding, “We need to share our enthusiasm for tigers and tell our friends and family how important it is.”

While there are still only around 3,900 tigers in total living in the wild, project TX2 hopes to witness a doubling of their starting population of 3,200 by 2022. Symbolically, the next Chinese New Year will be that of the tiger.


Assista o vídeo: Jogo Americano de Juta com Canto Mitrado para iniciante (Dezembro 2021).