Novas receitas

Um guia gastronômico para manter a comida casher para a Páscoa

Um guia gastronômico para manter a comida casher para a Páscoa

Nem tudo precisa ser virado de cabeça para baixo e do avesso para a Páscoa. Muitas receitas do dia-a-dia são perfeitamente aceitáveis, mas não percebemos porque estamos muito preocupados em permanecermos kosher. Quando publicamos os livros de receitas da Páscoa, podemos limitar nossa dieta por uma semana, e muitas vezes acabamos morrendo de fome durante metade do dia no trabalho ou com uma overdose completa de ovos.

Este ano, experimente meu guia para ajudá-lo a enfrentar o dia de trabalho simplesmente adaptando algumas receitas maravilhosas de Jamie Oliver.

Café da Manhã na mesa

No ano passado, passei as manhãs com um pote de granola kosher pronta para a Páscoa. Não tinha um gosto tão bom, então este ano decidi fazer o meu.

Você pode fazer uma semana de granola adequada para a Páscoa, que vai durar cerca de três semanas (um pouco menos do que a granola normal porque a matzá amolece depois de um tempo e você realmente quer uma crocante). Você pode comê-lo com diferentes coberturas de frutas e iogurte, o que faz com que as manhãs pareçam apenas mais um dia normal, em vez de ficar cheio de preocupação por não ficar cheio ou ter dor de estômago por causa de muita comida frita de Páscoa.

Eu uso a receita de granola de Jamie como base, pois é muito simples - basta trocar a aveia pelo mesmo peso de matzá esmagada e omitir as sementes. É uma receita amiga do bolso, que é bem-vinda nesta época do ano, com todas as despesas extras com os alimentos da Páscoa. Basta ir à sua loja kosher e comprar um pacote de frutas secas, um pacote de nozes, uma caixa de matsá e um pote ou garrafa de mel e esses ingredientes farão o café da manhã da semana inteira. A compota de frutas é deliciosa e muito fácil de fazer, e você pode até fazer umas duas diferentes para a semana e empacotá-las para ir com você para o trabalho.

Outro ótimo café da manhã para quando você tiver um pouco mais de tempo é o Jamie's Receita de café da manhã mexicano, que é colorido e repleto de belos sabores picantes.

Pessach merenda

A maioria das receitas só precisa de um pouco de adaptação para se tornar casher, mas algumas não precisam de nada. Meu plano para este ano é baseado em sobras de almoços. Um ótimo é Frango assado na bandeja do Jamie's Hit ‘n’ run, que você pode cozinhar na noite anterior e usar em sua lancheira no dia seguinte com um pouco de salada. Sem fritar, sem ovos e com o estômago cheio, além de muito sabor, o que é incrível nesta época do ano em que tudo tende a ter o mesmo gosto. Que vitória da Páscoa!

Outra receita de Páscoa quase perfeita é Jamie’s Quick salmão e batata ao forno. É certo que você terá que tirar a erva-doce e provavelmente o parmesão (a menos que você tenha uma loja de Páscoa realmente boa que estocar parmesão, nesse caso, sorte sua!). O salmão não cheira muito a peixe, então é outra receita que você pode embalar no dia seguinte para o almoço.

Eles não precisam ser sobras - você pode cozinhar esses pratos na noite anterior com o único propósito de fazer alguns almoços embalados para o dia seguinte. Como essas receitas não exigem muito esforço, você pode simplesmente colocá-las no forno enquanto está jantando na noite anterior.

Aqui estão mais algumas idéias de refeições para a Páscoa:

Briam

Espargos escaldados - ovo escalfado - salmão defumado fresco

Peixe em um saco (sem erva-doce)

Batatas e trutas novas

Hora do lanche

Todos nós conhecemos aquela sensação de olhar para o relógio com o estômago roncando e perceber que ainda temos algumas horas restantes. É aqui que o lanche certo pode salvar o dia

Um dos meus petiscos favoritos da Páscoa se inspira neste guia simples para casca de chocolate. Ainda estou ansioso pelo chocolate da Páscoa - é tão diferente do chocolate normal; tão cremoso e rico. Obviamente, você não quer zombar de um bar inteiro como um lanche; então use-o para fazer alguma casca - como no guia acima - e leve alguns pedaços com você para dar uma boa dose de energia e mantê-lo até o jantar.

Por Ella Miller


Comida favorita

Embora a maioria das pessoas saiba sobre os seders da Páscoa, o feriado é, na verdade, observado por uma semana inteira. O que isso significa exatamente? Bem, por um lado, significa manter Kosher para a Páscoa.

Manter o Kosher para a Páscoa é um pouco diferente de apenas manter o Kosher. Aqui está um resumo básico das principais leis de Kashrut ou "manter Kosher" literalmente adequado ou adequado:

* Você não tem permissão para servir leite e carne na mesma refeição

* Somente animais que ruminam e têm cascos fendidos são permitidos, por exemplo, cordeiro e boi, mas não carne de porco, e devem ser abatidos de maneira especial

* Os peixes podem ser comidos, mas devem ter barbatanas e escamas

Se essas leis foram criadas por razões de saúde ou para um tratamento mais humano para os animais, talvez nunca saibamos, mas elas estão em vigor há muito tempo e muitas pessoas ao redor do mundo as observam.

Kosher para a Páscoa significa manter Kosher mais significa não comer nenhum "produto assado com fermento". Especificamente, você não pode comer chometz que é qualquer coisa que contenha cevada, trigo, centeio, aveia ou espelta e não seja cozida dentro de 18 minutos após entrar em contato com a água. Além disso, judeus da Europa Oriental, como eu, evitam milho, arroz, amendoim e legumes, pois eles podem ser usados ​​para fazer pão. Muitos alimentos têm aditivos que os tornam inadequados para o feriado. Para obter detalhes sobre como os judeus mais praticantes guardam o Kosher para a Páscoa, consulte este guia. Pode parecer bobagem, mas pense nisso como desistir de algo na Quaresma. É apenas uma espécie de lembrete para mantê-lo pensando um pouco mais sobre os temas do feriado.

Como você não usa fermento, muitos bolos, muffins e pãezinhos usam ovos, especialmente claras de ovo para fermento. Os produtos assados ​​da Páscoa podem ser secos e emborrachados. Felizmente, o iogurte Dannon All Natural não é apenas Kosher para a Páscoa, mas um ótimo ingrediente para aumentar a maciez em produtos assados. Se você está mantendo Kosher, pode usar os sabores simples, baunilha, café e limão do iogurte em receitas e como um substituto para laticínios com alto teor de gordura, como cream cheese, sour cream e chantilly, algo que faço o ano todo.

Este ano experimentei três receitas de Dannon que são especialmente boas para a Páscoa. Minha receita favorita era uma receita de mini muffin. Era tão bom que eu faria durante todo o ano.

Mini Muffins de Limão e Baunilha Iogurte Noz Passover cortesia de Dannon

2 colheres de sopa. óleo de canola + 1 colher de sopa. para untar panelas
3/4 xícara de refeição de bolo de Páscoa
1/2 colher de chá sal
1/2 xícara de nozes moídas
1/2 xícara de açúcar
1 colher de chá. casca de limão ralada ou mais a gosto
3/4 xícara de Dannon e iogurte com baixo teor de gordura de baunilha e sabores naturais # 174
4 ovos separados
36 grandes pedaços de nogueira

1. Pré-aqueça o forno a 350 graus. Unte forminhas de mini muffins. Em uma tigela grande, adicione a farinha de bolo, o sal, as nozes moídas, o açúcar e as raspas de limão.
2. Em uma tigela média, adicione 2 colheres de sopa de óleo, iogurte e gemas de ovo e bata. Adicione à mistura de farinha de bolo e misture bem.
3. Em uma tigela limpa e seca, adicione as claras de ovos e bata até ficarem firmes. Gentilmente, dobre 1/4 das claras na mistura para bolo para clarear, em seguida, dobre o restante das claras na mistura até incorporar.
4. Coloque 1 colher de sopa da mistura em cada forma de mini muffin, cubra com um pedaço de noz e leve ao forno por 12-14 minutos ou até que a faca inserida no centro saia limpa. Deixe esfriar por 10 minutos antes de retirar da panela.


Mantendo Kosher para a Páscoa? Experimente estes 3 pontos

O rolo de Nemo no Genesis Steakhouse & amp Wine Bar, que também serve sushi kosher.

De 10 a 18 de abril, a comunidade judaica local celebrará a liberdade dos israelitas do Egito com jantares do Seder e mantendo a comida casher. Quer você se inclua ou não entre eles, você pode jogar junto com esses cashrut- manutenção de restaurantes Meyerland.

Genesis Steakhouse & amp Wine Bar

O único restaurante kosher sofisticado da cidade impressiona com filé, pato e cordeiro, mas o peixe também é o foco. Há uma grande variedade de sushis sem frutos do mar, bem como poke de atum e ceviche de pargo da moda.

Minha pita

O único restaurante em Houston totalmente dedicado à culinária israelense, este local ainda importa bebidas e doces do país para acompanhar sua refeição. Há schnitzel e shawarma, e se você se sentir como ovos, há Shakshuka, também.

Saba’s Grill & amp Wok

O mais novo restaurante kosher em Houston, esta sequência do Saba’s Restaurant com foco no mediterrâneo serve kebabs e wraps mediterrâneos, bem como clássicos sino-americanos como bolinhos e lo mein.


Receita de macarrão com gergelim frio com frango e legumes

Hacks de tortas não lácteas para o dia de Ação de Graças

My Jewish Learning não tem fins lucrativos e depende da sua ajuda

Para muitas pessoas, cozinhar kosher significa tirar a poeira do livro de receitas da avó e rsquos, vasculhar os cartões de receitas da família da década de 1960 e roubar idéias da Irmandade do Templo. Isso pode parecer & ldquoretro-cool & rdquo por um minuto, mas quando a Food Network, Anthony Bourdain e Martha Stewart estão empurrando molho de presunto com leite para acompanhar seu camarão com bacon, pode ser o suficiente para levar um foodie para o lado negro do treif, ou para se conformar com uma vida de falafel medíocre.

No entanto, os chefs kosher amadores (e profissionais) empreendedores não precisam se desesperar. Aqui estão alguns truques para desconstruir receitas de treif e transformar refeições proibidas em algo deliciosamente judaico.

A Arte da Substituição

No caso de uma receita pedir um ingrediente não kosher, a coisa mais fácil a fazer é pesquisar sua substituição química online. O melhor exemplo é a gelatina, que geralmente vem dos tecidos conjuntivos de animais não kosher. É um agente espessante fundamental em molhos e panificação, bem como um esmalte para sobremesas francesas tradicionais, como tortas de frutas.

Existem certos tipos de gomas vegetais usadas na fabricação e processamento de alimentos comerciais & ndashguar goma, ágar e goma de acácia & ndasht que podem ser usados ​​no lugar da gelatina. Todos estes são kosher e podem ser comprados online ou em grandes lojas de alimentos saudáveis ​​e supermercados asiáticos. O ágar, em particular, é um ótimo substituto porque uma colher de chá de ágar pode substituir uma colher de chá de gelatina.

Perfil de Sabor

Quando os chefs criam novas receitas, eles consideram o perfil de sabor que desejam alcançar. A ideia de um perfil de sabor é que o que torna um prato saboroso é mais do que apenas a soma de seus ingredientes e ndashit é um equilíbrio delicado de sabores, odores e outras impressões separados, como sedosidade na boca, gosto residual, calor e especiarias .

Quando você encontrar uma receita não kosher que o intriga, considere como você pode modificá-la com ervas frescas, especiarias e ingredientes não tradicionais e ainda permanecer fiel ao seu perfil de sabor. Expanda seu repertório visitando mercearias internacionais, mercados de especiarias e mercados de produtores rurais, onde você pode encontrar uma grande variedade de ferramentas culinárias não disponíveis no supermercado local.

Por exemplo, procure risoto de alta qualidade, que não contém laticínios, mas tem uma qualidade leitosa e queijosa. Outra grande mágica dos alimentos é a variedade de & ldquomilks & rdquo não lácteos disponíveis. Você provavelmente já ouviu falar de leite de soja, mas e o leite de amêndoa? Esta versão mais saborosa do creme não lácteo é perfeita para molhos ou purê de batatas.

O desafio Treif

Pode parecer impossível modificar esta receita de Filé Mignon Envolvido em Bacon Defumado Applewood. Aqui está a receita, primeiro na forma não-kosher, depois desconstruída e re-imaginada por perfis de sabor e pensando fora da caixa do treif.

Filé Mignon Envolto em Bacon Fumado de Applewood
Rende 4 porções.

2 colheres de sopa de manteiga
1 colher de chá de salsa em flocos
1 colher de chá de cebola picada
4 bifes de filé mignon
4 fatias de bacon defumado de macieira

Cubra o bife com manteiga, salsa e cebola picada. Enrole o bife com bacon, usando um palito de dentes como espeto. Grelhe até ficar mal passado ou mal passado.

A Solução Kosher

Esta receita é obviamente treif; ela contém bacon e também carne misturada com laticínios. Filé mignon também é um corte suspeito. Visto que está perigosamente perto do nervo ciático, é quase impossível abatê-lo de acordo com a lei judaica e, portanto, extremamente caro e difícil de encontrar quando é kosher.

O perfil de sabor deste prato é de dar água na boca: firmeza de carne, suculência de sangue, brilho de manteiga e gordura de porco, amadeirado e crocante de bacon, sabor doce e apimentado, sabor levemente ácido de erva de cebola e salsa.

Com esse perfil de sabor em mente, o chef kosher cria o seguinte:

Rib Eye com molho chimichurri embrulhado em bacon de peru

4 colheres de sopa de molho chimichurri
4 bifes de costela com bastante gordura sobrando no corte
4 fatias de bacon de peru
1 colher de sopa de pimenta rachada

Chimichurri é um molho verde dominicano feito de ervas e óleo, usado para marinar. Seu sabor amadeirado imita o bacon de macieira. Este molho não só tem um sabor delicioso a ervas (um substituto melhor para a combinação enfadonha de salsa / cebola), mas também contém azeite vegetal ou de oliva, que substitui o brilho da manteiga.

O olho de lombo é, pelo dinheiro, o melhor corte gourmet de carne bovina kosher. Possui excelente marmorização (relação gordura / carne magra, onde há gordura suficiente para criar suculência), o que significa que a manteiga e a gordura de porco do bacon não passarão despercebidas.

Por fim, o bacon de peru tem a mesma textura crocante e apelo visual do bacon de macieira. Em geral, o peru, especialmente o defumado, é um excelente substituto da carne de porco. Também pode ser feito com mel para ter o mesmo sabor e textura do presunto.

Como na receita do treif, esfregue o bife na marinada, embrulhe no & ldquobacon, & rdquo insira o palito e grelhe. Ninguém será mais sábio.

Divertindo-se com limitação

O que afasta muitas pessoas da culinária kosher é a ideia de & ldquogar & rdquo os alimentos que desejam. Não há mais queijo no cheeseburger. Chega de batatas assadas carregadas de bacon.

Mas, no passado, os judeus em todos os países da diáspora encontraram maneiras de criar versões kosher da comida rsquo de seus vizinhos. Judeus italianos pegaram pato e o fumaram para fazer presunto de pato, o primo kosher do famoso presunto salgado italiano. Os judeus na Índia substituíram a manteiga e o iogurte por leite de coco e óleo para fazer caril de carne kosher.

Hoje, o segredo é se divertir e pensar em como suas substituições criativas o tornam parte de uma rica história da culinária judaica.


Páscoa este ano: receitas para manter a simplicidade

ESTILO FAMILIAR Este frango assado com tomilho e mel, uma receita simples usando apenas alguns ingredientes, é uma peça central festiva para o seder da Páscoa.

WHEN YEHUDA KIRSCHENBAUM estava crescendo, a semana da Páscoa era sinônimo de férias. Seu pai é o diretor de alimentos e bebidas da Presidential Kosher Holidays, que organiza retiros de Páscoa de luxo em hotéis no México e no Arizona. (Pense no Club Med, mas com seders comuns.)

Nesta Páscoa, o Sr. Kirschenbaum, sua esposa, Debra Kamin, e suas filhas gêmeas de 3 anos estavam programados para viajar de sua casa em San Marcos, Califórnia, para o resort Fairmont Mayakoba na Riviera Maia do México, para passar o feriado com os pais do Sr. Kirschenbaum. Mas em 16 de março, enquanto escolas e empresas de todo o país fechavam suas portas devido à pandemia do coronavírus, a família foi informada de que a viagem havia sido cancelada. “Meus filhos têm idade suficiente para fazer parte da programação infantil, e estávamos ansiosos para fazer uma viagem descontraída em família”, disse Kirschenbaum. "Então, isso realmente parece um soco nojento."

Muitas pessoas e empresas estão mudando seus planos de Páscoa para seguir as diretrizes de distanciamento social. Na Flórida, um destino popular para o seder, um grupo de rabinos ortodoxos e profissionais médicos co-assinaram uma carta instando fortemente os visitantes de fora do estado a ficarem em casa. “Temos uma exigência haláchica (legal judaica) de manter nossas comunidades seguras”, afirma a carta. De acordo com a proprietária do Presidential Kosher Holidays, Lynda Clare, embora a maioria dos alimentos e suprimentos necessários para servir 550 convidados durante a semana já tivesse sido enviada para o México, ela sabia o que tinha que fazer. “Todos os pratos, todos os produtos secos, carne kosher e vinho estão guardados”, disse ela. “Mas queríamos fazer a coisa certa, e a saúde de nossos hóspedes é o mais importante.”

O distanciamento social significa que muitas famílias estarão separadas para a refeição do seder da próxima semana - uma reunião inerentemente social que muitas vezes reúne várias gerações ao redor da mesa. “Minha avó de 92 anos mora a um quilômetro da casa da minha mãe em Nova Jersey, mas não é seguro visitá-la”, disse Jeffrey Yoskowitz, escritor e empresário de alimentos do Brooklyn. "Não consigo imaginar um seder sem ela."

Aqueles que costumam visitar parentes para o feriado acabaram desempenhando o papel inesperado de anfitriões do seder. "Aos 48 anos, este será o primeiro seder de Páscoa que eu mesmo faço, e será apenas para mim e meu marido", disse Adeena Sussman, autora de "Sababa: Fresh, Sunny Flavors from My Israeli Kitchen", que vive em Tel Aviv. "Você ao menos faz um peito para duas pessoas?" Em vez de comemorar com os hóspedes do resort, como fizeram nos últimos 30 anos, a Sra. Clare e seu marido compartilharão um seder tranquilo em sua casa em Nova York. “Recebemos um prato de seder como presente de casamento, mas não tenho ideia de onde está”, disse ela.


O que um foodie kosher deve fazer?

Ser um foodie kosher não é tão impossível, graças à grande variedade de cozinha e receitas agora disponíveis. LESLIE PEREZ FOTOS

Há alguns meses, uma conversa sobre notícias e política judaica com alguns de meus colegas voltou-se para um tópico que achei que seria muito menos polarizador: comida. Eu aprendi rapidamente, no entanto, que as pessoas levam suas façanhas culinárias tão a sério quanto levam sua política.

“Você não pode ser um foodie kosher”, disse um amigo.

“Muitas restrições”, respondeu ele. “Você não pode experimentar todas as novas tendências e técnicas alimentares.”

Eu ponderei isso por um momento antes de decidir investigar. Uma rápida pesquisa no Google desmentiu sua afirmação.

Não apenas existem milhares de foodies kosher por aí, mas a própria comida kosher experimentou nada menos que uma revolução na última década, acompanhando as tendências do mundo culinário em geral.

O termo "foodie" foi cunhado pela primeira vez pelo crítico de restaurantes americano Gael Greene em uma edição de junho de 1980 da Nova york revista. Ele ganhou popularidade nos círculos culinários e continuou a crescer nas décadas de 1980 e 1990.

Hoje, graças às plataformas de mídia social populares como Facebook e Instagram, muitos argumentam que a cultura foodie atingiu novos patamares vertiginosos.

Mas o que dizer dos gourmets judeus e, especificamente, dos gourmets kosher? As restrições dietéticas que acompanham ser kosher realmente tornam impossível fazer parte da tribo dos foodie? Alguém pode ser kosher e um foodie?

Entusiastas da comida que falaram com O CJN parecem concordar: sim.

“Um foodie é alguém que pensa no jantar enquanto almoça”, diz o chef Bob Blumer, apresentador de programas do Food Network como The Surreal Gourmet e Restaurantes mais estranhos do mundo. “Ser um foodie é maximizar o prazer que você obtém do que está comendo, independentemente de quais sejam suas restrições. Se você é celíaco e não pode comer trigo, isso não significa que não possa ter prazer com a comida e se esforçar para fazer tudo o que puder comer delicioso. ”

É um sentimento comum entre os entusiastas da comida, kosher e outros.

“Um foodie é alguém que se preocupa com a qualidade dos alimentos, ingredientes, processo, experiência e tudo o que vem junto com isso”, acrescenta Dani Klein, 33, fundador do YeahThatsKosher.com, um blog para viajantes kosher. “Existem foodies kosher, foodies halal, foodies sem glúten, foodies orgânicos, foodies intolerantes à lactose, foodies vegan, foodies somente carnívoros, etc. Só porque um tem uma restrição não significa que eles não podem se preocupar com a qualidade. ”

“As restrições alimentares podem tornar um foodie kosher (ou outro) limitado em termos do que podemos comer, mas isso não significa que não somos amantes da boa comida”, diz Klein. “Graças à web, há uma consciência cada vez maior de muitas opções kosher difíceis de encontrar em cidades de todo o mundo.”

A Internet também possibilitou a revolução gastronômica kosher de outras maneiras. Isso aumentou a conscientização sobre comida kosher em geral - no Instagram, a hashtag #kosher foi usada 270.900 vezes - mas também possibilitou uma comunidade digital de gourmets kosher devotos que compartilham receitas, fotos e ideias uns com os outros, graças a um intercâmbio , e delicioso, vínculo comum.

Montrealer Leslie Perez, fundador do blog Kosher todos os dias, diz que os últimos cinco anos em particular viram uma explosão na cultura alimentar judaica. A comida judaica finalmente tem voz e está influenciando outras pessoas de maneiras que nunca poderíamos ter imaginado. Por meio da mídia social, estamos conectados a blogueiros judeus e foodies de todo o mundo, do Texas ao Marrocos, e o que nos une é que somos judeus, amamos expressar nossa arte culinária e nos alimentamos dessa paixão enquanto a compartilhamos. ”

Em Toronto, a comunidade de entusiastas da comida kosher também está crescendo.

Eran Marom, fundador do Mobius Culinary Labs, um centro de pesquisa e desenvolvimento que desenvolve novos métodos de culinária, atribui a ascensão do cenário da comida kosher em Toronto à sede de conhecimento e lealdade.

“Em meus 12 anos de trabalho na indústria kosher de Toronto, descobri que nossos clientes kosher são muito abertos e leais”, diz ele. “Estamos vendo chefs mais jovens sendo mais criativos e influenciados pela cena gastronômica kosher em Nova York e Israel, que é obviamente muito maior. Acredito que nos próximos anos continuaremos a ver grandes mudanças na indústria de alimentos kosher de Toronto. ”

Marom também argumenta que certas restrições obriga os chefs e gourmets kosher a serem mais criativos.

“A limitação é a força da criatividade”, diz ele. “Porque somos tão limitados, cada vez que alguém faz algo novo, todos nós ficamos entusiasmados. Não há nada a temer na indústria kosher, então os judeus kosher sempre querem tentar coisas novas. Quando um novo restaurante kosher abrir em Toronto, todos irão para lá. ”

Norene Gilletz, chef, blogueira de culinária e CJN colaborador, observa que, embora Toronto tenha uma cultura alimentar kosher em expansão, ela empalidece em comparação com cidades como Nova York ou Tel Aviv.

“Mesmo com a comida kosher muito mais disponível hoje, com produtos frescos vindos de todo o mundo, ainda é muito mais difícil aqui em Toronto do que nos EUA”, diz ela. “Lá eles têm restaurantes kosher para tudo e milhões de opções. É muito diferente."

Em Montreal, lar de uma comunidade judaica de cerca de 90.000 habitantes, a cena gastronômica permaneceu mais ou menos a mesma por muitos anos, diz Michel Ben-Haim, gerente do restaurante Chops Kosher.

“Muitos restaurantes vieram e foram, e são sempre os mesmos lugares que permaneceram abertos. A clientela é muito limitada. Não é como em Nova York, onde todos comem kosher. Em Montreal, são apenas membros da comunidade ou reuniões de negócios. ”

A comunidade de Montreal é bastante conservadora quando se trata de comida, ele continua. “As pessoas gostam de comida simples, mas preparada com bons ingredientes. Tudo precisa ser fresco, limpo e preparado de maneira adequada. ”

Daniel Davidzon, gerente de marketing e comunicação da rede Aroma Espresso Bar, diz que a demanda por comida kosher em Toronto nunca foi tão alta.

“Vivemos em uma época em que as pessoas estão mais preocupadas do que nunca com o que comem, de onde vem e como é feito. Muitos procuram opções acessíveis, acessíveis e saudáveis ​​para comer fora, e procuram fazê-lo em restaurantes modernos que servem cozinha moderna. A cultura alimentar em Toronto é especialmente forte. Os comensais são expostos a ingredientes e estilos de culinária de todo o mundo e são experientes o suficiente para perceber que eles podem ser facilmente duplicados, com atenção especial aos estilos de vida dietéticos, como manter a comida casher. ”

A cena de restaurantes kosher na cidade também está recebendo mais atenção. Na verdade, maio marca o segundo mês do restaurante Kosher em Toronto, uma iniciativa do Conselho Kashruth do Canadá. O primeiro foi realizado em 2013. Mais de 20 restaurantes kosher estão participando este ano, oferecendo aos clientes um desconto de 10 por cento. De acordo com Richard Rabkin, o diretor administrativo do conselho, Toronto é a única cidade na América do Norte que tem um evento de um mês de duração.

“Os restaurantes kosher são uma parte importante para tornar viável uma comunidade judaica, por isso queremos fazer a nossa parte para incentivar as pessoas a visitar seus restaurantes kosher locais”, diz Rabkin. “Quanto mais pessoas visitarem, mais viáveis ​​serão.”

“O mercado de alimentos kosher está definitivamente em alta aqui”, acrescenta David Blum, chef executivo corporativo da mercearia kosher Savors Fresh Market de Toronto. “Os consumidores kosher estão mais educados agora, permitindo que as empresas introduzam novas linhas de alimentos diferentes. Ser um foodie kosher hoje é muito empolgante, porque tudo é novo. Ninguém estava falando sobre bacon de boi e salame kosher alguns anos atrás. Estamos pegando itens do mercado não-kosher e mudando-os para atender às nossas necessidades dietéticas. ”

O aumento da popularidade de programas da Food Network como Picado e Mestre cozinheiro também ajudou, diz ele, porque influenciam e inspiram chefs judeus a fazerem algo semelhante.

“Ser um foodie significa que você adora explorar. Quando se trata de ser kosher, é igualmente viável, você apenas tem um mercado menor para trabalhar ”, diz Blum. “Basta olhar para o sushi. Vinte anos atrás, os únicos restaurantes kosher eram delicatessens. Hoje, o sushi kosher se tornou um alimento básico na maioria das comunidades judaicas. ”

Portanto, parece que meu amigo estava realmente errado: você pode se manter kosher e se chamar de foodie.


Mantendo Kosher para a Páscoa

Embora a maioria das pessoas saiba sobre os seders da Páscoa, o feriado é, na verdade, observado por uma semana inteira. O que isso significa exatamente? Bem, por um lado, significa guardar Kosher para a Páscoa.

Manter o Kosher para a Páscoa é um pouco diferente de apenas manter o Kosher. Aqui está um resumo básico das principais leis de Kashrut ou "manter Kosher" literalmente adequado ou adequado:

* Você não tem permissão para servir leite e carne na mesma refeição

* Somente animais que ruminam e têm cascos fendidos são permitidos, por exemplo, cordeiro e boi, mas não carne de porco, e devem ser abatidos de maneira especial

* Os peixes podem ser comidos, mas devem ter barbatanas e escamas

Se essas leis foram criadas por razões de saúde ou para um tratamento mais humano para os animais, talvez nunca saibamos, mas elas estão em vigor há muito tempo e muitas pessoas ao redor do mundo as observam.

Kosher para a Páscoa significa manter Kosher mais significa não comer nenhum "produto assado com fermento". Especificamente, você não pode comer chometz que é qualquer coisa que contenha cevada, trigo, centeio, aveia ou espelta e não seja cozida dentro de 18 minutos após entrar em contato com a água. Além disso, judeus da Europa Oriental como eu, evitam milho, arroz, amendoim e legumes, pois eles podem ser usados ​​para fazer pão. Muitos alimentos têm aditivos que os tornam inadequados para o feriado. Para obter detalhes sobre como os judeus mais praticantes guardam o Kosher para a Páscoa, consulte este guia. Pode parecer bobo, mas pense nisso como desistir de algo na Quaresma. É apenas uma espécie de lembrete para mantê-lo pensando um pouco mais sobre os temas do feriado.

Como você não usa fermento, muitos bolos, muffins e pãezinhos usam ovos, especialmente claras de ovo para fermento. Os produtos assados ​​da Páscoa podem ser secos e borrachentos. Felizmente, o iogurte Dannon All Natural não é apenas Kosher para a Páscoa, mas um ótimo ingrediente para aumentar a maciez em produtos assados. Se você estiver mantendo o Kosher, pode usar os sabores simples, baunilha, café e limão do iogurte em receitas e como um substituto para laticínios com alto teor de gordura, como cream cheese, sour cream e chantilly, que é algo que faço o ano todo.

Este ano, experimentei três receitas de Dannon que são especialmente boas para a Páscoa. Minha receita favorita era uma receita de mini muffin. Era tão bom que eu faria durante todo o ano.

Mini Muffins de Limão e Vanilla Iogurte Noz Passover cortesia de Dannon

2 colheres de sopa. óleo de canola + 1 colher de sopa. para untar panelas
3/4 xícara de refeição de bolo de Páscoa
1/2 colher de chá sal
1/2 xícara de nozes moídas
1/2 xícara de açúcar
1 colher de chá. casca de limão ralada ou mais a gosto
3/4 xícara de Dannon e iogurte com baixo teor de gordura de baunilha e sabores naturais # 174
4 ovos separados
36 grandes pedaços de nogueira

1. Pré-aqueça o forno a 350 graus. Unte forminhas de mini muffins. Em uma tigela grande, adicione a farinha de bolo, o sal, as nozes moídas, o açúcar e as raspas de limão.
2. Em uma tigela média, adicione 2 colheres de sopa de óleo, iogurte e gemas de ovo e bata. Adicione à mistura de farinha de bolo e misture bem.
3. Em uma tigela limpa e seca, adicione as claras de ovos e bata até ficarem firmes. Gentilmente, dobre 1/4 das claras na mistura para bolo para clarear e, em seguida, dobre o restante das claras na mistura até incorporar.
4. Coloque 1 colher de sopa da mistura em cada forma de mini muffin, cubra com um pedaço de noz e asse por 12-14 minutos ou até que a faca inserida no centro saia limpa. Deixe esfriar por 10 minutos antes de retirar da panela.


Celebramos a primeira noite da Páscoa com o seder (e a segunda noite na diáspora). O seder da Páscoa é uma refeição festiva que segue a ordem da Hagadá, que inclui a recontagem da história do êxodo do Egito.

A peça central do seder é a placa do seder que inclui todos os símbolos da escravidão à liberdade que a história encapsula. Incluído está charoset, um chutney como pasta de maçãs, nozes e vinho para simbolizar a argamassa que foi usada para construir as pirâmides e as ervas amargas para nos lembrar dos tempos difíceis pelos quais nossos ancestrais passaram.

Na Páscoa, não apenas evitamos o pão sem fermento, mas também a maioria dos grãos. Portanto, a comida na Páscoa é única e especial em seu jeito. Macaroons são biscoitos de amêndoa são sobremesas populares e canja de galinha com bolas de pão ázimo é um grampo. Saiba mais sobre a Páscoa com nossa coleção de guias.


OU Kosher para receitas de Pesach

Bolas “Notsa” em miniatura (frango Kneidlach) Faz 2 dúzias de bolas em miniatura

Estes joelhos de frango com baixo teor de carboidratos são uma alternativa deliciosa às bolas de matzá normais. Você também pode substituir a farinha de matzá por amêndoas moídas, o que torna as bolas sem glúten. Faça sua receita favorita de canja de galinha ou caldo vegetariano e sirva com estes kneidlach deliciosos e sem culpa.

1 cebola média, cortada em pedaços
1 talo de aipo, cortado em pedaços
2 colheres de sopa de endro fresco
1 libra de frango ou peru magro
1 ovo grande
1 colher de sopa de vegetais ou azeite
3 colheres de sopa de farinha de matzá (ou amêndoas moídas)
1/2 colher de chá de sal
Pimenta do reino moída na hora
2 colheres de sopa de club soda ou água fria
10 xícaras de água salgada

Usando a lâmina de aço de um processador de alimentos, processe a cebola, o aipo e o endro até ficarem picados, por cerca de 10 segundos. Adicione o frango moído, o ovo, o óleo, a farinha de matzá (ou amêndoas), o sal, a pimenta e o club soda processando apenas até misturar. Transfira para uma tigela, tampe e leve à geladeira por 20 a 30 minutos.
Em uma panela grande, leve a água salgada para ferver. Molhe as mãos e molde a mistura em bolas do tamanho de nozes. Jogue as bolas na água fervente, tampe bem e cozinhe por 20 a 25 minutos ou até estar cozido. Não espie! Usando uma escumadeira, retire com cuidado as bolas da água e transfira para tigelas de canja de galinha quente ou caldo de legumes.

Obs: Essas bolas “notsa” ficam por até 2 dias na geladeira, e reaquecem bem. Eles também congelam bem por até 3 meses.

Nutrition Info: 39 calories each, 1.4 grams carbohydrate, 0.1 gram fiber, 3 grams protein, 2.3 grams fat (0.6 gram saturated), 21 milligrams cholesterol, 65 milligrams sodium, 17 milligrams potassium, 3 milligrams calcium
With ground almonds, each ball contains 40 calories, 0.7 gram carbohydrate, and 2.6 grams fat.
Chef’s Secrets:
Hidden Treasure: Stuff the notsa balls with any of the following: shredded carrots, finely minced parsley, cooked chopped spinach, sautéed chopped mushrooms or onions. To stuff, poke a hole with your finger in the center of each ball. Close the opening and re-roll the balls so that the filling is hidden.
Frozen Assets: “Notsa” balls can be cooked in advance, then frozen in chicken soup. Alternatively, cook them in a single layer on a cookie sheet or in muffin pans until firm, then transfer to plastic freezer bags and freeze until needed. There’s no need to thaw first—just reheat them directly in the simmering soup! They will take about 10 minutes to defrost.
Grind It Right: Ground chicken usually contains dark meat, which increases the fat content. Ask your butcher to grind skinless, trimmed chicken breasts. Or, you can grind the chicken breasts yourself in a food processor. Cut 1 pound chilled boneless, skinless chicken breasts into 1-inch chunks and process 15 to 20 seconds until minced.

“Notsa” Balls from a Mix Makes 3 dozen miniature balls

This tasty, low-carb recipe uses a packet of matzah ball mix. Serve the “notsa” balls in chicken soup or as a side dish. They also taste terrific when reheated in the defatted pan juices from brisket or roast chicken.

1 pound lean ground chicken
2 ovos grandes
(or 1 large egg plus 2 egg whites)
1 tablespoon oil
3 tablespoons club soda or cold water
1 tablespoon minced fresh dill
1 packet matzah ball mix
(or gluten-free matzah ball mix)
10 cups salted water

In a large bowl, combine the ground chicken with the eggs, oil, club soda, dill and matzah ball mix combine well. Cover and chill for 20 to 30 minutes.
In a large pot, bring the salted water to a boil. Wet your hands and shape the mixture into walnut-sized balls. Drop into the boiling water, cover tightly and simmer for 40 to 45 minutes or until cooked through. Don’t peek! Using a slotted spoon, carefully remove the balls from the water and transfer to bowls of hot chicken soup or vegetable broth.

Note: These “notsa” balls keep for up to 2 days in the refrigerator, and freeze well for up to 3 months.

Nutrition Info: 30 calories each, 1.4 grams carbohydrate, 0.1 gram fiber, 2 grams protein, 1.7 grams fat (0.4 gram saturated), 20 milligrams cholesterol, 97 milligrams sodium, 4 milligrams potassium, 6 milligrams calcium

Honey ‘N Herb Turkey Breast 10 servings

Everyone at your table will gobble this up! Mango juice adds a marvelous flavor to the turkey, but orange juice will also add its own special twist.

3 onions, thinly sliced
1 red pepper, seeded and sliced
1 boneless rolled turkey breast
(about 4 pounds)
Sal
Pimenta do reino moída na hora
Páprica
1 cup mango or orange juice

Marinade:
2 tablespoons extra virgin olive oil
2 tablespoons lemon juice
(preferably fresh)
2 dentes de alho
(about 2 teaspoons minced)
2-3 tablespoons honey
1/2 teaspoon dried basil
1/2 teaspoon dried thyme

Spray a roasting pan with cooking spray. Place the onions and red pepper in the bottom of the pan. Rinse the turkey breast and pat dry. Place the turkey on top of the vegetables season with salt, pepper and paprika.
In a small bowl, combine the marinade ingredients mix well.
Drizzle the turkey and vegetables with the marinade, coating the turkey on all sides. Drizzle the mango juice over and around the turkey. Cover and refrigerate for 1 hour or up to 2 days, basting occasionally. Remove from the refrigerator about 30 minutes before cooking.
Preheat the oven to 350°. Roast the turkey, covered, for about 2 hours (about 25 to 30 minutes per pound). Uncover the turkey for the last 30 minutes of cooking baste occasionally. When done, the juices will run clear when pierced with a fork, and a meat thermometer, when inserted into the thickest part of the bird, should register an internal temperature of 165 to 170°.
When the turkey is cooked, remove the pan from the oven, cover and let stand for 20 minutes before thinly slicing. Serve with the pan juices.

Note: The turkey will keep for 2 to 3 days in the refrigerator, and it reheats well. It also freezes well for up to 4 months.

Nutrition Info: 263 calories per serving, 11.3 grams carbohydrate, 0.7 gram fiber, 44 grams protein, 3.9 grams fat (0.7 gram saturated), 119 milligrams cholesterol, 83 milligrams sodium, 498 milligrams potassium, 3 milligrams iron, 33 milligrams calcium

Chef’s Secrets:
Be Prepared: Prepare and cook the turkey breast as directed. Thinly slice and place in a casserole dish top with pan juices. Refrigerate for 1 to 2 days. Reheat, covered for 20 minutes at 350°.

No Bones About It: If a rolled turkey breast isn’t available, use an unrolled turkey breast, allowing 20 to 25 minutes cooking per pound. If you can’t find one large turkey breast, use 2 smaller ones. Use an instant-read thermometer to prevent overcooking.

Pesach Vegetable Muffins Makes 10 muffins

Vegetarian heaven! These colorful veggie muffins make an excellent side dish or are perfect as a healthy snack. I like to throw in some garlic, red pepper and fresh dill to add color and boost the flavor. A food processor helps to speed up the preparation and is well worth the investment.

2 colheres de sopa de azeite
1 cebola média, picada
1 clove garlic (about 1 teaspoon minced)
1/2 red or green pepper, seeded and chopped
1 celery stalk, chopped
1 1/2 cups grated carrots
1 cup grated zucchini, well-drained (about 1 small zucchini)
3 ovos grandes, levemente batidos
3/4 colher de chá de sal
1/4 teaspoon freshly ground black pepper
3/4 cup matzah meal
1 tablespoon chopped fresh dill (or 1 teaspoon dried)

Preheat the oven to 375°. Spray 10 compartments of a muffin pan with cooking spray and fill 2 compartments with water.
Heat the oil in a large nonstick skillet on medium high heat. Sauté the onion and garlic in hot oil for 5 minutes or until golden. Add the pepper, celery, carrots and zucchini. Reduce heat to medium and sauté for 5 to 7 minutes longer, until tender, stirring occasionally. Deixe esfriar.
Stir in the eggs, salt, pepper and matzah meal mix well. Scoop the batter into the compartments of the muffin pan. Bake for 35 to 40 minutes or until golden brown. Cool slightly, then carefully remove from pan.

Note: This recipe easily doubles and triples. The muffins keep for 3 to 4 days in the refrigerator and reheat well. They also freeze well for up to 2 months.

Nutrition Info: 100 calories per muffin, 11.6 grams carbohydrate, 0.8 gram fiber, 3 grams protein, 4.4 grams fat (0.8 gram saturated), 63 milligrams cholesterol, 269 milligrams sodium, 128 milligrams potassium, 1 milligram iron, 19 milligrams calcium

Vegetable Kishka Makes 48 slices

Prepare the vegetable mixture above as directed. Spoon half of the mixture onto a sheet of foil that has been well-sprayed with cooking spray. Wet your hands for easier handling and form the mixture into a long roll, about 2 inches in diameter. Wrap well in foil. Repeat with the remaining mixture. Place both rolls on a baking sheet and bake at 375° for about 45 minutes. Unwrap and cut into 1/2-inch slices.

Variações:
Try using parsnips, broccoli or an herb such as basil or parsley instead of carrots, zucchini or dill.

Chocolate Almond Apricot Clusters Makes 48 clusters

These chocolates are so good, you’ll pray they last until the end of Pesach! Chocolate lifts your spirits when you’re feeling tired and overwhelmed with Pesach preparations, and these no-bake treats are the perfect “pick-me-up.” They are also a wonderful and easy gift to bring to a Seder. Everyone will “cluster” around you when you bring these to the table!

10 ounces good-quality dark chocolate
(bittersweet or semi-sweet)
1 colher de sopa de óleo vegetal
2 cups toasted almonds, sliced or slivered
1 1/2 cups dried apricots, cut up

Break the chocolate into chunks and place in a large, dry microwaveable bowl. Microwave on medium, uncovered, for 2 minutes, then stir. Continue microwaving on medium for 1 to 2 minutes longer until the chocolate is just melted stir well. Cool slightly before stirring in oil, almonds and apricots.
Drop the mixture by teaspoonfuls onto baking sheets lined with parchment paper. Refrigerate for 30 to 45 minutes or until firm. Transfer clusters to an airtight container, separating the layers with parchment or waxed paper.

Note: The best way to cut the apricots is to use scissors. The clusters keep for 2 to 3 weeks in the refrigerator—if you hide them well! They also freeze well for up to 4 months.

Nutrition Info: 66 calories per piece, 6.7 grams carbohydrate, 1.2 grams fiber, 1 gram protein, 4.9 grams fat (1.5 grams saturated), 1 milligram sodium, 84 milligrams potassium, 12 milligrams calcium


Passover Recipe Substitution Chart

When did Pesach become like the riddle of the Sphynx? Yes, I see the irony… Seriously though, it’s all fun and games when you’re a kid. Chocolate lollipops and spreading cream cheese on shmura matzah without breaking it.

Then it’s frantically figuring out what to feed your finicky toddlers without Cheerios and pasta. Next, it’s menus, guests, cooking marathons and NO TAKE OUT! Then it’s back to fun, comfort, grandchildren (iy”H) and enjoying those arba kosot.

So, can you guess my stage? I’m not sure how or why, but I found myself frantically planning menus around Chanukah. Luckily, I calmed down somewhere around Purim Katan (gotta love that extra month).

I remembered my Substitution Guide motto. Keep. Isto. Simples.

Each year on Pesach, I prepare recipes that have proven to be successful all year round and are permissible (albeit with some tweaks) on Pesach. The right recipe and the right ingredient substitutions can make all the difference between a satisfied family and your crying over the remains at the trash can.

But before you begin swapping out ingredients on your favorite layer cake, read through the recipe you want to adapt very carefully. Consider the quantity of the ingredient you’d have to replace and look it up here to see if you can do it with ease.

Remember, this stretch of the Sphynx riddle lasts the longest, so find a way to make it work for you. Stick with recipes you know, and you’ll be assured a tasty and stress-free eight days!


Six Non-Dairy Gourmet Passover Dessert Recipes

Artificial and processed kosher-for-Passover ingredients simply don’t taste good. But that਍oesn’t mean we can’t satiate our sweet tooth on Passover with something sweet and divine. The following selection of recipes incorporate only all natural ingredients — no compromises. They are also interchangeable, complimenting each other to enable you to widen your dessert repertoire.

Serve the chocolate macaroons on their own, or sandwich them with sorbet or chocolate ganache in the middle. You can also layer the ganache with the vacherin or nut torte — or shaped it into truffles. Mix and match to suit your tastes — and enjoy sweet endings to each and every meal.

Sophisticated and simple. These macaroons are easy and gluten free. I fill my macaroons with sorbet and keep them on hand for a stylish dessert or snack. You canਊlso fill them with the chocolate-mango ganache for a smooth, creamy center.

Recipe Note: What if I can&apost find kosher for Passover almond powder? You may be able to find either almond powder or fine almond flour, but if not, you can make your own. Place 2 cups skinned, blanched almonds in the work bowl of a food processor and add 2 tablespoons of confectioners’ sugar to the almonds (this will keep the almonds from turning into almond butter). Process the almonds for 1 minute. Stop the processor and scrape down the bowl. Continue doing this for another 4 minutes, scraping down the bowl occasionally, until the almonds are very fine and powdery. Measure the almond powder and eliminate the added 2 tablespoons of confectioners’ sugar from the recipe.

This gorgeous layered dessert is light and refreshing. I make the meringue layers in individual sized discs so my guests can each have their own dessert. The meringue can easily be made into larger layers and the dessert can be assembled as a larger torte. Similar to an ice box cake, this dessert sets up in the freezer and can be made several days ahead of serving.

Purchase the best quality extra virgin olive oil you can find. For this recipe, I use an oil from France that is buttery, fruity, and rich with no harsh taste of bitterness. It is expensive𠅋ut since the olive oil is my fat of choice for all my pareve and fleishig meals during the holiday and year round, it is worth it.

Because this recipe is all about chocolate, it goes without saying that the chocolate has to be great in order to make a great mousse. During Passover, I use Schmerling’s 70% Bittersweet Chocolate. When Passover is over, I use Callebaut 71% Bittersweet Chocolate.

Ersatz ingredients never taste as good as the real thing. I only cook with real ingredients. Purchase the best ingredients you can and your food will always taste great.

Recipe Note: Vanilla or a Vanilla Bean? Kosher for Passover vanilla is very overpriced and doesn&apost nearly have the flavor of a vanilla bean. It’s worth it to use a real vanilla bean to gift all your desserts with delicious flavor. To scrape a vanilla bean, slice the bean lengthwise and scrape the back of your knife along the inside halves to remove the thick gooey paste inside. Use this paste. Save the bean to put in your sugar container for vanilla scented sugar.

A classic ganache has cream and butter in it. I love it for dairy meals. This ganache is pareve and works well for cake fillings, frosting, and truffles.


Assista o vídeo: Aprendiendo cuales productos son Kosher (Janeiro 2022).